EFI lança no Brasil impressora EFI Pro 24f

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/12/2017
Impressora UV LED vem com mesa de 1,2 x 2,4m

Impressora UV LED vem com mesa de 1,2 x 2,4m

A fabricante EFI anunciou o lançamento no Brasil da EFI Pro 24f, impressora UV LED indicada para produção de peças de sinalização, displays fotográficos retroiluminados, reproduções de arte, interruptores de membrana, sobreposições gráficas, impressões lenticulares e outras aplicações especializadas.

Com mesa de 1,2 x 2,4m, o equipamento inclui sistema a vácuo com várias zonas, para eliminar a máscara e garantir registro preciso. Segundo a empresa, a tecnologia LED da impressora garante baixo consumo de energia, desperdício mínimo e compatibilidade com substratos mais finos e termossensíveis.

O EFI Fiery proServer Core, front-end digital embutido, oferece processamento rápido de trabalho e variedade de opções de gerenciamento de cores.

A Superior Signs & Engraving, birô sediado em Kansas, nos EUA, foi o primeiro usuário da EFI Pro 24f no mundo. Adam Stiles, sócio da empresa, declarou: “Ficamos surpresos quando a impressora começou a trabalhar. Ela produz cores vibrantes e tem uma velocidade de impressão excelente. Na verdade, dobramos nossa produção nos trabalhos de mesa com essa nova impressora. Além disso, a tinta branca um branco opaco e luminoso, que aumentou nossa qualidade de impressão”.

Fonte: EFI



Epson apresenta papel transfer UltraPrint 90 para sublimação

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/02/2014

A Epson Brasil apresentou o papel transfer UltraPrint 90, que possui resina especialmente desenvolvida para receber a Epson UltraPrint DS, tinta sublimática original da empresa.

Criado para trabalhar em conjunto com as soluções da fabricante japonesa, o UltraPrint 90 influi diretamente na impressão e no consumo de tinta. Evelin Wanke, especialista de produtos Epson, declarou: "É possível notar a melhor relação custo-benefício do UltraPrint 90 quando comparado a outras soluções do mercado, como papéis offset e monolúcido de outras marcas".

Papéis transfer originais poupam tinta e aumentam a qualidade de impressão

Papéis transfer originais poupam tinta e aumentam a qualidade de impressão

A importância de utilizar o papel transfer correto

O papel transfer interfere em todo o processo de sublimação. Atualmente, há muitas ofertas no mercado, e grande parte das empresas, especialmente as menos experientes, escolhe o papel em função do preço (custo do metro quadrado). Todavia, essa não é a forma correta de adquirir o material.

Considere que, para cada mililitro de tinta absorvido e não transferido, deve ser acrescentado de R$0,20 a R$0,35 ao custo final do metro quadrado impresso.

Para conhecer o desempenho do material, a recomendação é realizar testes para avaliar a quantidade de tinta que o papel absorve. Evelin Wanke, especialista de produtos Epson, ressalta: "Ao utilizar um papel que custa R$0,60/m2 e absorve 4ml de tinta, haverá desperdício de R$0,80 a R$1,40 de tinta por metro quadrado".

Testes e custos

Para mostrar a economia de tinta gerada ao utilizar o papel UltraPrint 90, a Epson realizou testes comparativos.

Na primeira etapa do procedimento, foi impressa uma imagem em um papel monolúcido que custa R$0,70/m². Para obter o resultado de impressão desejado, o papel utilizou 8ml de tinta (R$2,64). O custo total dessa produção, considerando tinta e papel, foi de R$3,34/m2.

O outro teste foi realizado com papel UltraPrint 90, que custa R$1,10/m². Para a impressão da mesma imagem da etapa anterior, foram gastos 4ml de tinta (R$1,32). O custo total, considerando tinta e papel, foi de R$2,42/m2.

No teste, o papel monolúcido apresentou um custo de impressão 38% maior do que a solução da Epson.

Além do papel UltraPrint 90, a fabricante oferece o programa de fidelidade Epson Rewards. A cada rolo de papel transfer utilizado, o cliente acumula pontos. Depois de um ano, pode-se trocá-los por garantia estendida ou descontos em novos equipamentos.

Tipos de papéis usados na transferência térmica

Confira abaixo uma relação dos materiais mais utilizados no mercado de impressão por sublimação:

Sulfite ou offset: não foi desenvolvido para a transferência de tinta sublimática. As empresas utilizam-no por ser uma opção barata. Porém, ele absorve volume muito grande de tinta. Isso aumenta o custo final de impressão, pois é alta a quantidade desperdiçada do insumo.

Monolúcido ou calandrado: muito utilizado no processo de sublimação. Possui superfície menos porosa que o offset. Em função da calandragem, o papel torna-se mais liso, o que diminui a absorção de tinta e aumenta a transferência do insumo para o substrato a ser sublimado. O desperdício de tinta nesse tipo de papel é grande, pois ele não possui uma cobertura para bloquear a absorção de tinta.

Papel tratado: possui tratamento para evitar a absorção de tinta. Ele contém uma resina adequada para o processo de sublimação. O papel tratado é mais caro, porém, utiliza quantidade menor de tinta. Na maioria das vezes, diminui o custo final do metro quadrado impresso.

Fonte: Epson



HP apresenta tecnologias látex e UV na Serigrafia Sign 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/06/2013

Os visitantes poderão ver a HP Latex 260 de perto

Os visitantes poderão ver a HP Latex 260 de perto

Durante a feira Serigrafia Sign 2013, a HP vai apresentar seu portfólio de equipamentos para impressão de grande formato. As soluções látex estarão representadas pelas HP Latex 260 (com largura de 1,55m), HP Latex 280 (2,64m) e HP Latex 850 (3,2m). Para os interessados em tecnologia UV, a empresa vai apresentar a HP Scitex FB700, com 2,5m de largura e tinta branca opcional.

Além das máquinas, os visitantes poderão conferir aplicações, como bolsas, almofadas, sofá, puffs, envelopamento de carro e adesivação de parede e piso. Também estarão materiais impressos em mídias flexíveis (vinil adesivo, lona, tecido e papel de parede) e rígidos (metal, vidro, acrílico, PVC e madeira).

HP Scitex FB700 vai ser exposta no estande da HP

HP Scitex FB700 vai ser exposta no estande da HP

A HP também ressalta que seu papel de parede não contém PVC e pode ser impresso com tintas látex. Essa aplicação possui certificação verde da GREENGUARD.

Além disso, a empresa anuncia o rebranding de suas linhas HP Designjet e HP Scitex, que agora tornaram-se HP Latex. Alguns modelos foram reconfigurados:

  • HP Latex 260, substitui a HP Designjet L26500;
  • HP Latex 280, substitui HP Designjet L28500;
  • HP Latex 820, substitui HP Scitex LX820;
  • HP Latex 850, substitui HP Scitex LX850.

A HP é pioneira no desenvolvimento de tinta látex. Desde 2008, a fabricante instalou mais de 15 mil impressoras com essa tecnologia e espera triplicar esse número até 2016.

Confira mais informações e novidades sobre a Serigrafia Sign e seus expositores.

Fonte: HP Brasil