Dilli abre subsidiária na Europa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/03/2016
Subsidiária europeia da Dilli dará apoio técnico e comercial para distribuidores da região

Subsidiária europeia da Dilli dará apoio técnico e comercial para distribuidores da região

A Dilli, fabricante coreana de impressoras digitais, anunciou uma nova subsidiária sediada na Bélgica, para atender a região que inclui a Europa, a África e o Oriente Médio.

A ideia inicial da planta é principalmente desenvolver uma rede profissional de distribuidores regionais para dar suporte à comercialização de soluções inkjet voltadas ao mercado de rótulos e embalagens. Isso porque, durante a feira Labelexpo 2015, que ocorreu na Europa, a Dilli lançou a Neo-Mercury NM-350, equipamento exclusivamente voltado para impressão de embalagens.

A Dilli também pretende usar a subsidiária para dar apoio aos distribuidores e parceiros OEM regionais que vendem impressoras UV de grande formato. Segundo a empresa, mais de 3 mil instalações desses equipamentos já foram executadas na região. Portanto, o próximo passo é avançar seus negócios para o mercado de rótulos e embalagens.

Fonte: Dilli



Gerber lança 17 novas opções de vinis adesivos cast

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/05/2016
Mídias fazem parte da linha Gerber 220 High Performance

Mídias fazem parte da linha Gerber 220 High Performance

A fornecedora Gerber anunciou no mercado internacional a inclusão de 17 novas opções coloridas na linha Gerber 220 High Performance, composta por vinis adesivos cast fabricados pela 3M.

Vendidas em bobinas com largura de 15 ou 30 polegadas, as mídias foram desenvolvidas especificamente para otimizar a produção em impressoras Gerber Edge, oferecer corte de precisão e facilitar a aplicação. Os vinis contam com adesivo transparente que permite a marcação de duas vias em janelas e duração de até oito anos em aplicações externas.

Jay Dorman, diretor de vendas da Gerber, declarou: “Essas novas mídias possibilitam que empresas de sinalização expressem maior criatividade. Elas também oferecem mais opções para atender às exigências de cores dos clientes finais”.

Fonte: Gerber



Por que instalações com vinis adesivos falham? (parte 1)

Por Eduardo Yamashita em 08/08/2014

Na primeira parte deste artigo técnico, conheça os problemas que podem acontecer na instalação de vinis adesivos

Na primeira parte deste artigo técnico, conheça os problemas que podem acontecer na instalação de vinis adesivos

Imagens em vinil adesivo podem ser usadas para produzir anúncios, cartazes, outdoors, banners e envelopamento de veículos. Quando tudo vai bem, as imagens duram e são eficientes e atraentes. No entanto, é possível acontecer muitos erros na instalação dos vinis – a maioria dos trabalhos não é perfeita. Se a imagem instalada tem bolhas ou rugas, o trabalho fracassou. Se o vinil começa a levantar, ressecar ou levantar da superfície, a falha é grave.

A "falha do vinil" acontece quando o cliente rejeita a imagem por causa da baixa qualidade do trabalho ou porque o vinil não adere como deveria. Ao entender as causas das falhas da aplicação, é possível impedi-las. Este artigo identifica problemas, analisa causas e recomenda soluções nas instalações de vinis.

Problemas de instalação

Falta de capacitação

As falhas mais comuns do envelopamento de veículo são: bolhas, rugas, acabamento mal feito, posicionamento inadequado e baixa aderência do vinil adesivo. Os quatro primeiros estão relacionados à instalação e raramente ocorrem quando o instalador é qualificado. Na instalação, não basta ter uma espátula e saber qual lado do vinil é pegajoso. Dependendo da situação, é necessária a contratação de um profissional para ensinar e treinar a equipe.

Adesão

A baixa aderência do vinil adesivo é recorrente em recortes, contornos de objetos (acessórios) salientes e bordas da imagem. A limpeza inadequada provoca fraca adesão da película. Portanto, coloque em prática técnicas de limpeza que usem soluções adequadas e panos (um molhado, para esfregar com a solução de limpeza, e um seco, para remover a solução antes da evaporação do solvente). Também realize movimentos minuciosos e metódicos. Preste atenção extra às bordas da superfície. A instalação será prejudicada caso a pressão da espátula seja insuficiente ou se não houver espatulação adequada.

Alongamento excessivo

Se vinil é esticado em demasia, sua memória pode levantá-lo. Portanto, nunca estique o vinil em superfícies planas ou ligeiramente curvadas. Para partes simples dos veículos, quando a forma só muda em uma direção, aplique a película de modo descontraído. Instale o vinil até os recuos (baixos relevos ou curvas complexas) e trabalhe-o na primeira área rebaixada completamente. Jamais deixe uma área para ser empurrada (esticada) para o recuo. Em seguida, aplique o vinil para a área seguinte, do mesmo modo.

A maioria dos veículos tem curvas complexas que mudam de forma em mais de uma direção ao mesmo tempo. É impossível conformar o vinil (sem esticá-lo) de uma curva simples em uma complexa. Mesmo os melhores vinis (projetados para as superfícies mais complexas) são incapazes de envolver uma bola em uma só peça, sem emendas, cortes ou rugas.

O vinil tem limites, e profissionais só devem vender e produzir em superfícies que tenham probabilidade de sucesso. A regra de ouro para curvas complexas é esticar o vinil o mínimo necessário.

O sucesso da aplicação depende do vinil certo e impresso corretamente, instalado numa superfície limpa, esticado minimamente e pós-aquecido.

Pós-aquecimento

O pós-aquecimento ocorre depois de a imagem ter sido devidamente aplicada. Ela deve estar completamente livre de defeitos, áreas soltas ou bolhas.

O vinil é aquecido com um soprador térmico de ar quente sob a temperatura máxima. Deve-se movê-lo lentamente em toda a área da imagem.

Verifique com o fabricante do vinil a temperatura recomendada para cada filme. Geralmente varia de 100ºC a 150ºC.

Recomenda-se um reforço cuidadoso e metódico de pós-aquecimento nas áreas com curvas complexas, assim como em todas as partes da imagem.

Leia a segunda parte desse artigo técnico.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual