Drytac lançará filmes adesivos e revestimentos de parede na Fespa 2018

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/05/2018
Empresa exibirá novidades nas linhas ColorCapture, SpotOn e Polar

Empresa exibirá novidades nas linhas ColorCapture, SpotOn e Polar

A Drytac, fabricante de materiais autoadesivos, anunciou seus planos para a Fespa 2018, feira que ocorrerá em Berlim, na Alemanha, entre os dias 15 e 18 de maio. A empresa promete lançar materiais das linhas ColorCapture, SpotOn e Polar.

A ColorCapture é uma nova linha de mídias para decoração de paredes. Entre as opções da série estão revestimentos com acabamentos nas opções marfim, lona e couro. Além disso, a ColorCapture oferece quatro opções de adesivos: ativado por água, permanente, removível e ReTac (ultrarremovível e reposicionável). Os produtos são resistentes a rasgos, livres de encolhimento e certificados de acordo com os padrões europeus de proteção contra incêndios.

Para os visitantes da Fespa interessados em revestimentos de paredes, a Drytac também mostrará a ReTac Textures (revestimentos de PVC com relevo e texturas de linho, areia e madeira) e as linhas FabrikTac e SynTexture, de tecidos sintéticos.

Outra novidade que a Drytac mostrará na feira é o SpotOn PET, filme de poliéster de 75µ compatível com impressoras UV. A mídia incorpora tecnologia adesiva SpotOn, que permite fácil aplicação e remoção limpa de instalações feitas em janelas.

A Drytac também lançará o Polar Burst, filme de PVC de 95µ ultrarrefletivo e adesivo removível, para aplicações de alta qualidade de sinalização e varejo.

Fonte: Drytac



RIP Colorgate chega à versão 8

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/01/2014

Nova versão do RIP Colorgate tem compatibilidade com diversas impressoras de grande formato

Nova versão do RIP Colorgate tem compatibilidade com diversas impressoras de grande formato

A Colorgate, desenvolvedora de softwares gráficos, anunciou o lançamento da oitava versão de seu software RIP homônimo. A solução é indicada para quem trabalha com pré-impressão e impressão comercial, de grande formato ou de embalagens.

Os destaques do RIP são a ferramenta Output Management Sets (que realiza os ajustes de saída da impressora), a Ink Saver Module (que pode reduzir a quantidade de tinta consumida) e a nova Container+ (que melhora o nesting, com funções de centralização e margens).

Para o gerenciamento de cores, o RIP tem a Linearization Assistant e a Profiler Module PFM, que realizam respectivamente a linearização e a criação de perfis (o Colorgate 8 suporta ainda a linearização de cores especiais).

Ao pagar uma taxa anual, o cliente tem acesso a todas as atualizações do software Colorgate, além de contar com um tratamento especial do suporte técnico e descontos exclusivos.

Entre as impressoras que o Colorgate 8 suporta, estão:

  • Canon iPF6400;
  • Canon iPF8400;
  • Gongzheng Thunderjet A2502S;
  • Gongzheng Thunderjet A2602S;
  • HP Latex 3000;
  • Inca Onset S70;
  • Mimaki JFX 500;
  • Roland VS 300i;
  • Roland VS 540i;
  • Roland VS 640i;
  • Seiko ColorPainter M-64S;
  • Vutek QS2 Pro;
  • Vutek QS3 Pro;
  • Vutek GS2000 Pro;
  • Vutek GS2000Lx Pro;
  • Vutek GS3250 Pro;
  • Vutek Gs3250Lx Pro;
  • Vutek GS3250R.

Fonte: Colorgate



MTEX lança tecnologia digital de produção de amostras têxteis

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/11/2015
Mini-Lab foi desenvolvido para produzir amostras de tecidos estampados digitalmente

Mini-Lab foi desenvolvido para produzir amostras de tecidos estampados digitalmente

Durante a ITMA 2015, feira internacional que ocorre entre os dias 12 e 19 de novembro, na Itália, a MTEX, fabricante de equipamentos para estamparia têxtil, apresentará em primeira mão o Mini-Lab, sistema de produção de amostras de tecidos. A tecnologia é composta por um conjunto de equipamentos (coater, vaporizador, lavadora e secadora) combinado com uma impressora digital (com tinta pigmentada, ácida ou reativa).

Segundo a empresa, o Mini-Lab funciona da seguinte forma: o coater reveste a superfície de tecidos (algodão, linho e seda), a fim de prepará-los para a impressão digital. Depois de revestido, o material passa através de dois rolos para que o excesso de líquido seja retirado.

O tecido é então introduzido na secadora, para que fique pronto para a impressão. Logo após receber as imagens, o material é inserido no vaporizador, que possui um gerador de vapor embutido usado para manter a umidade sob controle.

No processo seguinte, o tecido é lavado em tanque específico e, finalmente, o material segue para o secador. Todo o fluxo de trabalho leva entre 20 e 30 minutos, dependendo do tipo de corante e do tempo no vaporizador.

Eloi Ferreira, CEO da MTEX, declarou: “Este é um dos lançamentos de 2015 mais importantes para a indústria. Trata-se de um sistema de estamparia digital têxtil de fácil operação e baixo custo, para produzir amostras sem comprometer o fluxo de trabalho”.

Fonte: MTEX