EFI vende um milhão de litros de tinta em menos de um ano

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/01/2013

Recentemente, a EFI, fabricante de impressoras digitais, anunciou que, entre janeiro e novembro de 2012, vendeu um milhão de litros de tinta UV (em todo o mundo). Segundo os representantes da companhia, isso é um reflexo do aumento contínuo dos clientes que empregam impressão de grande formato.

"Atingirmos a marca de um milhão de litros de tinta UV vendidos em um período de 11 meses confirma a posição da EFI como líder no mercado, e mostra o quanto nosso produto é de confiança", afirmou Scott Schinlever, vice-presidente sênior e gerente geral de soluções de jato de tinta da EFI.

Segundo Schinlever, a ideia da empresa é inovar levando em conta o que almejam seus clientes. "Atingir este marco é uma indicação de que a EFI formula tintas de alta qualidade, combinadas com as nossas tecnologias de impressão de grande formato. Essas soluções atendem as demandas de pequenas tiragens, com qualidade e velocidade de produção", disse.

Em seu portfólio, a EFI conta com diversos produtos voltados para a impressão digital. Além das tintas ultravioletas, ela também trabalha com sistemas de cura LED.

Impressoras EFI consumiram mais de um milhão de litros de tinta UV em 2012

Impressoras EFI consumiram mais de um milhão de litros de tinta UV em 2012

Fonte: EFI. Texto: InfoSign



Aberto o credenciamento para visitantes da Serigrafia Sign 2017

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/03/2017
Evento chega à 27ª edição

Evento chega à 27ª edição

O interessado em visitar a Serigrafia Sign 2017, feira que será realizada entre os dias 12 e 15 de julho, no Expo Center Norte, já pode fazer seu credenciamento pelo site: http://www.serigrafiasign.com.br/pt/visitar/credenciamento.

O evento, que ocorre das 13h às 20h, é considerado um dos principais canais de realização de negócios, visibilidade e networking de expositores e visitantes. Com 27 anos, a feira é organizada pela Informa Exhibitions, maior organizadora de eventos, conferências e treinamentos do mundo. 

A Serigrafia Sign apresenta soluções de áreas como serigrafia, sublimação, grandes formatos, estamparia têxtil, decoração de interiores, materiais promocionais, brindes e personalização, sinalização digital, entre outras.

Fonte: Serigrafia Sign



Como escolher e armazenar papéis para sublimação

Por João Leodonio em 28/11/2017
Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

O mercado oferece muitos tipos de papéis para sublimação, vendidos em folhas ou rolos. Por isso, muitos compradores desses itens fundamentais acabam se confundindo diante de tantas opções e, consequentemente, adquirem materiais inadequados. A seguir, compilamos informações cruciais sobre tipos, gramaturas e armazenamento de papéis sublimáticos. Com o conhecimento delas, o usuário certamente poderá adquirir, utilizar e manipular de forma correta esses artigos básicos da sublimação.

Recomendação importante para todos os casos de papéis listados abaixo: após a impressão e até a prensagem, os materiais devem ser mantidos como antes da impressão, ou seja, sem contato com umidade, poeira e, principalmente, luz.

Papéis sublimáticos para impressão offset (folha a folha)

Para o processo de impressão offset, não há a necessidade de usar papel tratado, que pode ser offset ou jornal. No entanto, a carga de tinta (densidade) tem de ser controlada. Além disso, as pilhas de papel na saída da impressora têm de ser menores, para não ocorrer a transferência de imagem de uma folha para o verso da outra, o que compromete a qualidade da imagem, sobretudo no momento da prensagem.

Gramatura: varia de 54g/m² a 75g/m².

Armazenamento: recomendável manter em local sem umidade, pó e calor excessivo. Conservar os papéis empacotados até o momento da utilização, pois se a umidade relativa do ar estiver muito alta, eles podem ondular, o que dificulta a entrada em máquina. Já a umidade baixa pode provocar estática, que também dificulta a entrada da mídia na impressora. Recomenda-se o controle de temperatura (entre 20ºC e 25ºC) e umidade relativa (entre 45% e 60%).

Modo correto de armazenar papel offset em pacotes

Papéis sublimáticos para impressoras A3 e A4

Nas impressoras “caseiras” são utilizados, normalmente, os formatos A3 e A4. Nesses casos, os papéis sem tratamento não são recomendados, pois a tinta tende a ancorar na massa mecânica da mídia, o que dificulta a pssagem do insumo para o tecido. Para compensar esse problema, muitas empresas aumentam a carga de tinta impressa, o que, consequentemente, onera o processo. Além disso, é importante frisar que a maioria dos perfis de cor disponíveis no mercado não estão preparados para materiais não revestidos. Portanto, o recomendado é usar papéis tratados (resinados) e perfis adequados.

Gramatura: varia de 75g/m² a 125g/m², dependendo de tipo de serviço a ser executado. Muitas fornecedoras oferecem papéis com bom desempenho, e vale testar qual deles entrega a quantidade de tinta adequada para a prensagem correta.

Armazenamento: não expor a umidade, pó e calor excessivo. Manter em pacotes fechados até o momento da utilização. Recomenda-se usar estufas de armazenagem para manter a integridade física do substrato.

Estufa para papéis A3

Papéis sublimáticos para impressão de grande formato

Para impressões em grande formato, utiliza-se tanto papel tratado como papel offset sem tratamento. A largura e o comprimento das mídias variam de acordo com a capacidade de cada impressora digital.

Gramatura: varia entre 56g/m² e 90g/m², dependendo do tipo de serviço a ser executado (textos ou chapados).

Armazenamento: recomenda-se manter os rolos em ambiente controlado (temperatura e umidade relativa) e sem exposição a poeira e luz. Mantê-los empacotados até o momento da utilização.

Modo correto de armazenar papel em rolo

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático