Dicas para um envelopamento perfeito – Parte 1

Por Eduardo Yamashita em 14/08/2016
Primeira parte do artigo aborda os tópicos projeto, escolha dos materiais, produção e preparação, para executar um envelopamento profissional

Primeira parte do artigo aborda os tópicos projeto, escolha dos materiais, produção e preparação, para executar um envelopamento profissional

Serviços de envelopamento de carros têm crescido em grande ritmo nos últimos anos, e muitas empresas de impressão estão tentando lucrar com esse crescimento. No entanto, trata-se de um trabalho que exige experiência e conhecimento em muitos campos, como projeto, materiais, produção, preparação, local de instalação, aplicação e pós-instalação. Nesta primeira parte, serão abordados os quatro primeiros itens.

Projeto

Para o desenvolvimento correto do projeto, o designer deve ter tanto vasta experiência e ferramentas adequadas como modelos recentes de diversos  veículos. Isso é necessário para criar um design sem imagens e mensagens distorcidas ou cortadas.

Cada ângulo, espaço e curva do veículo deve ser levado em consideração na concepção do envelopamento. Ignorar esses elementos resultará em um design difícil de ler e entender. Isso também terá efeito negativo sobre a imagem da empresa.

O design perfeito deve levar em consideração as medidas exatas do veículo

Escolha dos materiais

Há muitos fabricantes de vinis adesivos de alta e baixa qualidade. A dica é sempre escolher os materiais indicados e recomendados para envelopamento.

O resultado do envelopamento está diretamente ligado aos materiais empregados, bem como os custos envolvidos. Se a preocupação é por qualidade e longevidade, então será preciso utilizar vinil de alta qualidade.

É preciso ter em mente que, embora muitas vezes seja aplicado um vinil de marca, não significa que esse material seja a escolha certa para o projeto. Os fabricantes oferecem muitos tipos películas, desde os vinis cast de alto custo e qualidade até os mais baratos, com desempenhos menores, como os vinis calandrados.

A combinação do vinil com o laminado é também extremamente importante. É comum ver empresas utilizando vinis cast com laminado calandrado (e mais barato), a fim de reduzir custos. Laminados cast são, geralmente, três vezes mais caros. Embora a diferença do desempenho inicial não seja muito grande, com o passar do tempo o laminado calandrado começa a levantar muito mais rápido do que o cast. Além disso, o laminado calandrado não foi projetado para ser usado em curvas de veículos e soltará nos primeiros meses.

Portanto, os materiais desempenham um papel muito importante no envelopamento. Assim, mesmo que a empresa conte com os melhores designers e instaladores, se o material não for adequado, o envelopamento não terá a qualidade e a durabilidade desejadas.

A escolha do vinil adesivo adequado é fundamental para obter qualidade superior no envelopamento

Produção (impressão)

Depois de executar o design e escolher o vinil adequado, vem a etapa de impressão das imagens nas películas adesivas. Para tanto, são empregadas impressoras digitais de grande formato, que são bem mais complexas de operar do que os equipamentos de pequeno formato, geralmente usados em escritórios. Por exemplo, cada tipo de vinil exige a utilização de um perfil de cores específico. O perfil é um código criado especialmente para uma mídia. Ele informa à impressora exatamente o quanto de tinta deve ser utilizada na impressão, a fim de obter os melhores resultados na imagem final.

Muitos signmakers não se preocupam com essa etapa e tendem a usar perfis genéricos para todas as mídias. Isso resulta em imagens monótonas, acima ou abaixo de saturação, que simplesmente não parecem corretas.

Para cada tipo de vinil é necessário usar um perfil de cores específico

Preparação

Depois de obter o design, o material mais adequado e a melhor impressão, é chegada a hora de preparar o veículo para a instalação. Trata-se da parte mais demorada no processo de envelopamento. É quando o instalador tem de analisar cada milímetro da superfície do veículo, bem como verificar curvas, portas e para-lamas, para certificar-se de que eles estão totalmente limpos e sem cera.

O carro deve ser lavado um dia antes da instalação e deve estar seco. Uma solução especial, como desengraxante, é usada para limpar o veículo completamente, para remover qualquer resíduo de cera e graxa. Em seguida, deve-se empregar álcool para garantir que a solução aplicada anteriormente seja removida (caso contrário ele afetará o adesivo do vinil).

Jamais negligencie a limpeza do veículo antes da aplicação dos vinis

É importante salientar que mesmo a menor sujeira pode causar falhas na adesivação do vinil e, após um curto período de tempo, a película pode se destacar da superfície. Uma pequena área levantada permite que a água penetre sob o vinil e, eventualmente, cause o total fracasso do envelopamento.

Por ser mais demorada e exigir maior diligência, a preparação muitas vezes é negligenciada pelos instaladores.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Participe do primeiro Congresso Nacional de Comunicação Visual

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/08/2016
Congresso oferece dezenas de palestras virtuais grátis

Congresso oferece dezenas de palestras virtuais grátis

Entre os dias 29 de agosto e 4 de setembro, mais de 20 palestras sobre comunicação visual poderão ser acompanhadas gratuitamente por meio do site do Congresso Nacional de Comunicação Visual.

Serão apresentadas as melhores práticas em impressão, equipamentos, materiais, envelopamento, sublimação, fachadas em ACM, acrílico, LED, routers, corte a laser, softwares e gestão de negócios.

Organizado por Danilo Lopes e Suelen Montagna, da SmartLed, as palestras, que duram entre 30 e 60 minutos, serão ministradas por especialistas do mercado. As inscrições para assistir às transmissões devem ser realizadas no site, que envia por e-mail avisos de que as palestras estão para começar. Confira a programação do evento:

29 de agosto: Fachadas

- 13h: LEDs em comunicação visual: dicas e boas práticas para que seus projetos fiquem perfeitos. Palestrante: Danilo Lopes, da SmartLed

- 15h: ACM: o material revolucionário no segmento de fachadas. Palestrante: Victor Figueiredo, da Belmetal

- 20h: Crie novas oportunidades de negócio para sua empresa fabricando letras e símbolos em XPS. Palestrante: Luis Américo, da Build Spuma

30 de agosto: Oportunidades

- 9h: Oportunidades de negócio na sublimação digital. Palestrante: Moacir Ferreira, da Gênesis Tintas

- 15h: Sublimação: Dicas e aspectos técnicos fundamentais para ter sucesso neste setor. Palestrante: Cássio Rodrigues (consultor)

- 20h: Criatividade e inovação para amplitude de mercado em comunicação visual. Palestrante: Paula Paschoalino, da VP Máquinas

31 de agosto: Cortes

- 9h: Guia de compra para router e máquinas de corte a laser. Palestrante: Bruno de Oliveira, da Engraver

- 15h: Routers e lasers: características técnicas para a escolha da máquina perfeita para o seu negócio. Palestrante: Luan Rodrigues, da Engraver

- 20h: Otimize seus projetos e aumente seus lucros sabendo como escolher a fresa correta para cortes e gravações em comunicação visual. Palestrante: Wilson Lopes, da W&F

1º de setembro: Películas & Layouts

- 9h: Aprenda a agregar mais valor em seu trabalho e utilize as melhores práticas de aplicação do mercado em decoração, envelopamento automotivo e comunicação visual. Palestrante: Fernando Bifulco, da Imprimax

- 15h: Envelopamento automotivo: resolvendo problemas frequentes. Palestrante: Thiago Sossai, da Alltak

- 20h: Dicas e práticas para a criação de logotipos, layouts de projetos em comunicação visual. Palestrante: Suelen Montagna, da SmartLed

2 de setembro: Acrílico

- 9h: Acrílico e policarbonato em seus projetos podem fazer a diferença. Palestrante: Charles Dallamico, da Bold Acrílicos

- 15h: Procedimentos e dicas práticas para os processos de dobras em termoplásticos. Palestrante: Alexandre Paschoalino, da VP Máquinas

- 20h: Criatividade e ousadia nos projetos de comunicação visual como ferramentas para diferenciação e superação da crise. Palestrante: João Orlando, do Indac

3 de setembro: Gestão

- 9h: Os principais problemas das empresas de comunicação visual e como resolvê-los. Palestrante: Wilson Giglio (consultor)

- 15h: Tenha o controle do seu negócio: aprenda a dominar as variáveis que impedem o seu negócio crescer e descubra como a harmonia entre os diferentes setores de sua empresa pode ser a peça chave para o seu sucesso. Palestrante: Geraldo Raimundo, da Mubi Sistemas

- 20h: Custo e formação do preço de venda. Palestrante: Wilson Giglio (consultor)

4 de setembro: Impressão Digital

- 9h: Oportunidades de negócio em impressão digital e como a escolha correta dos equipamentos pode ser uma vantagem competitiva para o seu negócio. Palestrante: Tiago Barbosa, da Roland

- 15h: Aprenda a escolher a impressora digital correta para o seu negócio e as manutenções preventivas como peças chave para a produtividade e qualidade dos seus impressos. Palestrante: Cássio Rodrigues (consultor)

- 20h: A importância dos processos de calibração e gerenciamento de cores na qualidade de impressão. Palestrante: Marcelo Copetti, da EasyColor

Fonte: Congresso Nacional de Comunicação Visual



Como escolher prensa térmica para sublimação

Por João Leodonio em 22/12/2017
Plana, cilíndrica e cônica: saiba qual é a mais adequada para o seu negócio

Plana, cilíndrica e cônica: saiba qual é a mais adequada para o seu negócio

Na hora de adquirir uma prensa para sublimação, pergunte-se: em qual mercado vou atuar e quais formatos e quantidades quero atender? Com base nas respostas, será muito mais fácil pensar no tipo de prensa mais adequado para o seu negócio.

A mídia (televisão e redes sociais) vende muitas “soluções mágicas” para ganhar dinheiro com prensa térmica. Mas atente-se a essas propostas. A decepção por um investimento ruim e sem orientação pode ser maior do que a empolgação no momento da compra. Portanto, gastar tempo com pesquisa é melhor que você pode fazer para não frustrar um negócio promissor.

Prensa térmica plana para pequenos formatos

Com formatos que variam entre 23cm x 35cm e 50cm x 70cm, essas prensas podem vir ou não suporte (na maioria sem, e o comprador deverá confeccionar uma bancada ou pé) com uma ou duas bandejas, nas voltagens 110v ou 220v (recomenda-se as de 220v, por serem mais econômicas). Elas podem ser manuais, pneumáticas ou elétricas.

Recomenda-se adquirir um equipamento que atenda as medidas máximas dos produtos a serem prensados, além de escolher a voltagem mais econômica e preferir as marcas nacionais, por geralmente oferecerem uma assistência técnica mais ágil.

Prensas planas podem ser manuais, pneumáticas ou elétricas

Prensa térmica plana para formatos grandes (sublimação total)

A partir do formato de 50cm x 70cm, há dezenas de opções de dimensões de prensas planas para grandes formato. Também são encontradas com ou sem suporte, com uma ou duas bandejas (laterais ou sobrepostas), nas voltagens 110v ou 220v. Podem ser manuais, pneumáticas ou elétricas.

Como trata-se de um investimento maior, recomenda-se pesquisar muito e levantar a relação custo x benefício antes de adquirir o equipamento. Indica-se evitar as marcas importadas, por conta da má ou ausência de assistência técnica.

Prensa térmica cilíndrica e cônica

Há uma grande oferta de prensas térmicas cilíndricas com adaptações para sublimar objetos cônicos, geralmente sem suporte e nas voltagens 110v e 220v.

Há muitas ofertas e fabricantes, porém é importante desconfiar. Como nos casos das prensas planas, recomenda-se fugir das prensas importadas por conta da assistência técnica falha ou inexistente. As nacionais são, normalmente, mais caras, porém são vendidas por empresas que oferecem reposição de peças e manutenção muito melhor do que as concorrentes importadas.

Recomenda-se evitar promoções de pacotes (8x1 e 5x1), pois nos kits oferecidos algum dos produtos vão servir apenas para desencalhar o estoque do fornecedor.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático