Fremplast apresenta novos site e logomarca

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/04/2015

Fabricante de tintas lançou recentemente uma identidade visual renovada

Fabricante de tintas lançou recentemente uma identidade visual renovada

A Fremplast, fabricante nacional de tintas para impressão, renovou recentemente a sua logomarca. Segundo a empresa, a identidade visual foi modernizada para representar a evolução pela qual passou a fornecedora.

Nas cores azul, cinza e branco, a nova logomarca em breve estará estampada nas embalagens e rótulos dos produtos da fabricante.

Além da identidade visual, o site da empresa também foi reformulado. Mais fácil de navegar, nele é possível encontrar inúmeras informações de produtos e serviços por meio de computador, tablet e smartphone. A página inclui um blog, cujos posts atualizam e mantêm informados os visitantes sobre novidades do mercado.

Fonte: Fremplast



Top 15: melhores instalações de vinis de 2016 segundo a Avery

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 31/01/2017
Inspire-se nos 15 projetos de 2016 selecionados pela Avery

Inspire-se nos 15 projetos de 2016 selecionados pela Avery

A fabricante Avery Dennison apresentou uma lista com 15 dos melhores projetos de 2016, executados nos EUA, que empregaram vinis adesivos da marca. Foram escolhidos sete envelopamentos veiculares e oito adesivações não tradicionais de acordo com a criatividade e a complexidade técnica da aplicação das películas.

Jeff Losch, diretor de marketing da Avery Dennison Graphics Solutions, declarou: “A lista anual dos principais projetos tornou-se muito importante para Avery. É emocionante ver como nossos filmes podem ser usados em uma infinidade de aplicações. Nos últimos anos, a indústria de vinil tem ficado mais visionária e engenhosa, e vemos isso na lista deste ano”.

A Austin Extreme Graphics, do Texas, envelopou cinco caixas de controle de tráfego na cidade de Austin. Para tanto, usou vinis da linha MPI 1105
A GeckoWraps, de Las Vegas, camuflou esta cama com vinis MPI 1105 digitalmente impressos
Roger Chang, da própria Avery, usou filmes da linha Supreme Wrapping para adesivar o piano de sua esposa
 
A USA Image instalou imagens fotográficas na Germantown Mill Lofts, com a ajuda das películas das linhas MPI 2105 e DOL 2080
Filmes da linha Supreme Wrapping foram usados para melhorar a estética desta cozinha
A KI Studios, de San Diego, adesivou a parede de seu escritório com o filme MPI 2600 Textured Wall. O vinil foi impresso com uma foto de uma Lamborghini Aventador
A Wrapstar empregou vinis da série Supreme Wrapping para transformar completamente a decoração deste cômodo
A Topic Design usou o acabamento Natural Stucco, da linha MPI 2600 Textured Wall, para personalizar seu novo escritório
A San Francisco Fleet Week Association e a A52 Signs & Graphics enveloparam um Chevy Suburban com filmes MPI 1105 e DOL 1360
O Toxic Rat, projeto envelopado com filmes Supreme Wrapping e DOL 1460, foi o campeão de 2016 do Wrap Like a King, competição de envelopamento promovida pela Avery
O instalador Justin Pate usou filmes MPI 1105 e DOL 1380z para alterar a cor deste Nash Statesman Super Airflyte
A Clear View Signs envelopou um Ford F-150 com vinil prata da linha Conform Chrome. O design geométrico foi criado com impressão digital em filmes laminados da série DOL 1460z
A Incognito Wraps usou uma combinação de filme laminado laranja, vinil cromado prata e película preta fosca para envelopar um Ford Flex
Alex Laughlin, piloto da Gas Monkey Racing, usou o ColorFlow Urban Jungle, da Supreme Wrapping, para personalizar seu carro, que foi envelopado no estande da Avery na Sema 2016
A Graphix envelopou um caminhão Kenworth Heavy Duty Big Rig Tow com películas das séries MPI 1105 e DOL 1360z

 



Os iluminantes: fundamentais no gerenciamento de cores

Por Pedro Gargalaca em 05/12/2012

Neste artigo técnico, há informações sobre os iluminantes CIE usados para o controle e gerenciamento de cores.

Luz e iluminantes

Qualquer luz emite energia nas diferentes faixas de comprimento de onda do espectro visível. Ao resultado gráfico disso, damos o nome de "curva de distribuição de energia espectral dos iluminantes".

O gráfico abaixo mostra a emissão energética da luz do dia (com temperatura de cor de 6500K). O eixo horizontal representa os comprimentos de onda (entre 300 e 820nm). Já o eixo vertical representa a energia relativa espectral. O pico da curva ocorre aos 460nm, na região dos azuis. Ou seja, a aparência dessa luz será azulada. Portanto, os objetos observados sob este iluminante tenderão a parecer mais azulados.

Emissão energética espectral da luz do dia, com temperatura de cor de 6500K

Iluminante e fonte luminosa

Também é importante entender a diferença entre fonte luminosa e iluminante. De acordo com Billmeyer e Saltzman, uma fonte depende de energia para gerar iluminamento. Por exemplo: as lâmpadas que usam energia elétrica. Já um iluminante é definido por sua curva de energia espectral, que não precisa existir necessariamente.

Para a análise das fontes, usa-se um espectroradiômetro (ou um equipamento EyeOne). Os iluminantes são especificados por curvas de energia espectrais teóricas. Assim, podemos desenhar um gráfico, e ele passa a ser um padrão de iluminante.

Índice de Reprodução de Cor (IRC)

Os testes para verificar se uma fonte luminosa se aproxima de um padrão internacional (iluminante) é conhecido como CRI ("Color Rendering Index", ou Índice de Reprodução de Cor, o IRC).

A escala que classifica as fontes luminosas vai de 0 a 100 (o ponto 100 simula a luz do dia, isto é, a visualização do iluminante padrão D65).

A recomendação de algumas normas internacionais, como a ISO 3664, é que este índice seja sempre superior a 90, para que as fontes luminosas sejam confiáveis (para análise e gerenciamento de cores).

Porém, quanto maior o CRI de uma fonte, mais cara ela é: uma lâmpada com CRI acima de 90 custa mais do que uma com CRI inferior a 90.

Saiba que não existe nenhuma fonte luminosa que atinja o valor de CRI igual a 100.

Como os iluminantes afetam a cor

Vamos dar um exemplo: temos uma caixa nas cores preta, azul e verde. Ela fica numa sala com luz vermelha. Nessas condições, aos nossos olhos, vai parecer que a caixa é preta, pois todas as cores dela absorvem a cor vermelha e, portanto, nenhuma luz chega a nós.

Outro fenômeno é a metameria de iluminante. Duas cores parecem iguais quando vistas sob a mesma fonte luminosa, mas se tornam diferentes quando observadas sob outra. Por exemplo: uma cor com três pigmentos (vermelho, azul e amarelo) gerou a seguinte curva de reflectância espectral:

Na produção de um novo lote desta cor, o colorista teve que utilizar um tom alternativo, pois o vermelho que ele usava parou de ser fornecido. O resultado da formulação gerou a seguinte curva de reflectância:

Assim, chegamos a algumas conclusões:

  • Quando as duas cores são observadas sob a luz do dia, que ressalta as deficiências de azul, elas ficam com aparência idêntica. Isto se deve ao fato de que as duas curvas de reflectância espectral não possuem diferenças na região do azul;
  • Quando as duas cores são observadas sob a fonte de luz CWF, que é a lâmpada fluorescente branca fria, a aparência das duas cores começa a parecer diferente, pois a CWF ressalta os defeitos da região de verde. Como as duas curvas de reflectância já apresentam certa deficiência nesta região, os defeitos ficam mais evidentes;
  • Quando estas cores são observadas sob a fonte de luz incandescente, que ressalta as deficiências de vermelho e amarelo, a diferença fica muito perceptível, pois as curvas de reflectância são muito diferentes nesta região do gráfico.

Escolha o iluminante

Qual o iluminante correto para avaliar as cores do impresso? Resposta: aquele que mais se aproxima ao iluminante do local onde o impresso será visto e ficará exposto.

Por exemplo: se o impresso ficar em ambientes externos, escolha iluminantes que representem as variações da luz do dia. Se o impresso for instalado numa loja de departamento, escolha os iluminantes fluorescentes.

Saiba qual é a fonte luminosa (e o seu fabricante) utilizada no ponto de venda. Assim, você pode obter a curva de distribuição espectral da fonte e compará-la com as curvas dos iluminantes padrão CIE.

Outro exemplo: se a fonte utilizada no ponto de venda for a GE Branca Fria, pesquise as curvas de distribuição espectral nos catálogos da General Electric.

iluminante para gerenciamento de cores

Comparação entre iluminante de uma fonte GE e o iluminante CIE F2

O padrão para o iluminante CIE F2 foi baseado numa média de fontes fluorescentes "branca fria" disponíveis no mercado. Comparando as duas curvas de distribuição energética espectral acima, podemos observar que a curva da lâmpada da GE não é igual à curva do iluminante CIE F2. Mas elas são similares.

Se medirmos o CRI da lâmpada da GE, vamos obter algo próximo de 90. Portanto, ao medirmos com o espectrofotômetro usando o iluminante F2, estaremos simulando como o impresso será visto no ponto de venda.

Porém, nem todos os fabricantes permitem acesso às curvas de distribuição espectral de seus produtos. Nesta situação, precisamos saber se as cores produzidas não são metaméricas, e devemos avaliar a reprodução da cor em três iluminantes: D65 (luz do dia), F2 e A (Incandescente).

Se as variações de delta E não forem grandes entre esses três iluminantes, não haverá problemas em qualquer que seja o ambiente onde o impresso será exposto.

Fonte: Coralis. Edição do texto: InfoSign