Fisher Textiles lança seis tecidos para impressão látex e UV

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/03/2018
Mídias são indicadas para substituir substratos vinílicos

Mídias são indicadas para substituir substratos vinílicos

A Fisher Textiles, fabricante de mídias para comunicação visual, apresentou no mercado internacional seis novos tecidos para a impressão látex e UV.

Três das novas mídias são da linha Bannyl, composta por substratos sem PVC mas com a mesma durabilidade do vinil. Também são resistentes ao vinco e fáceis de manusear e instalar, além de ter propriedades antichamas. Entre os tecidos Bannyl estão o GF 7100 (para aplicações retroiluminadas em mercados e feiras), o GF 7200 (com excelente ponto branco) e o GF 7300 DS (para banners dupla face opacos).

Os demais tecidos recém-lançados pela Fisher Textiles são:

DD 4141 Paradise BOB: oferece alto nível de opacidade para aplicações em estandes de feiras. Além de antichamas, a parte de trás da mídia é preta;

DD 7170 Diverse: indicado para soft signage, a mídia oferece reprodução de cores de alta qualidade e é dimensionalmente estável. De poliéster (100%), esse tecido é retardador de chama;

DD 7180 Banner Lust: de poliéster branco brilhante, essa mídia é indicada para composição de displays de alto nível e aplicações de publicidade de varejo. Ele apresenta acabamento refinado para sinalizações de alto padrão. Também é antichamas.

Fonte: Fisher Textiles



Sinalização digital externa e as cidades inteligentes

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/03/2019
Tecnologia pode ser usada para melhorar os centros urbanos

Tecnologia pode ser usada para melhorar os centros urbanos

Não há dúvida de que a sinalização digital externa está mudando a cara de muitas cidades. Não se trata apenas de empresas tentando aumentar suas receitas por meio da tecnologia; ela faz parte das mudanças pelas quais estão passando as “cidades inteligentes”.

Em 2018, 55% da população mundial estava vivendo em áreas urbanas. O número deve aumentar para 68% até 2050. São mais 2,5 bilhões de pessoas procurando por lares, serviços e empregos em centros urbanos já lotados.

As “cidades inteligentes” adotam tecnologias para melhorar serviços, e a sinalização digital externa parece ser parte fundamental desse processo, pois está em linha com as tendências físicas, tecnológicas e ambientais da atualidade. Há instalações que melhoram a vida em áreas urbanas, ao oferecer bons serviços, manter as pessoas seguras e melhorar a qualidade de vida.

Serviços melhores

A sinalização digital de autoatendimento é cada vez mais comum. Elas são quiosques interativos, máquinas de bilhetes, telas tácteis usadas em varejo e exibições automáticas em compras de drive-thru.

O reconhecimento facial pode ser o próximo passo para a sinalização digital de autoatendimento. O KFC na China está empregando exibições que sugerem refeições com base no sexo e na idade do cliente. Também na China, alguns displays externos de reconhecimento facial são usados pela polícia para monitoramento e identificação.

Segurança

Nos EUA, a sinalização digital também tem sido usada para fins não comerciais. Com as instalações existentes, as autoridades conseguem fornecer alertas meteorológicos em vários estados, a fim de avisar a população sobre furacões e possíveis desastres naturais. É um indicativo de que, em breve, veremos a sinalização digital sendo usada em tempos de crise nas cidades de todo o mundo.

Qualidade de vida

A sinalização digital pode tornar os centros urbanos lugares mais agradáveis. A cidade de Bentonville, no Arkansas (EUA), recentemente trocou alguns de seus outdoors estáticos por digitais, que permitem que vários anunciantes compartilhem o mesmo espaço, em um loop contínuo de conteúdo. Por isso, a cidade conseguiu reduzir o número total de outdoors e melhorar a aparência da região.

As tendências relacionadas às características físicas, tecnológicas e ambientais da sinalização digital externa permitem que empresas e governos ofereçam serviços melhores para um número maior de pessoas. Essas tendências e seus benefícios garantem o crescimento contínuo da sinalização digital externa nos centros urbanos. Com essa integração, todos saem ganhando.

Fonte: DigitalSignageToday



InfoSign fecha parceria com a SGIA

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/12/2013

Parceria visa alimentar o mercado brasileiro com informações de qualidade

Parceria visa alimentar o mercado brasileiro com informações de qualidade

O InfoSign acaba de fechar uma importante parceria com a SGIA (Specialty Graphic Imaging Association), associação internacional especializada em impressão. Referência no setor, a instituição é conhecida também por apresentar grandes inovações em sua feira anual.

De acordo com Michael Robertson, presidente da SGIA, a participação brasileira na feira tem sido expressiva. "No evento deste ano, em Orlando, tivemos a presença de 87 brasileiros, totalizado 11% dos participantes latino-americanos. Com a ajuda de veículos como o InfoSign, que trabalham para informar a comunidade, esperamos que em 2014, em Las Vegas, esse número seja ainda maior", afirmou.

Segundo o executivo, a indústria do Brasil é extremamente auspiciosa: "A comunidade gráfica brasileira está crescendo. A implementação de tecnologias de ponta e a produção de produtos de alta qualidade se destacam, resultando em um importante fator para o crescimento da economia brasileira".

Para Robertson, a América Latina deve ser analisada. "É importante que olhemos cada país. Cada nação possui seus pontos fortes e suas oportunidades. De modo geral, estamos notando que vários locais adotam melhorias para conquistar uma posição mais competitiva", pontuou.

Animado com a parceria, Robertson comentou: "Estamos ansiosos para apoiar organizações que oferecem educação e desenvolvimento à comunidade, e acreditamos que o Infosign é um recurso importante para os produtores gráficos de todo o Brasil".

Além de divulgar novidades sobre a SGIA, o Infosign publicará artigos técnicos escritos por especialistas da associação internacional. Com a parceria, mais informações de qualidade chegarão ao público brasileiro.