Furnax leva nova linha de acabamento à Fespa Brasil 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/02/2013

A Furnax, fornecedora brasileira de soluções para pós-impressão, vai apresentar, na Fespa Brasil, equipamentos como cortadeiras e dobradeiras. Para a ocasião, a marca também levará uma plotter de recorte da Mimaki e a laminadora manual Digital U-Coater, para acabamento de impressos em pequenos formatos, e compatível com filmes brilhantes, foscos e holográficos.

O objetivo da Furnax no evento é mostrar ao público o quanto essas máquinas podem ser produtivas. "Sabemos que, para estes mercados, a ágil troca de serviço é tão fundamental quanto à produtividade", afirmou Caio Nakagawa, gerente de produto do Grupo Furnax.

U-COATER: laminadora que será apresentada na Fespa Brasil

U-COATER: laminadora que será apresentada na Fespa Brasil

O estande da Furnax é o C22, que fica entre a Rua 3 e Avenida C.

A Fespa Brasil ocorre de 13 a 16 de março, das 13h às 20h (sábado, das 10h às 17h), no Expo Center Norte (Pavilhão Azul), em São Paulo (SP).

Fonte: Furnax



Kiian Digital e J-Teck3 selam parceria e criam grupo

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/08/2014

Fabricantes unem forças para atender novas demandas do mercado de impressão digital

Fabricantes unem forças para atender novas demandas do mercado de impressão digital

A Kiian Digital e a J-Teck3, fornecedoras de tintas digitais, uniram-se para oferecer mais recursos ao setor de impressão digital.

A J-Teck3 tem 10 anos e desenvolve tintas sublimáticas e pigmentadas. Já a Kiian Digital tem uma longa história no fornecimento de químicos e insumos para impressão digital.

Combinadas, as duas empresas passarão a oferecer um portfólio maior de tintas digitais, para diversas cabeças de impressão. Para expandir os negócios globalmente, as fornecedoras oferecerão benefícios de suporte e assistência técnica, além de ampliar atividades de pesquisa e desenvolvimento.

Dennis Wilby, presidente da Kiian Digital, declarou: "A união das empresas reforça nossa capacidade de atender clientes em todo o mundo. Os anos de experiência e conhecimento de ambas beneficiarão a indústria internacional de impressão".

Italo Mariani, gerente da J-Teck3, declarou: "Estamos muito satisfeitos por unir forças com a Kiian. As duas empresas compartilham valores comuns, e os nossos produtos são complementares. Juntando recursos, teremos mais potencial no mercado de tintas digitais".

Ambas as equipes de gestão, incluindo os antigos proprietários da J-Teck3, continuarão a se envolver nos negócios das empresas.

Fonte: What They Think



Adesivação: o que acontece quando o clima está muito frio ou quente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/12/2012

Quando o tempo esfria, os envelopadores devem tomar alguns cuidados para que a adesivação saia como esperado. É sempre muito importante que o veículo esteja limpo. Antes de chegar ao local de adesivação, ele deve ser lavado (apenas com detergente) e desengraxado. Depois, recomenda-se esperar para que o carro seque e esquente. Além disso, procure fazer a instalação em locais fechados onde as temperaturas são mais elevadas.

Veja o que pode acontecer se o vinil for aplicado em locais com temperatura (muito) baixa:

  • A película pode não alongar, já que, logo após aquecê-la, ela vai esfriar;
  • O tack inicial do adesivo pode ser insuficiente para garantir a adesão da película;
  • A umidade pode condensar-se na superfície do veículo, complicando a adesivação;
  • A película pode ficar dura e frágil, e não vai aderir. Se isso acontecer, o adesivador vai, naturalmente, forçar a espátula, para promover a adesão do filme, e isso pode causar danos ao vinil;
  • Em condições muito úmidas, pode ser difícil manter o substrato seco.

Promover um pós-aquecimento também é fundamental para reduzir a tensão do vinil, manter a sua memória e mantê-lo no lugar correto.

ferramenta para adesivação

Para moldar a película, use ferramentas

Dicas para a adesivação em climas quentes

Atente-se quando o clima esquentar demais. Com o calor, o vinil fica mais maleável, o que dificulta o seu reposicionamento. Além disso, ele tende a distorcer e criar rugas.

A temperatura da superfície jamais deve exceder os 40ºC. Verifique as informações sobre temperaturas mínima e máxima dadas nos manuais dos produtos (se o veículo de cor escura estiver submetido a um calor de 32ºC, então a sua superfície pode estar acima dos 70ºC — tome cuidado).

Se a aplicação tiver de ser feita em ambiente externo, tente começar o trabalho o mais cedo possível. Faça o que puder para não deixar o carro sob o sol.

Em um clima quente e úmido, ocorre a condensação pela manhã. A aplicação nessa condição também deve ser evitada.

Artigo técnico originalmente publicado pela 3M dos EUA. Tradução e adaptação: InfoSign