Designer usa Dibond para criar exposição de arte

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/03/2019
Exposição foi sediada em museu britânico

Exposição foi sediada em museu britânico

O Museu de História Natural de Oxford, na Inglaterra, recebeu a exposição "Settlers: Genetics, geography and the peopling of Britain" ("Colonizadores: Genética, geografia e povoamento da Grã-Bretanha"), que ficou aberta ao público de 9 de fevereiro a 9 de setembro de 2018.

Para criar a comunicação visual da exposição, o museu, com projeto arquitetônico neogótico vitoriano, convidou o designer gráfico Ian Kirkpatrick, acostumado a criar imagens digitalmente e reproduzi-las em mídias como aço inoxidável, vinil, papelão ondulado, acrílico e Dibond, material composto de alumínio fabricado pela 3A Composites.

Para a exposição “Settlers”, Kirkpatrick escolheu diversas placa gráficas Dibond e criou uma série de seis painéis intitulada “De onde viemos? O que somos? Para onde estamos indo?”.

Dibond é um material composto por duas folhas pré-pintadas de alumínio. Ambas são ligadas a um núcleo de polietileno sólido. A mídia pode receber impressão digital direta e receber acabamento de routers.

Kirkpatrick passou quatro meses pesquisando, planejando e criando os seis painéis para a exposição que, de acordo com o museu, exploram as causas sociais e naturais por trás da migração humana, tanto nos tempos antigos quanto nos dias atuais.

Quatro grandes painéis, com 360cm × 150cm, foram montados para ilustrar uma cena panorâmica dentro dos arcos e colunas de pedra do primeiro andar do museu. Dois painéis menores, com 240cm × 86cm, foram montados para exibição em arcos de pedra próximos à exposição “Settlers”.

O birô Dock Street Signs utilizou uma impressora Durst Rho para estampar digitalmente as imagens nos painéis. Cada um dos seis painéis chegou como duas metades impressas que seriam unidas na instalação, um processo desafiador, pois o prédio histórico do museu deveria se manter intacto. Para não danificar os arcos de alvenaria com perfuração ou colagem, a gerência do museu criou peças de compensado cortadas à mão para dar suporte aos painéis de Dibond, que não ficaram em contato nenhuma superfície do próprio museu.

Fonte: WhatTheyThink



Mimaki lança ecossistema completo de estamparia digital têxtil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/05/2018
Fluxo de trabalho envolve pré-tratamento, impressão, vaporização e lavagem

Fluxo de trabalho envolve pré-tratamento, impressão, vaporização e lavagem

A fabricante Mimaki anunciou o lançamento da série Rimslow, composta por equipamentos para pré e pós-tratamentos no fluxo de trabalho de impressão digital têxtil.

A linha compreende uma nova unidade de pré-tratamento (TR300-1850C), dois vaporizadores (TR300-1850S e TR600-1850S) e um lavador (R600-1850W). Os equipamentos são fabricados pela empresa australiana Rimslow Global, que a Mimaki adquiriu em novembro de 2017.

A impressão inkjet direta em tecidos envolve o quatro processos: pré-tratamento (aplica-se um agente no tecido, para evitar o sangramento da tinta), impressão (executada por equipamentos a jato de tinta), vaporização (para fixar a tinta impressa no tecido) e lavagem (para retirar o excesso de tinta e agentes de tratamento).

As condições de produção têm influência na qualidade final do produto (penetração da impressão, qualidade de imagem, densidade de cor e propriedades de tingimento) e, para fixá-las, são necessários investimento, tempo e conhecimento. Por isso, é importante contar com uma solução completa, com dispositivos integrados.

Segundo a Mimaki, a integração dos equipamentos necessários para a produção de impressão direta em tecidos diminui o tempo de inatividade das máquinas, além de economizar tempo e dinheiro.

Em relação à impressão por sublimação direta, é necessário utilizar um tecido com pré-tratamento, que pode ser realizado por meio de equipamento da série Rimslow, da Mimaki.

Fonte: Mimaki



Durst apresenta novas impressoras UV na Fespa 2013 de Londres

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 24/06/2013

Na Fespa 2013, Durst leva novidades da série Rho 1000

Na Fespa 2013, Durst leva novidades da série Rho 1000

A Durst, fabricante de impressoras digitais, participa da Fespa 2013, em Londres. Representando a empresa no evento, está a série Rho 1000, composto por diversos modelos como o Durst Rho 1012, que trabalha na velocidade máxima de 490 m2/h e resolução máxima de 1000dpi, além de possuir cabeças de impressão que disparam gotas de 12 picolitros.

A Durst também anunciou o lançamento da Rho 500R, impressora para altíssimas tiragens, podendo suportar até três rolos de mídia (com larguras de 1,6m).

Para compor o seu portfólio na Fespa 2013, a Durst mostra a tecnologia Variodrop, para ser empregada em modelos da série Rho P10. Segundo os representantes da marca, ela permite o aumento de até 25% na produtividade.

Fonte: Durst