Imprimax divulga datas de treinamentos de vinil e envelopamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/04/2017
Eventos são gratuitos e indicados para quem usa vinis adesivos

Eventos são gratuitos e indicados para quem usa vinis adesivos

A Imprimax, fabricante nacional de películas autoadesivas, anunciou as datas e os locais dos treinamentos gratuitos que realizará durante o ano de 2017. Distribuidores e parceiros sediarão os eventos, que também serão ministrados durante as feiras Serigrafia Sign e Signs Nordeste.

Além dos treinamentos sobre aplicação de vinil adesivo, a Imprimax promoverá workshops regionais, nos quais tratará dos seguintes tópicos: escolha do vinil adesivo, como identificar oportunidades de negócios, a importância do PDV, Concurso Dividindo Ideias, tendências de mercado, dicas de aplicação e principais problemas da aplicação.

Acompanhe a agenda dos treinamentos pela página do Facebook da Imprimax, ou pelo InfoSign, que divulgará mais detalhes dos eventos listados abaixo:

Abril (dia, empresa, local):

  • 25: ATM, em Piracicaba (SP);
  • 26: Vinilsul, São Paulo (SP);
  • 26: São Luís (AM) - Workshop Regional;
  • 27 e 28: Empesol, em Feira de Santana (BA);
  • 29: Tecnomold, em Curitiba (PR).

Maio (dia, empresa, local):

  • 03: Convem, em Pouso Alegre (MG);
  • 04: Manaus (AM) - Workshop Regional;
  • 09: Ultra, em Blumenau (SC);
  • 10: Profix, em Lavras (MG);
  • 18: Porto alegre (RS) - Workshop Regional.

Julho (dia, empresa, local):

  • 12 a 15: Feira Serigrafia Sign, em São Paulo (SP).

Agosto (dia, empresa, local):

  • 03: Joiville (SC) - Workshop Regional;
  • 16: New Control, em Recife (PE) - Workshop Regional;
  • 17: Recife (PE) - Workshop Regional.

Setembro (dia, empresa, local):

  • 14: Salvador (BA);
  • 21: Natal (RN) - Workshop Regional.

Outubro (dia, empresa, local):

  • 03 a 06: Feira Signs Nordeste, em Fortaleza (CE);
  • 19: Belo Horizonte (MG) - Workshop Regional.

Novembro (dia, empresa, local):

  • 09: Curitiba (PR) - Workshop Regional.

Fonte: Imprimax



Aplike apresenta novos vinis adesivos da linha Aplikdecor

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/09/2015
Aplikdecor é linha nacional desenvolvida para decoração de ambientes

Aplikdecor é linha nacional desenvolvida para decoração de ambientes

A Aplike, fabricante nacional de películas, anunciou três novos modelos de vinis adesivos da linha Aplikdecor, indicada para aplicações de comunicação visual, arquitetura e decoração de ambientes. Produzidos no Brasil, os novos filmes apresentam acabamento texturizado com efeitos “couro natural”, “madeira preta” e “madeira tabaco”.

Segundo a empresa, os vinis são blockout, apresentam durabilidade interna de três anos e podem ser recortados com plotters, para serem aplicados em superfícies lisas, com curvas, retas ou em cantos de 90 graus.

Os novos vinis da linha Aplikdecor são compostos por frontal de PVC calandrado, adesivo reposicionável e liner de papel siliconado de 150g/m2. Com espessura de 0,15mm, as películas são vendidas em bobinas de 1,22m de largura e 15m de comprimento.

Os produtos da linha Aplikdecor podem ser utilizados para decoração e reforma de bancos, salas de escritórios, restaurantes, bibliotecas, hotéis, aeroportos, hospitais, estandes, lojas de conveniência, revendedoras de automóveis, elevadores, clubes, lojas, lanchas e embarcações, parques temáticos e postos de combustíveis.

Aplikdecor Couro Natural
Aplikdecor Couro Natural
Aplikdecor Madeira Preta
Aplikdecor Madeira Tabaco

Fonte: Aplike



A impressão digital em tecidos como ferramenta para reduzir impactos ambientais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/07/2016
Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Os argumentos para a adoção de tecnologias de impressão digital têxtil são os mesmos usados em outros segmentos: possibilidade de estampar peças sob medida e em curto prazo, personalização e produção sob demanda. Além disso, a impressão digital reduz desperdícios e aumenta o controle sobre custos por minimizar o inventário. Mas há um benefício que parece superar todos os outros: a sustentabilidade.

Depois da agricultura, a produção têxtil é a maior poluidora de água do mundo, por causa sobretudo dos processos de tingimento. O Banco Mundial estima que o setor de tecidos é responsável por mais de 20% da poluição da água industrial. Para se ter uma ideia, de acordo com o governo britânico, a indústria têxtil do Reino Unido produz anualmente 3,1 milhões de toneladas de CO2, 2 milhões de toneladas de resíduos e 70 milhões de toneladas de água.

Fica pior. O tratamento, o tingimento e a lavagem dos tecidos também causam impactos no ar e no solo. Mais de 2 mil produtos químicos, como benzidina, toluidina, amoníaco, cloro e metais pesados são utilizados em vários agentes antiespumantes, corantes, detergentes e branqueadores.

A produção têxtil lida com dezenas de químicos tóxicos, como formaldeído, cloro, chumbo e mercúrio, que são despejados em cursos de água. Nitrogênio e óxidos de enxofre são emitidos de caldeiras, e apesar de os refugos têxteis poderem ser reciclados, grande parte deles acaba sendo direcionada a aterros.

Tecnologias que atenuam os impactos negativos na produção têxtil devem ser bem-vindas, sobretudo por grandes marcas que buscam melhorar seu desempenho socioambiental. A impressão digital é essa tecnologia. Ela é ainda pouco explorada no mercado têxtil. No entanto, está ganhando terreno, sobretudo entre empresas que precisam reduzir estoques e resíduos. Tecnologias como a Kornit Vulcan empregam um processo livre de água e trabalham com fibras naturais, sintéticas e mistas.

A impressão digital está avançando e tornando mais fácil adicionar determinadas características aos tecidos. Além disso, há revestimentos que podem conferir propriedades isolantes ao tecido ao bloquear a radiação infravermelha.

Tecidos podem receber revestimentos que amaciam e repelem insetos, fungos e micróbios, ou para torná-los retardante ao fogo e proteger o usuário de radiação UV. Os tecidos podem ser tratados para repelir sujeira e água ou para serem condutivos ou receber impressão com material fotovoltaico.

Levar essas informações aos grandes players da indústria têxtil deve ser o objetivo de todos os fabricantes de impressão digital têxtil. Devemos aprender com as experiências no setor comercial, o qual levou anos para reconhecer a impressão digital como um concorrente tecnológico válido.

O conhecimento sobre os benefícios da impressão digital nos setores de moda e tecidos ainda é pequeno, e isso tem de mudar.

 

Esse artigo foi escrito por Laurel Brunner e publicado no site da Fespa em 18 de julho de 2016. O Portal InfoSign foi responsável por traduzir e adaptar o texto.