HP lança impressoras digitais com tecnologia de sublimação

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 24/04/2019
Equipamentos são indicados para estamparia têxtil digital

Equipamentos são indicados para estamparia têxtil digital

A HP anunciou no mercado internacional a nova série HP Stitch S, composta por três modelos (S300, S500 e S1000) de impressoras digitais para estamparia têxtil.

Entre os diferenciais da linha, a HP destaca:

- Correspondência de cores: a máquina vem com espectrofotômetro integrado, além das soluções de RIP e armazenamento em nuvem;

- Cabeça de impressão térmica: reduz tempo e desperdícios e ajuda na reprodução fiel de cores;

- Sublimação: no papel transfer ou diretamente em tecidos;

- Redução de tempo de inatividade: o serviço HP Proactive oferece suporte preventivo.

A HP também lançou um conjunto de papéis de sublimação para ser usado nas impressoras da série HP Stitch S. As mídias foram desenvolvidas e testadas para oferecer maior qualidade de imagem e consistência de cores.

Santi Morera, diretor de negócios de soluções gráficas da HP, declarou: “As tendências de decoração e moda, a produção sob demanda e a personalização estão impulsionando o crescimento da impressão digital. A estamparia têxtil digital está experimentando um crescimento anual de dois dígitos, com previsão de chegar a 5,5 bilhões de dólares até 2023, de acordo com Smithers Pira. Estamos ansiosos para que mais transformações na impressão digital sejam realizadas com a chegada da nova série HP Stitch S”.

HP Stitch S300

Com 1,6m de largura, a HP Stitch S300 emprega cabeça substituível pelo usuário, o que reduz tempos de inatividade e custos de manutenção. A impressora é indicada para quem quer entrar no segmento de sublimação, além de departamentos de prototipagem e fornecedores de impressão em crescimento.

HP Stitch S500

Com largura de 1,6m, a HP Stitch S500 é indicada para quem precisa de uma poucos mais de produtividade. Com configuração 2xCMYK e sensor de avanço de mídia óptica, a impressora oferece um modo de única passada. Outros recursos de destaque da máquina são:

- Produção simplificada: por ter sistemas maiores de alimentação de tintas e mídias, a impressora pode operar sem a supervisão de um operador (até mesmo durante a noite). As ferramentas de gerenciamento também auxiliam a prática;

- Reprodução de cores: a ferramenta HP SmartColour torna o processo de cores mais consistente;

- Economia: a máquina exige menos espaço para ser instalada, pois tem carregamento frontal de mídia e sistema sem eixo.

Fonte: HP



A impressão digital em tecidos como ferramenta para reduzir impactos ambientais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/07/2016
Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Os argumentos para a adoção de tecnologias de impressão digital têxtil são os mesmos usados em outros segmentos: possibilidade de estampar peças sob medida e em curto prazo, personalização e produção sob demanda. Além disso, a impressão digital reduz desperdícios e aumenta o controle sobre custos por minimizar o inventário. Mas há um benefício que parece superar todos os outros: a sustentabilidade.

Depois da agricultura, a produção têxtil é a maior poluidora de água do mundo, por causa sobretudo dos processos de tingimento. O Banco Mundial estima que o setor de tecidos é responsável por mais de 20% da poluição da água industrial. Para se ter uma ideia, de acordo com o governo britânico, a indústria têxtil do Reino Unido produz anualmente 3,1 milhões de toneladas de CO2, 2 milhões de toneladas de resíduos e 70 milhões de toneladas de água.

Fica pior. O tratamento, o tingimento e a lavagem dos tecidos também causam impactos no ar e no solo. Mais de 2 mil produtos químicos, como benzidina, toluidina, amoníaco, cloro e metais pesados são utilizados em vários agentes antiespumantes, corantes, detergentes e branqueadores.

A produção têxtil lida com dezenas de químicos tóxicos, como formaldeído, cloro, chumbo e mercúrio, que são despejados em cursos de água. Nitrogênio e óxidos de enxofre são emitidos de caldeiras, e apesar de os refugos têxteis poderem ser reciclados, grande parte deles acaba sendo direcionada a aterros.

Tecnologias que atenuam os impactos negativos na produção têxtil devem ser bem-vindas, sobretudo por grandes marcas que buscam melhorar seu desempenho socioambiental. A impressão digital é essa tecnologia. Ela é ainda pouco explorada no mercado têxtil. No entanto, está ganhando terreno, sobretudo entre empresas que precisam reduzir estoques e resíduos. Tecnologias como a Kornit Vulcan empregam um processo livre de água e trabalham com fibras naturais, sintéticas e mistas.

A impressão digital está avançando e tornando mais fácil adicionar determinadas características aos tecidos. Além disso, há revestimentos que podem conferir propriedades isolantes ao tecido ao bloquear a radiação infravermelha.

Tecidos podem receber revestimentos que amaciam e repelem insetos, fungos e micróbios, ou para torná-los retardante ao fogo e proteger o usuário de radiação UV. Os tecidos podem ser tratados para repelir sujeira e água ou para serem condutivos ou receber impressão com material fotovoltaico.

Levar essas informações aos grandes players da indústria têxtil deve ser o objetivo de todos os fabricantes de impressão digital têxtil. Devemos aprender com as experiências no setor comercial, o qual levou anos para reconhecer a impressão digital como um concorrente tecnológico válido.

O conhecimento sobre os benefícios da impressão digital nos setores de moda e tecidos ainda é pequeno, e isso tem de mudar.

 

Esse artigo foi escrito por Laurel Brunner e publicado no site da Fespa em 18 de julho de 2016. O Portal InfoSign foi responsável por traduzir e adaptar o texto.



Sihl lança filme adesivo para aplicações outdoor

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 15/01/2014

Permovable, da Sihl, pode ser aplicado em ruas e calçadas

O Permovable, da Sihl, pode ser aplicado em ruas e calçadas

A subsidiária britânica da Sihl, fabricante de mídias, lançou o Permovable, filme para aplicações outdoor em locais como calçadas, paredes, lajes, ruas, estradas e estacionamentos, cujas superfícies são compostas por concreto, asfalto e outros materiais ásperos e porosos.

De acordo com a fabricante, a mídia pode ser facilmente instalada, prescindindo de ferramentas técnicas e preparação da superfície. Uma vez aplicado, o filme molda-se à estrutura de baixo. Ele também atende às normas antiderrapante para pavimentos exteriores e não requer laminação.

Sensível à pressão, a mídia não contém PVC e não representa risco ao meio ambiente. Além disso, pode ser facilmente removida, juntamente com o adesivo.

Fonte: Large Format Review