Feira Signs Nordeste espera receber 8 mil visitantes em 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/09/2013

Signs Nordeste: feira leva novidades à região

Signs Nordeste: feira leva novidades à região

Agendada para ocorrer entre os dias 29 de outubro e 01 de novembro, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza (CE), a edição 2013 da Signs Nordeste, feira de impressão digital e serigrafia, promete apresentar novos equipamentos, materiais e mídias para técnicos e empresários da região.

Faça sua inscrição
Baixe a planta da feira

Segundo a FCEM Feiras e Congressos, organizadora do evento, a exposição contará com os principais fornecedores de equipamentos serigráficos e de impressão digital sediados atualmente no país. Também serão apresentados lançamentos de lonas, adesivos, substratos e tintas.

No ano passado, a primeira edição da feira contou com 45 marcas, que exibiram tecnologias para mais de 5 mil profissionais. Para 2013, a expectativa é que o evento atraia mais de 8 mil pessoas.

Além das marcas que expuseram em 2012, o visitante encontrará, numa área de exposição ainda maior, prestadores de serviço e publicações técnicas. O evento ainda conta com apoio das seguintes entidades:

  • Abigraf (Associação Brasileira da Indústria Gráfica);
  • Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos);
  • Fortaleza Convention & Visitors Bureau;
  • Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas);
  • Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial);
  • Sindicato da Indústria Gráfica do Ceará.

Veja fotos da edição passada da feira Signs Nordeste:

Os visitantes poderão ver tecnologias de sublimação em funcionamento

Os visitantes poderão ver tecnologias de sublimação em funcionamento

Em 2012, a feira atraiu cerca de 5 mil pessoas

Em 2012, a feira atraiu cerca de 5 mil pessoas

Em 2013, a organizadora pretende angariar 8 mil visitantes

Em 2013, a organizadora pretende angariar 8 mil visitantes

Visitante vai poder conferir novas impressoras digitais

Visitante vai poder conferir novas impressoras digitais

Feira dá ênfase a tecnologias de impressão digital

Feira dá ênfase a tecnologias de impressão digital

Fonte: Signs Nordeste



Impressão digital ganha destaque no relatório de tendências globais da Drupa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/03/2014

Maior feira de impressão do mundo, a Drupa, cuja próxima edição ocorrerá de 31 de maio a 10 de junho de 2016, em Dusseldorf (Alemanha), comprometeu-se a publicar uma série de estudos sobre tendências e mudanças no mercado internacional de impressão.

Acaba de ser lançado o Drupa Global Trends, primeiro relatório da organização, cujos resultados têm como base pesquisas realizadas com um grupo de executivos de gráficas, fornecedores e consumidores de impressão de todo o mundo.

Realizada no fim de 2013, a pesquisa contou com aproximadamente 2.500 tomadores de decisão de 119 países; 58% deles eram de gráficas, 21%, de fornecedores e 21%, de clientes finais.

O documento revela um número de tendências críticas compartilhadas por todas as regiões econômicas e por todos os segmentos de impressão.

De acordo com a Drupa, 65% das gráficas no mundo usam impressão digital

De acordo com a Drupa, 65% das gráficas no mundo usam impressão digital

O relatório confirma que há uma grande transformação estrutural em curso na indústria mundial de impressão, juntamente com a ocorrência de margens mais apertadas. Além desses, há outros pontos de grande destaque no estudo:

  • Há sinais claros de que as condições econômicas mundiais estão melhorando. Consequentemente, a indústria global de impressão planeja aumentar seus investimentos nos próximos 12 meses. A América do Norte está na liderança, pois acelerou o ritmo de grandes transformações ao investir pesado em tecnologia, TI e novos serviços. Nos países emergentes, o aumento da demanda é a razão para o crescimento;
  • A atividade de impressão está se transformando de indústria de produção em massa para ramo prestador de serviços. É evidente a demanda por novas soluções e modelos de negócios que reflitam as novas necessidades dos clientes;
  • A impressão digital está cada vez mais presente no parque gráfico. Entre os provedores de serviços de impressão, 65% usam tanto métodos convencionais quanto digitais, e um terço das gráficas comerciais obtem um quarto ou mais de suas rendas por meio da impressão digital. Mas a tecnologia convencional continua a ser um importante pilar para o setor.

O primeiro relatório da Drupa oferece uma avaliação inicial do estado atual da indústria de impressão. A fim de monitorar as tendências em curso, a pesquisa será repetida anualmente. Além disso, a Drupa publicará uma série de relatórios com insights para oferecer análises detalhadas sobre tópicos de relevância para a indústria.

A Drupa também está desenvolvendo uma pesquisa sobre os impactos da internet na indústria de impressão, que será lançado em 2014. O objetivo será apresentar os efeitos causados pelo e-commerce, marketing digital, comunicação de massa e TI. E mostrará como as estratégias e os modelos de negócios precisam ser adaptados.

Fonte: What They Think



Seis tendências para o mercado global de impressão de grande formato

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/05/2015

Censo da Fespa consultou mais de 1.200 empresas de várias regiões do globo

Censo da Fespa consultou mais de 1.200 empresas de várias regiões do globo

A Fespa, federação internacional de indústrias de impressão digital e comunicação visual, publicou recentemente o resultado de uma pesquisa sobre o mercado global no qual atua. Trata-se do Censo Fespa, que revelou seis tendências e consultou mais de 1.200 empresas entre maio de 2014 e abril de 2015.

Metade das empresas que responderam a pesquisa era do continente americano, 42% dos participantes eram da Europa e 8%, da região asiática do Pacífico.

Segundo a Fespa, as empresas consultadas representam todo o espectro dos negócios do mercado, pois incluem birôs de impressão digital e serigrafia (34%), gráficas comerciais (15%), signmakers (13%), designers (7%), agências de publicidade (5%) e outros. Como novidade, a pesquisa incluiu fabricantes industriais, que representaram 8% dos consultados e desempenham atualmente papel considerável na comunidade de usuários de impressão digital.

Como resultado, a pesquisa obteve seis tendências para o mercado internacional, que são:

Otimismo

Dos consultados, 80% estão otimistas com seus próprios negócios. Isso excede o otimismo geral em relação ao setor (14%). Esse otimismo individual fundamenta-se no sucesso comercial. Nos mercados desenvolvidos, as receitas médias mais do que dobraram, passando de 3 milhões de euros em 2007 para mais de 6,25 milhões de euros em 2015.

Demandas dos clientes – a impressão como indústria de serviço

A demanda dos clientes é a razão para que as empresas de impressão façam esforços contínuos para entregar trabalhos mais rápidos, just-in-time, dentro de prazos estabelecidos e com possibilidade de personalização. Pelo menos 70% dos entrevistados esperam que essas quatro tendências cresçam, o que reforça a ideia de que as empresas de impressão atualmente são dirigidas para entregar serviços. A adoção de processos digitais (sistemas de produção, fluxo de trabalho, automação e web-to-print) é motivada por essas expectativas.

Mudança no portfólio de produtos – da produção de massa para customização em massa

Os principais materiais produzidos pelas empresas que responderam a pesquisa são banner (49%), poster (40%), sinalização (38%) e outdoor (37%).

Um crescimento expressivo foi sentido na produção de tecidos impressos para os mercados de moda e decoração, com mais de 80% dos entrevistados relatando uma expansão na demanda por essas aplicações.

A mudança no mix de aplicações também foi refletida pelo crescimento dos substratos rígidos, que representam 25% da saída das empresas consultadas.

Tecnologia digital possibilita mudanças

Quase metade dos entrevistados para o Censo Fespa indicaram intenções em comprar equipamentos de impressão de grande formato, com um plano de investimento na faixa de 100 mil euros.

Os planos de compras são dominados pelas impressoras UV (27%), têxteis (21%), solvente (17%), ecossolvente (16%) e látex (14%). Já para acabamento, as cortadoras e laminadoras são as máquinas preferidas.

A maior parte desses investimentos (45%) é motivada pela abertura de novos mercados e aplicações. Mas outras questões, como melhoria da qualidade de impressão, aumento da capacidade e velocidade e redução de custos, também entram nos planos de investimento.

Crescimento da impressão têxtil nos segmentos gráfico, industrial e de moda e decoração

Segundo o Censo Fespa, 27% do consultados estão envolvidos com impressão de vestuário e 81% enxergam as perspectivas de crescimento desse segmento. A tecnologia digital é um elemento chave e mais da metade dos entrevistados espera que a estamparia digital têxtil torne-se uma alternativa importante para a impressão serigráfica nos próximos dois anos. As impressoras têxteis têm lugar de destaque nos planos de investimento, com 21% dos entrevistados planejando investir nessa tecnologia. Os substratos têxteis continuam a crescer no segmento de sinalização, com 67% dos entrevistados apontando crescimento do soft signage.

A integração entre mídias digitais e impressão de displays e sinalização

Mais de três quartos dos consultados esperam que a sinalização digital cause impactos nos negócios de grande formato num futuro próximo, com 36% dos entrevistados afirmando que essas tecnologias já fazem parte do negócio. E 31% dos participantes planejam oferecer soluções de sinalização digital nos próximos 12 meses.

Fonte: Fespa