InfoSign faz 1 ano: conheça os números do portal

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/11/2013

No dia 26 de novembro de 2012, o mercado brasileiro de impressão digital e comunicação ganhou o InfoSign, primeiro portal técnico e especializado da área. Com a missão de informar e estimular as empresas e os profissionais do ramo, o site tem publicado notícias, vídeos, reportagens e artigos técnicos sobre impressoras, sinalização, gráfica digital, entre outros assuntos relacionados.

Em seu ano de estreia, o InfoSign atraiu mais de 97 mil leitores com mais de 550 publicações. Esses e outros números inquestionáveis estão registrados no infográfico abaixo. Conheça mais o site e continue conosco nos próximos anos:

Infográfico aniversário InfoSign



SAi apresentará o SIGN.com 2.0 durante a SGIA 2017

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 14/09/2017
Além da nova versão do SIGN.com, empresa exibirá outras soluções para produção de sinalização

Além da nova versão do SIGN.com, empresa exibirá outras soluções para produção de sinalização

A SAi (SA International), desenvolvedora de softwares, estará presente na SGIA 2017, feira que ocorre entre os dias 10 e 12 de outubro, em Nova Orleans, EUA. Para o evento, a empresa prometeu o lançamento da SIGN.com 2.0, solução de comércio eletrônico desenvolvida para oferecer aos clientes de birôs e gráficas um processo rápido de criação de peças de sinalização e banners personalizados.

Disponível para os EUA e Canadá, o serviço redireciona pedidos realizados on-line para os birôs mais próximos. Isso garante que as empresas regionais possam competir com grandes gráficas, além de oferecer aos clientes finais preços mais competitivos em função dos custos de distribuição menores.

A empresa também apresentará seus apps para dispositivos móveis na SGIA 2017. Entre eles, o SAi Cloud, indicado para gerenciamento remoto da produção. Já o MyFlexi foi projetado oferece ferramentas para melhorar a produtividade do birô. Para quem trabalha com routers CNC, a empresa oferecerá o + EnRoute, disponível como complemento aos Flexi 11 e 12.

A SAi também frisou que oferece um modelo de assinatura diferenciado, que oferece acesso a toda a gama de ferramentas dos Flexi e Flexi Design.

Fonte: SAi

 



A impressão digital em tecidos como ferramenta para reduzir impactos ambientais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/07/2016
Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Os argumentos para a adoção de tecnologias de impressão digital têxtil são os mesmos usados em outros segmentos: possibilidade de estampar peças sob medida e em curto prazo, personalização e produção sob demanda. Além disso, a impressão digital reduz desperdícios e aumenta o controle sobre custos por minimizar o inventário. Mas há um benefício que parece superar todos os outros: a sustentabilidade.

Depois da agricultura, a produção têxtil é a maior poluidora de água do mundo, por causa sobretudo dos processos de tingimento. O Banco Mundial estima que o setor de tecidos é responsável por mais de 20% da poluição da água industrial. Para se ter uma ideia, de acordo com o governo britânico, a indústria têxtil do Reino Unido produz anualmente 3,1 milhões de toneladas de CO2, 2 milhões de toneladas de resíduos e 70 milhões de toneladas de água.

Fica pior. O tratamento, o tingimento e a lavagem dos tecidos também causam impactos no ar e no solo. Mais de 2 mil produtos químicos, como benzidina, toluidina, amoníaco, cloro e metais pesados são utilizados em vários agentes antiespumantes, corantes, detergentes e branqueadores.

A produção têxtil lida com dezenas de químicos tóxicos, como formaldeído, cloro, chumbo e mercúrio, que são despejados em cursos de água. Nitrogênio e óxidos de enxofre são emitidos de caldeiras, e apesar de os refugos têxteis poderem ser reciclados, grande parte deles acaba sendo direcionada a aterros.

Tecnologias que atenuam os impactos negativos na produção têxtil devem ser bem-vindas, sobretudo por grandes marcas que buscam melhorar seu desempenho socioambiental. A impressão digital é essa tecnologia. Ela é ainda pouco explorada no mercado têxtil. No entanto, está ganhando terreno, sobretudo entre empresas que precisam reduzir estoques e resíduos. Tecnologias como a Kornit Vulcan empregam um processo livre de água e trabalham com fibras naturais, sintéticas e mistas.

A impressão digital está avançando e tornando mais fácil adicionar determinadas características aos tecidos. Além disso, há revestimentos que podem conferir propriedades isolantes ao tecido ao bloquear a radiação infravermelha.

Tecidos podem receber revestimentos que amaciam e repelem insetos, fungos e micróbios, ou para torná-los retardante ao fogo e proteger o usuário de radiação UV. Os tecidos podem ser tratados para repelir sujeira e água ou para serem condutivos ou receber impressão com material fotovoltaico.

Levar essas informações aos grandes players da indústria têxtil deve ser o objetivo de todos os fabricantes de impressão digital têxtil. Devemos aprender com as experiências no setor comercial, o qual levou anos para reconhecer a impressão digital como um concorrente tecnológico válido.

O conhecimento sobre os benefícios da impressão digital nos setores de moda e tecidos ainda é pequeno, e isso tem de mudar.

 

Esse artigo foi escrito por Laurel Brunner e publicado no site da Fespa em 18 de julho de 2016. O Portal InfoSign foi responsável por traduzir e adaptar o texto.