EFI Optitex disponibiliza ferramenta de personalização de roupa em 3D

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/02/2018
3D Design Illustrator agiliza o fluxo de trabalho de criação de vestuário

3D Design Illustrator agiliza o fluxo de trabalho de criação de vestuário

A EFI Optitex, fornecedora de plataformas de vestuário 2D e 3D, lançou o Optitex 3D Design Illustrator, plug-in que permite aos designers validar e personalizar, no Adobe Illustrator, peças de roupas em 3D. A ferramenta foi anunciada na 19ª edição do EFI Connect, em Las Vegas (EUA). Por meio dela, os designers podem visualizar peças de roupa em 3D (com a proporção e escala precisas) e criar estampas exclusivas sem ter de esperar por uma amostra impressa.

O plug-in importa arquivos de estampas 2D e 3D ou bibliotecas de blocos modulares para o Adobe Illustrator e ativa uma janela com uma representação 3D da estampa lado a lado. Os usuários podem exportar o arquivo final como uma imagem ou arquivo 3D, validar designs entre as equipes e enviá-los para a impressão digital direta ou sublimática.

A EFI também oferece os plug-ins de design têxtil Fiery DesignPro para Adobe Illustrator e Photoshop, em plataformas de computação Mac ou Windows. O Fiery DesignPro aumenta a velocidade da criação têxtil de forma econômica, para que os designers façam testes com mais confiança e propaguem as cores com mais regularidade.

Guy Alroy, gerente de produtos têxteis, EFI Productivity Software, declarou: “A adoção da tecnologia 3D é uma necessidade para quase todas as empresas de moda. Nesse setor, é importante integrar todas as equipes, do design à produção. Com o 3D Design Illustrator, todas as equipes podem ativar os recursos 3D para agilizar o processo de design e os fluxos de trabalho, além de se concentrar na criatividade, reduzir a necessidade de criar protótipos físicos e colocar o produto mais rapidamente no mercado”.

Veja no vídeo abaixo (em inglês) como o 3D Design Illustrator funciona:

 

Fonte: EFI



Dicas de armazenamento de vinil autoadesivo

Por Eduardo Yamashita em 18/11/2013

A primeira dica é fazer um levantamento de todos os substratos (mídias) usados na empresa. Se você trabalha com adesivação e envelopamento, vai encontrar vinis autoadesivos em rolos, folhas recortadas e imagens impressas. A seguir, veja a melhor forma de armazená-los.

Ambiente

Para armazenar os substratos, é necessário ter um ambiente seco e limpo (livre de sujeira e água). Isso porque as partículas sólidas podem contaminar a superfície dos filmes de PVC (dos vinis).

A contaminação afeta o desempenho da mídia. Já a umidade pode ser absorvida pelo liner (de papel), o que diminui a estabilidade do vinil durante a impressão ou o recorte.

Temperatura do ambiente

A temperatura do ambiente deve ser controlada. O ideal é trabalhar entre 20ºC e 30ºC. Lembre-se: a performance do adesivo do vinil pode ser alterada em ambiente com temperatura elevada. Além disso, o tempo de vida do material fica reduzido.

Outro componente que pode ser afetado é o PVC. Existe a possibilidade de o plastificante migrar para a superfície do filme, contaminando-o e provocando problemas na impressão digital; se migrar para a camada de adesivo, diminui a vida útil do vinil autoadesivo.

Umidade do ar

A umidade do ar deve ser controlada pelos mesmos motivos descritos no item anterior. Recomenda-se que ela fique em torno de 50% – e nunca mais de 75%.

Equipamentos

Equipamentos de controle de umidade são caros. Por isso, é comum ver empresas utilizando apenas condicionadores de ar, que são removedores de umidade. Então, se você os utiliza para diminuir a temperatura, saiba que eles também removem a umidade do ar do ambiente.

Se possível, invista em equipamentos de controle de umidade de ar

Se possível, invista em equipamentos que controlam a umidade de ar

Armazenamento

Importante: os rolos de vinil devem ficar suspensos, pois dessa forma o peso da mídia não se concentra numa região da bobina, assim não se formam marcas cíclicas na impressão e no filme de PVC. Há materiais cuja embalagem tem um suporte que evita o contato da mídia com qualquer superfície.

A dica é não descartar o suporte que vem na embalagem. Ele é fundamental para manter o material em suspensão (a imagem abaixo ajuda a entender isso) e diminui o espaço ocupado pelos rolos de vinil autoadesivo.

Armazenamento de rolos suspensos

Armazenamento de rolos suspensos

Evite armazenar os rolos em pé, pois as bordas das bobinas podem ser contaminadas e também absorver umidade indesejada. Nunca os deixe na posição horizontal nem apoiados a uma superfície (mesa, piso, prateleira etc).

Proteja os rolos com um saco plástico para não acumular poeira. Use os plásticos que vêm nas próprias embalagens dos rolos.

No caso das folhas cortadas, armazene-as em montes embalados com filmes plásticos, para não sofrerem contaminações de poeira e para manter a umidade do liner do vinil.

Evite armazenar os rolos em pé ou deitados e apoiados

Evite armazenar os rolos em pé ou deitados e apoiados

As imagens impressas devem ser enroladas e armazenadas. Nunca use diâmetros menores que o do tubete original. E jamais enrole a mídia de maneira que a imagem fique "voltada" para dentro. Isso prejudica a performance do material. Para proteger a última volta do rolo, enrole um plástico ou papel. E não empilhe as imagens umas sobre as outras, pois as debaixo podem ser prejudicadas pelo peso das que ficam em cima.

Para finalizar, é importante destacar a importância da vida útil dos materiais. Obedeça sempre as instruções do fabricante e respeite os prazos de validade. Caso contrário, você poderá enfrentar problemas de baixa aderência do vinil à superfície.

 

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.



Sinalização digital: BMW monta janela para o futuro

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/12/2012

Entre a Rua 42 e a Sexta Avenida, em frente ao Bryant Park, na cidade de Nova York (EUA), a BMW montou uma janela inteligente, que "refletia" o futuro dos carros que passavam em frente a ela.

A "BMW i Window Into The Near Future" (algo como "A janela BMW do Futuro Próximo") transformava digitalmente os veículos que passavam pela rua em carros-conceito BMW i3 (elétrico) e BMW i8 (híbrido).

Chamando a atenção até mesmo dos incautos, a sinalização digital usou películas adesivas e vários dispositivos de alta tecnologia: três câmeras, um aplicativo de rastreamento de carros, aparelhos para detecção de movimento e projeções de 80.000 lumens.

A janela também contava e mostrava a quantidade de carros que passavam. Em uma semana, 248.368 veículos foram transformados digitalmente.

O objetivo da ação foi apresentar a visão da fabricante alemã sobre o futuro sustentável da mobilidade. No vídeo da campanha (ver abaixo), a BMW mostra que, se todos os carros que passaram pela janela fossem realmente os veículos-modelo  (e elétricos), seriam economizados 493.507.216 dólares de gasolina, e haveria a redução de 1.324.919 toneladas de CO2 por ano.

Fonte: Digital Signage Today. Texto: InfoSign