Epson conclui obras de nova fábrica de cabeças de impressão

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 10/07/2018
Planta vai triplicar a capacidade de produção de chips PrecisionCore

Planta vai triplicar a capacidade de produção de chips PrecisionCore

No Japão, a fabricante Seiko Epson concluiu a construção de uma nova fábrica dedicada a produzir chips de impressão inkjet PrecisionCore. As obras haviam começado em 2016. O novo empreendimento, que começará a operar no ano fiscal de 2018 (que termina em 31 de março de 2019), triplicará a capacidade atual de confecção dos chips.

Segundo a empresa, a fábrica será o segundo local de produção dos eletrônicos PrecisionCore, que atualmente são fabricados na província de Nagano, também no Japão. A Epson também frisou que a estrutura, as instalações e os equipamentos da nova planta apresentam excelente resistência a desastres, o que reforça a segurança na continuidade de negócios da marca.

O novo empreendimento também foi projetado para atingir uma produtividade espacial 20% maior do que as fábricas existentes. Além disso, conta com departamento de pesquisa e desenvolvimento, o que lhe granjeia um papel fundamental na melhoria da qualidade e produtividade das cabeças de impressão.

Sob o lema “Epson 25 Corporate Vision”, a empresa busca atender aos mercados de impressão comercial, industrial e em escritórios. No ano fiscal de 2018, a marca planeja vender 9,5 milhões de unidades de impressoras, um aumento de 1,7 milhão em relação ao ano fiscal de 2017.

Nos setores comercial e industrial, a empresa espera que haja uma substituição acelerada de soluções analógicas para as digitais, o que gerará um crescimento significativo do mercado de impressoras de sinalização, tecidos e rótulos. Para tanto, a Epson continuará a fortalecer suas linhas de impressoras de grande formato. A nova fábrica permitirá à empresa expandir sua presença nesses segmentos, além de reforçar sua capacidade de lidar com um aumento esperado de médio alcance na demanda por cabeças de impressão.

Fonte: Epson



Entrevista com Ricardo Augusto Lie, sócio-diretor da Ampla

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/04/2016
Ricardo Augusto Lie, sócio-diretor da Ampla Digital

Ricardo Augusto Lie, sócio-diretor da Ampla Digital

Há mais de uma década, a Ampla Digital marca presença no mercado nacional entre as grandes fornecedoras de comercialização e fabricação de impressoras digitais de grande formato. Para manter e ampliar sua posição, a fabricante sofistica anualmente seu portfólio de equipamentos, para dar conta da constante demanda por tecnologias mais robustas, produtivas e versáteis. Recentemente, além de atender a birôs e gráficas nacionais, a empresa tem investido em uma nova rede de distribuição internacional, para expandir seus negócios a outros países, sobretudo da América Latina. Para falar mais sobre esses e outros assuntos, o InfoSign entrevistou o sócio-diretor da Ampla Digital Ricardo Augusto Lie, que também tratou de perspectivas de negócios, projetos e lançamentos.

InfoSign: A Ampla planeja fazer lançamentos em 2016?

Ricardo Lie: Sim, vamos apresentar em primeira mão na feira Serigrafia Sign 2016 a Ampla Elite 3204, impressora com 3,2m de largura que pode trabalhar na velocidade de até 80m²/h. Ela é indicada para o empresário de pequeno ou médio porte que planeja investir em um segundo equipamento. Esperamos visitantes e clientes em nosso estande para conhecer de perto a máquina.

Como a Ampla tem enfrentado a atual retração do mercado brasileiro?

Fazendo os ajustes necessários – como todas as empresas. Porém, estamos mantendo o foco no novo posicionamento mercadológico definido pela nova diretoria da empresa.

Qual a expectativa de negócios para os próximos meses?

Nossas expectativas são positivas. Consideramos tanto o potencial de nossa linha de produtos (incluindo o lançamento da Elite 3204) quanto uma definição do nosso cenário político-econômico, com uma consequente retomada da confiança dos empresários.

Como funciona o modelo de negócios da Ampla, considerando os representantes do mercado brasileiro?

Estamos desenvolvendo uma qualificada rede de distribuidores em todo o país, cujo trabalho será complementado pelas vendas diretas da empresa. Os distribuidores nos tornam mais próximos dos clientes e também agilizam o feedback e o trabalho de pós-venda.

Quais as perspectivas para o mercado externo?

Também temos perspectivas muito otimistas para o mercado externo, considerando que, além do Brasil em sua totalidade, a Ampla possui distribuidores nos seguintes mercados e países: América Central, Argentina, Bélgica, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia, Egito, Equador, Índia, México, Peru, Reino Unido, Rússia e Uruguai. 

Como tem funcionado o esquema de comercialização e instalação de máquinas em países estrangeiros?

O projeto é todo desenvolvido em conjunto com o cliente pela equipe técnica da Ampla com o apoio dos distribuidores internacionais.

O Programa Portas Abertas contempla quais benefícios e ações de apoio ao cliente?

Aumentar a proximidade com o cliente e criar uma oportunidade confortável de ele expor suas necessidades, além de conhecer e indagar sobre a Ampla, seus produtos e serviços.

Além da comunicação visual, a Ampla pretende atuar em outros mercados?

Comunicação visual ainda é o nosso maior negócio, mas hoje os pilares de atuação da Ampla se focam também nos mercados de estamparia digital para a indústria têxtil (favorecida pela evolução dos tecidos em poliéster, que aumenta o valor agregado pela personalização das peças) e de impressão digital industrial em segmentos como o coureiro, calçadista, moveleiro, de decoração e de embalagens.

Isso é parte da filosofia da nova diretoria?

Este é um movimento natural de crescimento e qualificação do mercado que a nova diretoria da Ampla considera de importância estratégica vital não apenas seguir, mas, se possível, antecipar.



Plavitec apresenta novo vinil adesivo

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/03/2013

PlaviBlackout Fosco: novidade da Plavitec

PlaviBlackout Fosco: novidade da Plavitec

A Plavitec, fabricante de vinis adesivos, anunciou o lançamento de mais uma película para adesivação. Chamado PlaviBlackout Fosco, o material se molda sobre curvas e contornos com facilidade.

O vinil, que possui fundo preto, foi especialmente desenvolvido para eliminar imagens sobrepostas, pois trata-se de um autoadesivo branco fosco, mas com verso escuro.

Ideal para aplicações de médio e longo prazo, o PlaviBlackout está disponível nas larguras de 1m, 1,22m e 1,50m, e pode ser usado na criação de outdoors, PDVs, envelopamentos, entre outras aplicações de comunicação visual.

Fonte: Plavitec