DGI lança três impressoras têxteis digitais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/05/2017
Fabricante coreana disponibilizou as impressoras FT-1608, FT-1908 e FT-3204X

Fabricante coreana disponibilizou as impressoras FT-1608, FT-1908 e FT-3204X

A DGI, fabricante coreana de impressoras digitais, anunciou no mercado internacional três novos equipamentos para estamparia têxtil (FT-1608, FT-1908 e FT-3204X), para produção de vestuário e peças de sinalização e decoração.

Sublimáticas, a FT-1608 e FT-1908 empregam cabeças Panasonic de 720dpi e podem produzir 100 metros em duas horas e meia, o que, segundo a empresa, é duas a três vezes mais rápido do que a geração anterior de impressoras com cabeças Epson. Além disso, as máquinas incluem tanque de tinta de 6 litros e um sistema de take-up (opcional) para carregar rolos de até 400m.

Com 3,2m de largura, a FT-3204X é um equipamento híbrido que imprime tanto no tecido quanto no papel de transferência. A máquina pode integrar um sistema opcional de dois rolos para imprimir duas bobinas de 64 polegadas ao mesmo tempo.

Alex Moon, gerente de marketing da DGI, declarou: “Impressoras têxteis digitais estão ficando mais populares. Porém, a produtividade destas máquinas, até agora, tem sido muito baixa, e a qualidade da saída não é estável. O principal objetivo da DGI é desenvolver e fabricar uma produção estável e rápida para as empresas de impressão em tecidos”.

Fonte: DGI



Substratos não tecidos usados para sublimação

Por João Leodonio em 10/04/2018
Com o processo sublimático, é possível estampar dezenas de mídias e objetos

Com o processo sublimático, é possível estampar dezenas de mídias e objetos

Além dos tecidos com poliéster, é possível sublimar muitos outros tipos de substratos, desde que sejam resistentes a temperaturas superiores a 200ºC. Outra característica fundamental dessas mídias é que elas apresentam uma camada superficial de resina à base de poliéster, cuja função é fixar a sublimação. Portanto, o substrato não é sublimado, mas sim a resina aplicada na superfície dele.

Além de substratos planos, o processo sublimático permite estampar materiais e objetos curvos e com formatos diversos, como canecas, copos, porta-retratos, relógios, chaveiros, squeezes, tapetes, placas, descansos de panelas, caixas de presente, quebra-cabeças, entre outros.

A despeito do surgimento contínuo de novos substratos passíveis de receber a sublimação, os materiais mais comumente utilizados no mercado são: cerâmica, metais, madeiras, pedras, EVA, borracha, vidros, cartões, PVC e alguns polímeros.

Cuidados

- Antes de sublimar, limpe os substratos com produtos indicados pelo fabricante. Elimine qualquer tipo de impureza oriunda do manuseio e da aplicação de resina;

- Obedeça o tempo e a temperatura indicados pelos fabricantes. Essa relação varia de acordo com o tipo de substrato;

- Faça uma inspeção visual no ato da compra do produto para detectar possíveis falhas provocadas na aplicação da resina;

- Para sublimar em prensas planas, recomenda-se o uso de um gabarito de altura para cada substrato. Há materiais, como azulejos e vidros, que são muito sensíveis à pressão da prensa. Com os gabaritos, é preciso fazer apenas o ajuste fino, o que evitará perdas desnecessárias;

- Para todos os casos, indica-se o uso de fita adesiva térmica específica para a fixação do papel ao substrato. Não utilizar outros adesivos, pois corre-se o risco de manchar o produto.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático 

 



3M lança vinil perfurado Scotchcal Perforated Window Film IJ67

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/02/2014

Película é indicada para aplicações de rápida duração

Película é indicada para aplicações de rápida duração

A 3M, fabricante de películas, introduziu no mercado internacional o 3M™ Scotchcal™ Perforated Window Film IJ67, vinil adesivo removível desenvolvido para aplicação de curta duração e em vidro.

Com 5,9mil de espessura, o filme permite que a imagem nele impressa seja vista de fora da janela, sem atrapalhar a visão de quem está no interior do ambiente.

O filme IJ67 vem com um liner de papel polirrevestido que é apoiado com outra camada de papel. Essa característica facilita o desempenho da mídia em impressoras serigráficas e digitais UV, solvente ou látex.

Disponível em rolos com largura-padrão de 1,37cm (54 polegadas), o vinil é indicado para aplicações em janelas tanto no interior quanto no exterior de prédios, divisórias e janelas de veículos.

Segundo a 3M, o IJ67 substitui os vinis perfurados IJ65 e IJ66, que foram descontinuados.

Fonte: 3M