Empresa desenvolve mecanismo de projeções aéreas 3D

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/11/2014

Feixes de laser são projetados no ar para gerar imagens 3D

Feixes de laser são projetados no ar para gerar imagens 3D

A Aerial Burton, empresa japonesa de tecnologia, desenvolveu um display capaz de projetar textos e imagens pixeladas em pleno ar, que podem ser utilizadas para sinalização.

A tecnologia emprega um conjunto de espelhos que refletem feixes de laser infravermelho. A área em que os raios se concentram é ionizada, processo que libera fótons que podem ser vistos a olho nu.

O display ainda está em fase de desenvolvimento, e a empresa busca criar mecanismos que possam ser acoplados em plataformas móveis (como carros ou ambulâncias).

Akira Asano, diretor da Aerial Burton, declarou: "O diferencial desse dispositivo é o fato de ele poder exibir textos e imagens em pleno ar sem fazer uso de uma tela".

Fontes: DigiInfo e Tecmundo



Case: Uranus2 e Signmaker contam sobre a Anapurna H1650i, da Agfa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/10/2018
Executivos de birôs contam suas experiências com a impressora Anapurna H1650i

Executivos de birôs contam suas experiências com a impressora Anapurna H1650i

É um fenômeno gradual e incontestável: a impressão UV está cada vez mais presente nos parques gráficos dos birôs. Uma das razões para essa consolidação é a chegada paulatina de novos equipamentos de entrada – mais acessíveis, mas não menos vantajosos. Um bom exemplo desse tipo de máquina é a recém-lançada Anapurna H1650i, da Agfa. Com 1,6m de largura e sistema LED de cura, trata-se de impressora híbrida capaz de trabalhar com mídias rígidas de diversos tipos e substratos flexíveis em rolos (o interessado no equipamento pode entrar em contato com a Top Suuply). 

Além de economizar energia e durar mais que as lâmpadas UV tradicionais, o sistema LED, em função de sua “cura fria”, permite a impressão de materiais sensíveis ao calor. Portanto, é uma ferramenta que possibilita o trabalho com um número expandido de substratos. Pedro Dourado, diretor da Uranus2, birô referência no mercado nordestino de comunicação visual, foi um dos primeiros a adquirir e usar com sucesso a Anapurna H1650i no Brasil. Segundo o executivo, o equipamento, instalado há pouco mais de um mês na empresa, já estampou poliestireno, PVC, MDF, acrílico, acetado, PETG, papelão, filmes backlit, adesivos, canvas e até tecidos. São mídias que foram empregadas em fine art, sinalização e materiais promocionais. Dourado conta que boa parte de sua clientela ficou surpresa pela impressão com relevo produzida em algumas peças: “Por conta da versatilidade nas impressões, o equipamento tem sido uma ferramenta vantajosa para nós”.

Fabricio Perez, diretor da Signmaker, também adquiriu há poucos meses uma unidade da Anapurna H1650i. O birô paulistano tem aproveitado o potencial da impressora para estampar lonas, chapas de PVC, adesivos, ACM e tecidos, para diversas aplicações, como banners, adesivos e displays para PDV e sinalização ambiental. Perez revela um de seus trabalhos mais bem-sucedidos produzidos na máquina: “Atendemos um hospital de ponta em São Paulo. Fornecemos adesivos decorativos para os diversos setores do local. O cliente ficou surpreso com a qualidade das imagens e também dos adesivos transparentes com impressão em branco para os vidros”.

Pedro Dourado, diretor da Uranus2: redução de custos com matéria-prima e mão de obra

Tinta branca

A impressão de branco certamente é um dos grandes trunfos da Anapurna H1650i. Além da tecnologia de deposição de películas mais finas de tinta, que diminui o consumo do insumo, a máquina estampa o branco em camadas (pré, intermediária e pós), função que produz materiais diferenciados e de maior valor agregado. A Uranus2 tem se beneficiado disso e produzido diversas aplicações que levam tinta branca. Um dos melhores exemplos é a impressão em alto-relevo. Já para o diretor da Signmaker, “o branco é um diferencial para nós, pois produzimos muitos materiais transparentes, como chapas e vinis adesivos. Muitas vezes, nossos clientes também pedem o branco localizado. E a qualidade da tinta branca da Agfa tem ótima cobertura e durabilidade”.

UV de 1,6m

Além da tinta branca, a impressora UV LED da Agfa é capaz de imprimir diretamente em muitos substratos, o que amplia a versatilidade do equipamento. Esse é um dos maiores motivos pelos quais – apesar de a máquina ter 1,6m de largura – ela não compete com seus pares de tecnologia solvente, cujo mercado é eminentemente composto por modelos com 1,6m. Trata-se mais de uma ferramenta para complementar a produção. Perez adquiriu a Anapurna H1650i com esse fim. A ideia principal foi expandir a oferta de trabalho e potencializar o parque produtivo da Signmaker, que já contava com um equipamento de 2,5m e uma impressora plana. O executivo esclarece: “A escolha pela largura de 1,6m se deve pelo investimento relativamente baixo dada a capacidade do equipamento”.

Fabricio Perez, diretor da Signmaker: surpreendendo clientes com a impressão de tinta branca

Potencial

Satisfeito com a assistência oferecida pela fornecedora, Dourado exalta a importância que a Anapurna H1650i teve para os negócios da Uranus2: “Como exemplo, posso citar a redução de custos com matéria-prima e mão de obra em aplicações de poliestireno, sobre o qual podemos imprimir diretamente”.

Além de oferecer a vantagem da impressão direta em uma gama maior de mídias, o equipamento trabalha com materiais com espessura de 45mm, em modos de produção que variam do draft (na velocidade de 63m²/h) ao de alta qualidade (7m²/h).

É importante frisar que a Agfa fornece uma solução coesa, que compreende não apenas a impressora, mas também as tintas originais e o Asanti, software de fluxo de trabalho que controla o processo da pré-impressão até o acabamento. Isso torna o equipamento mais confiável, outra razão para a Signmaker ter realizado a aquisição da Anapurna H1650i, processo feito por meio da Top Supply, distribuidora da Agfa em São Paulo.

Para Perez, a impressora deu maior potência à Signmaker, além de ter sido o primeiro equipamento UV LED adquirido pela empresa. “Tenho certeza que ela abrirá o caminho para a renovação do nosso parque produtivo. Nossos clientes exigem sempre uma evolução na qualidade das soluções que oferecemos a eles. A Anapurna H1650i até o momento tem sido bem satisfatória”, revela o diretor.

Impressão de tinta branca: um dos grandes diferenciais da Anapurna H1650i
Esse conteúdo teve a Agfa como mecenas.

 



Taxa de 3% ao ano do FINAME PSI ajuda no financiamento de impressoras

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/02/2013

financiamento e impressora digital

Empresas que compram bens de capital (como impressoras digitais) fabricados no Brasil podem ainda contar com o financiamento FINAME PSI. Esse programa seria encerrado em dezembro de 2012, porém foi renovado.

Os benefícios oferecidos pelo FINAME PSI são: taxa de 3% ao ano (até 30/06/13) e 3,5% ao ano (entre 01/07 e 31/12/13), prazo de pagamento de até 120 meses e carência de até 24 meses.

Como a Ampla Digital é fabricante brasileira de impressoras digitais (grandes formatos), ela disponibiliza, com exclusividade, esta linha de financiamento aos interessados.

Entre os clientes da empresa que já se beneficiaram do FINAME PSI, está Luis Antônio Fontes, sócio proprietário da Publiart Comunicação Visual, de Alta Floresta (MT), que comprou uma impressora Ampla Rio 8100, em 2012.

Outro empresário que também aproveitou a oportunidade foi Mauro Gewehr, sócio-proprietário da Taura Gráfica e Serigrafia, de Santa Rosa (RS): "Pagar menos juros significa economia. Financiar com essa taxa reduzida é garantia de investimento, já que não preciso usar o meu capital de giro para a aquisição."

Os sócios da Taura Gráfica e Serigrafia, de Santa Rosa (RS), Mauro Gilberto Gewehr e William Daniel Gewehr, acompanhados do técnico externo da Ampla, Maicon Roberto Vieira

Os sócios da Taura Gráfica e Serigrafia, de Santa Rosa (RS), Mauro Gilberto Gewehr e William Daniel Gewehr, acompanhados do técnico da Ampla, Maicon Roberto Vieira

Para mais informações sobre o FINAME PSI e impressoras de grandes formatos, entre em contato com a Ampla Digital.

Fonte: Ampla