Feira Signs Nordeste chega à terceira edição em 2014

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/05/2014

Maior feira regional do país, Signs Nordeste 2014 será realizada em outubro

Maior feira regional do país, Signs Nordeste 2014 será realizada em outubro

A Signs Nordeste, maior feira regional dedicada a impressão digital e serigrafia, confirma a terceira edição do evento, que acontecerá entre os dias 14 e 17 de outubro de 2014, das 15h às 21h, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza (CE).

Para a edição de 2014, a organização da feira, a FCEM, está preparando o I Fórum Acrílico Norte Nordeste, em parceria com o Indac (Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico). Além disso, serão realizados seminários e palestras sobre os assuntos discutidos e as tecnologias exibidas na feira.

Em 2013, o evento recebeu cerca de 5.400 profissionais, que tiveram oportunidade de visitar 80 estandes. Neste mesmo ano, foi realização o II Seminário Norte Nordeste para a Indústria Gráfica e Digital.

Fonte: Signs Nordeste



Case: outdoor digital que se descabela

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/02/2014

Mídia digital foi instalada no metrô de Estocolmo, na Suécia

Mídia digital foi instalada no metrô de Estocolmo, na Suécia

Arthut C. Clarke, um dos escritores mais prolíficos e proféticos da ficção científica, certa vez cravou: "Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia". Hoje são incontáveis as novas e surpreendentes tecnologias que comprovam a assertiva do autor de 2001: Uma Odisseia no Espaço. E o mercado das propagandas digitais está apinhado de exemplos de instalações tecnomágicas. Uma delas causou grande comoção recentemente entre os passageiros do metrô de Estocolmo, capital da Suécia.

Para apresentar uma nova linha de produtos para cabelo, a Apotek, marca de produtos farmacêuticos, instalou uma peça de sinalização digital que interagia não apenas com o público, mas – principalmente – com o ambiente.

Na plataforma do metrô, foram colocadas telas digitais equipadas com sensores ultrassônicos que monitoravam as chegadas dos trens. Assim que o primeiro vagão surgia na estação, os sensores sinalizavam aos players que o vídeo exibido nas telas deveria mudar, mostrando a modelo com cabelos esvoaçando (em função do movimento do trem).

Assista ao vídeo que mostra a instalação em funcionamento:

Fonte: Mashable



Por que instalações com vinis adesivos falham? (parte 1)

Por Eduardo Yamashita em 08/08/2014

Na primeira parte deste artigo técnico, conheça os problemas que podem acontecer na instalação de vinis adesivos

Na primeira parte deste artigo técnico, conheça os problemas que podem acontecer na instalação de vinis adesivos

Imagens em vinil adesivo podem ser usadas para produzir anúncios, cartazes, outdoors, banners e envelopamento de veículos. Quando tudo vai bem, as imagens duram e são eficientes e atraentes. No entanto, é possível acontecer muitos erros na instalação dos vinis – a maioria dos trabalhos não é perfeita. Se a imagem instalada tem bolhas ou rugas, o trabalho fracassou. Se o vinil começa a levantar, ressecar ou levantar da superfície, a falha é grave.

A "falha do vinil" acontece quando o cliente rejeita a imagem por causa da baixa qualidade do trabalho ou porque o vinil não adere como deveria. Ao entender as causas das falhas da aplicação, é possível impedi-las. Este artigo identifica problemas, analisa causas e recomenda soluções nas instalações de vinis.

Problemas de instalação

Falta de capacitação

As falhas mais comuns do envelopamento de veículo são: bolhas, rugas, acabamento mal feito, posicionamento inadequado e baixa aderência do vinil adesivo. Os quatro primeiros estão relacionados à instalação e raramente ocorrem quando o instalador é qualificado. Na instalação, não basta ter uma espátula e saber qual lado do vinil é pegajoso. Dependendo da situação, é necessária a contratação de um profissional para ensinar e treinar a equipe.

Adesão

A baixa aderência do vinil adesivo é recorrente em recortes, contornos de objetos (acessórios) salientes e bordas da imagem. A limpeza inadequada provoca fraca adesão da película. Portanto, coloque em prática técnicas de limpeza que usem soluções adequadas e panos (um molhado, para esfregar com a solução de limpeza, e um seco, para remover a solução antes da evaporação do solvente). Também realize movimentos minuciosos e metódicos. Preste atenção extra às bordas da superfície. A instalação será prejudicada caso a pressão da espátula seja insuficiente ou se não houver espatulação adequada.

Alongamento excessivo

Se vinil é esticado em demasia, sua memória pode levantá-lo. Portanto, nunca estique o vinil em superfícies planas ou ligeiramente curvadas. Para partes simples dos veículos, quando a forma só muda em uma direção, aplique a película de modo descontraído. Instale o vinil até os recuos (baixos relevos ou curvas complexas) e trabalhe-o na primeira área rebaixada completamente. Jamais deixe uma área para ser empurrada (esticada) para o recuo. Em seguida, aplique o vinil para a área seguinte, do mesmo modo.

A maioria dos veículos tem curvas complexas que mudam de forma em mais de uma direção ao mesmo tempo. É impossível conformar o vinil (sem esticá-lo) de uma curva simples em uma complexa. Mesmo os melhores vinis (projetados para as superfícies mais complexas) são incapazes de envolver uma bola em uma só peça, sem emendas, cortes ou rugas.

O vinil tem limites, e profissionais só devem vender e produzir em superfícies que tenham probabilidade de sucesso. A regra de ouro para curvas complexas é esticar o vinil o mínimo necessário.

O sucesso da aplicação depende do vinil certo e impresso corretamente, instalado numa superfície limpa, esticado minimamente e pós-aquecido.

Pós-aquecimento

O pós-aquecimento ocorre depois de a imagem ter sido devidamente aplicada. Ela deve estar completamente livre de defeitos, áreas soltas ou bolhas.

O vinil é aquecido com um soprador térmico de ar quente sob a temperatura máxima. Deve-se movê-lo lentamente em toda a área da imagem.

Verifique com o fabricante do vinil a temperatura recomendada para cada filme. Geralmente varia de 100ºC a 150ºC.

Recomenda-se um reforço cuidadoso e metódico de pós-aquecimento nas áreas com curvas complexas, assim como em todas as partes da imagem.

Leia a segunda parte desse artigo técnico.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual