EFI atualiza softwares de impressão de grandes formatos

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 20/05/2018
Fabricante anunciou novas versões do Fiery XF e Fiery Command WorkStation

Fabricante anunciou novas versões do Fiery XF e Fiery Command WorkStation

A fabricante EFI apresentou novas versões de duas soluções para impressão de grandes formatos: a Fiery XF e a Fiery Command WorkStation.

Segundo a empresa, o Fiery Command WorkStation possui interface especial para gerenciamento, layout e edição de trabalhos de impressão digital. Com ele, é possível gerenciar, ao mesmo tempo, várias impressoras em vários os ambientes.

Já no Fiery XF 7 é um front end digital que permite velocidades de produção até cinco vezes mais rápidas do que as versões anteriores.

A Medienhaven GmbH, empresa de impressão digital com sede em Bremen, na Alemanha, usou uma versão beta de teste do Fiery XF 7, e colheu os benefícios. Peer Rüdiger, diretor Geral da empresa, declarou. “Com base em nossa experiência, estimamos economizar cerca de 10% no tempo de inatividade, por não precisar usar diferentes aplicativos para administrar diferentes tecnologias de impressoras”.

De acordo com um estudo da Keypoint Intelligence, consultoria norte-americana especializada na indústria de imagem digital, o volume das impressões de grandes formatos está aumentando, e muitos empresários do segmento planejam comprar uma nova impressora de grande formato nos próximos dois anos.

Fonte: EFI



Case: Uranus2 e Signmaker contam sobre a Anapurna H1650i, da Agfa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/10/2018
Executivos de birôs contam suas experiências com a impressora Anapurna H1650i

Executivos de birôs contam suas experiências com a impressora Anapurna H1650i

É um fenômeno gradual e incontestável: a impressão UV está cada vez mais presente nos parques gráficos dos birôs. Uma das razões para essa consolidação é a chegada paulatina de novos equipamentos de entrada – mais acessíveis, mas não menos vantajosos. Um bom exemplo desse tipo de máquina é a recém-lançada Anapurna H1650i, da Agfa. Com 1,6m de largura e sistema LED de cura, trata-se de impressora híbrida capaz de trabalhar com mídias rígidas de diversos tipos e substratos flexíveis em rolos.

Além de economizar energia e durar mais que as lâmpadas UV tradicionais, o sistema LED, em função de sua “cura fria”, permite a impressão de materiais sensíveis ao calor. Portanto, é uma ferramenta que possibilita o trabalho com um número expandido de substratos. Pedro Dourado, diretor da Uranus2, birô referência no mercado nordestino de comunicação visual, foi um dos primeiros a adquirir e usar com sucesso a Anapurna H1650i no Brasil. Segundo o executivo, o equipamento, instalado há pouco mais de um mês na empresa, já estampou poliestireno, PVC, MDF, acrílico, acetado, PETG, papelão, filmes backlit, adesivos, canvas e até tecidos. São mídias que foram empregadas em fine art, sinalização e materiais promocionais. Dourado conta que boa parte de sua clientela ficou surpresa pela impressão com relevo produzida em algumas peças: “Por conta da versatilidade nas impressões, o equipamento tem sido uma ferramenta vantajosa para nós”.

Fabricio Perez, diretor da Signmaker, também adquiriu há poucos meses uma unidade da Anapurna H1650i. O birô paulistano tem aproveitado o potencial da impressora para estampar lonas, chapas de PVC, adesivos, ACM e tecidos, para diversas aplicações, como banners, adesivos e displays para PDV e sinalização ambiental. Perez revela um de seus trabalhos mais bem-sucedidos produzidos na máquina: “Atendemos um hospital de ponta em São Paulo. Fornecemos adesivos decorativos para os diversos setores do local. O cliente ficou surpreso com a qualidade das imagens e também dos adesivos transparentes com impressão em branco para os vidros”.

Pedro Dourado, diretor da Uranus2: redução de custos com matéria-prima e mão de obra

Tinta branca

A impressão de branco certamente é um dos grandes trunfos da Anapurna H1650i. Além da tecnologia de deposição de películas mais finas de tinta, que diminui o consumo do insumo, a máquina estampa o branco em camadas (pré, intermediária e pós), função que produz materiais diferenciados e de maior valor agregado. A Uranus2 tem se beneficiado disso e produzido diversas aplicações que levam tinta branca. Um dos melhores exemplos é a impressão em alto-relevo. Já para o diretor da Signmaker, “o branco é um diferencial para nós, pois produzimos muitos materiais transparentes, como chapas e vinis adesivos. Muitas vezes, nossos clientes também pedem o branco localizado. E a qualidade da tinta branca da Agfa tem ótima cobertura e durabilidade”.

UV de 1,6m

Além da tinta branca, a impressora UV LED da Agfa é capaz de imprimir diretamente em muitos substratos, o que amplia a versatilidade do equipamento. Esse é um dos maiores motivos pelos quais – apesar de a máquina ter 1,6m de largura – ela não compete com seus pares de tecnologia solvente, cujo mercado é eminentemente composto por modelos com 1,6m. Trata-se mais de uma ferramenta para complementar a produção. Perez adquiriu a Anapurna H1650i com esse fim. A ideia principal foi expandir a oferta de trabalho e potencializar o parque produtivo da Signmaker, que já contava com um equipamento de 2,5m e uma impressora plana. O executivo esclarece: “A escolha pela largura de 1,6m se deve pelo investimento relativamente baixo dada a capacidade do equipamento”.

Fabricio Perez, diretor da Signmaker: surpreendendo clientes com a impressão de tinta branca

Potencial

Satisfeito com a assistência oferecida pela fornecedora, Dourado exalta a importância que a Anapurna H1650i teve para os negócios da Uranus2: “Como exemplo, posso citar a redução de custos com matéria-prima e mão de obra em aplicações de poliestireno, sobre o qual podemos imprimir diretamente”.

Além de oferecer a vantagem da impressão direta em uma gama maior de mídias, o equipamento trabalha com materiais com espessura de 45mm, em modos de produção que variam do draft (na velocidade de 63m²/h) ao de alta qualidade (7m²/h).

É importante frisar que a Agfa fornece uma solução coesa, que compreende não apenas a impressora, mas também as tintas originais e o Asanti, software de fluxo de trabalho que controla o processo da pré-impressão até o acabamento. Isso torna o equipamento mais confiável, outra razão para a Signmaker ter realizado a aquisição da Anapurna H1650i, processo feito por meio da Top Supply, distribuidora da Agfa em São Paulo.

Para Perez, a impressora deu maior potência à Signmaker, além de ter sido o primeiro equipamento UV LED adquirido pela empresa. “Tenho certeza que ela abrirá o caminho para a renovação do nosso parque produtivo. Nossos clientes exigem sempre uma evolução na qualidade das soluções que oferecemos a eles. A Anapurna H1650i até o momento tem sido bem satisfatória”, revela o diretor.

Impressão de tinta branca: um dos grandes diferenciais da Anapurna H1650i
Esse conteúdo teve a Agfa como mecenas.

 



Kiian lançará tintas pigmentadas para impressão têxtil na ITMA 2015

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/11/2015
Kiian Digital lançará tintas pigmentadas para impressão têxtil

Kiian Digital lançará tintas pigmentadas para impressão têxtil

A Kiian, fabricante de insumos para impressão digital, estará presente na ITMA 2015, feira têxtil que ocorre entre os dias 12 e 19 de novembro, em Milão, Itália. A empresa promete lançar no evento a Digistar K-Choice, linha de tintas pigmentadas à base d’água para equipamentos de impressão direta em tecidos.

Indicadas para o mercado de moda e vendidas em diversas cores, as tintas Digistar K-Choice garantem a reprodução de uma ampla gama de tons. Segundo a empresa, os insumos podem prolongar a vida útil das cabeças de impressão e estão em conformidade com as normas e padrões de qualidade da indústria têxtil.

Marco Girola, especialista de marketing da Kiian Digital, declarou: “Juntas, as novas cabeças Kyocera e a tinta K-Choice oferecem alta produtividade e rápido retorno do investimento”.

Durante a ITMA, a Kiian também mostrará seu portfólio completo de tintas digitais, tanto para a impressão direta quanto para sublimação em tecidos, em equipamentos com cabeças Kyocera e Ricoh.

Fonte: Kiian