EKTA lança displays de LED para sinalização digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 02/05/2013

Display de LED para sinalização digital

Display de LED para sinalização digital

A EKTA, fornecedora de soluções de sinalização digital, passa a vender novos displays de LED. Chamadas iLVM 4C-Qs LED-Wall Indoor (para ambientes internos) e LVM 6C-Q LED-Wall Outdoor (para sinalização externa), as novidades contam com sistemas projetados e construídos na Ucrânia.

De acordo com a marca, ambos contam com melhorias na qualidade da tela, brilho e resolução, bem como aperfeiçoamentos que conferem maior durabilidade, confiabilidade e flexibilidade.

Com os produtos, é possível criar sinalizações com tamanhos e formatos diversos, com instalação fixa ou móvel, mantendo a alta qualidade da imagem, independendo do local da instalação.

Destinado a uma base diversifica de clientes, as novidades contam ainda com tecnologia 3D, para melhorar a experiência de visualização do conteúdo exibido. "A EKTA se orgulha de estar na vanguarda da tecnologia de displays de LED, e estamos desenvolvendo continuamente novas formas para melhorar a experiência visual", comentou Oleg Bogomolov, gerente geral de vendas.

"Além de oferecer efeitos visuais ilimitados, as telas proporcionam outros benefícios, por isso esperamos que elas gerem uma demanda significativa", completou Bogomolov.

Fonte: Digital Signage Connection



EFI procura por aquisições e parcerias para 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/02/2013

Recentemente, Guy Gecht, CEO da EFI, fabricante de soluções gráficas, expôs a analistas as vantagens de realizar parcerias, aquisições e sociedades do tipo OEM. O executivo mostrou exemplos de casos bem-sucedidos, como a recém-fechada aquisição da Cretaprint, fabricante de máquinas para a indústria cerâmica. Além disso, o CEO adiantou que, em 2013, mais uma parceria será feita com a Xerox, outra fabricante de soluções gráficas.

Dentro da EFI, outra área que também já se beneficiou com aquisições e parcerias é a de inkjet, que registrou um crescimento de receita de 33,3%, em 2012. Já a receita de softwares da empresa cresceu 27,5%.

Além disso, as vendas de tinta UV, para impressoras Vutek, teve o seu terceiro ano consecutivo de crescimento, de mais de 20% no volume vendido do insumo. Com as vendas de produtos inkjet industrial, a EFI estima gerar, no primeiro trimestre de 2013, uma receita na faixa de US$163 milhões.

EFI procura

Fonte: PrintWeek



Aplicação de vinil adesivo: a seco ou úmida

Por Eduardo Yamashita em 27/06/2015

Conheça prós e contras de cada um dos métodos de aplicação

Conheça prós e contras de cada método

Na hora de adesivar vinis, em uma parede ou ao fazer o envelopamento de carros, os profissionais de instalação e aplicação deparam-se com uma dúvida elementar: usar método úmido ou a seco?

A diferença entre eles é a presença (ou não) de água, elemento cujo objetivo é criar uma "película" entre o adesivo (cola) e a superfície. A água diminui a aderência (tack) inicial do adesivo. Isso facilita a aplicação, pois o adesivo fica com menos área de contato com a superfície.

Na aplicação úmida, é possível reposicionar o vinil até que o aplicador encontre a posição correta da película. No método a seco, como a aderência é total, não é possível fazer o reposicionamento do vinil.

Cada método tem prós e contras, resumidos a seguir:

  Vantagens    Desvantagens
Aplicação úmida
- Baixa adesão do adesivo (cola) à superfície;
- Reposicionamento total do vinil;
- Facilidade nos encaixes entre vinis.
- Adesão inicial mais demorada;
- Elevado tempo de instalação (em função da secagem da água);
- Necessário ambiente adequado para trabalhos com água;
- Limitado a superfícies planas ou curvas simples.
Aplicação a seco
- Não precisa de tempo adicional antes do acabamento;
- Poder ser usado em qualquer superfície.
- Necessário uso de fitas de posicionamento da imagem;
- Alta aderência do adesivo (cola) à superfície;
- Difícil reposionamento.

 

A seco ou úmida

Uma pergunta bastante frequente é: Qual método devo utilizar? Para obter a resposta, você vai precisar saber o tipo de superfície sobre a qual será aplicado o vinil adesivo.

O método a seco é indicado para qualquer tipo de superfície. Já o úmido é indicado apenas para superfícies planas ou com curvaturas simples.

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A pergunta seguinte é: Por quê? Porque, ao aplicar o método úmido em superfícies complexas (com curvaturas compostas e baixos relevos), não é possível remover toda a água utilizada no processo. Ou seja, o trabalho deixa resíduos entre o adesivo e a superfície, formando microbolhas de água — imperceptíveis após a aplicação.

Quando o vinil aplicado é submetido ao calor (do sol), as microbolhas levantam o vinil, que resseca com o tempo e acaba rompendo-se, causando estragos irrecuperáveis à imagem. Portanto, ao facilitar a aplicação, corre-se o risco de prejudicar todo o trabalho.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 27 de junho de 2013. Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.