Conheça a solução de impressão de cores fluorescentes da Roland DG

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 10/07/2018
Fluorescentes chamam a atenção das pessoas duas vezes mais que as cores convencionais

Fluorescentes chamam a atenção das pessoas duas vezes mais que as cores convencionais

As cores fluorescentes, muito usadas na década de 1980, voltaram para exercer grande fascínio nas mais variadas ocasiões, como em pistas de dança e academias de ginástica, por exemplo. Elas também têm sido usadas por quem deseja produzir peças de vestuário modernas e personalizadas. E a impressão digital é a ferramenta ideal para estampar roupas ou tecidos usados na decoração de ambientes.

As tintas fluorescentes usadas na impressão digital têm capacidade de reflexão muito maior e, por isso, proporcionam um incrível efeito de luminosidade. A tinta composta por pigmentos normais reflete, no máximo, 90% da cor presente no espectro. No entanto, a fluorescente é capaz de refletir até 300%. Isso ocorre porque ela reflete tanto o espectro visível quanto o invisível (UV).

Para executar aplicações têxteis fluorescentes, a Roland DG oferece as tintas Texart SBL3, compatíveis com as impressoras RT-640 (para iniciantes) e XT-640 (de alta produção). Fornecidas em bags de 1 litro, elas podem ser usadas em uma ampla vasta gama de acessórios esportivos e de mídias de poliéster e elastano.

A impressora Texart XT-640 é capaz de rodar na velocidade máxima de 102m2/h (no modo 4 cores) e resolução de até 1.440dpi. Sublimático, o equipamento é indicado para estampar aplicações como uniformes esportivos, artigos de moda, peças de comunicação visual e decoração de interiores.

Anderson Clayton, gerente de marketing da Roland DG, declarou: “Especialmente desenvolvida para transferência em tecidos à base de poliéster, a tinta conta com uma grande variedade de cores de baixo custo para conseguir o tão desejado efeito fluorescente, com as exclusivas flúor pink e flúor yellow”.

Fonte: Roland DG Brasil



Graphtec passa a vender laminadora L300

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/06/2020
Equipamento produz na velocidade de até 3,5m/min

Equipamento produz na velocidade de até 3,5m/min

A fabricante Graphtec anunciou a L300, nova laminadora para o acabamento de uma ampla gama de substratos com espessuras de até 25mm.

Capaz de rodar na velocidade de 3,5m/min, o equipamento tem dimensões de 201cm (largura) x 65cm (profundidade) x 135cm (altura).

Os principais recursos da laminadora incluem rolos duplos de silicone de 130mm de diâmetro, sistemas de elevação e pressão pneumáticos, compressor e operação automática ou manual.

A L300 pode ser usado para laminação térmica ou a frio. Na opção “fria”, o consumo de energia é menor e, portanto, os custos operacionais são proporcionalmente mais baixos. Já a laminação térmica confere maior resistência e durabilidade aos laminados e confere proteção maior contra degradações.

A pandemia de covid-19 impulsionou a demanda, um tanto imprevisível, por laminadoras como a L300.

Fonte: Graphtec GB



Avery passa a oferecer opções de papéis reciclados para rótulos e etiquetas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/10/2017
Portfólio é indicado a empresas que buscam atingir objetivos de sustentabilidade

Portfólio é indicado a empresas que buscam atingir objetivos de sustentabilidade

A Avery Dennison, fabricante de substratos, apresentou uma nova linha de papéis reciclados e certificados pelo Forest Stewardship Council (FSC). Os materiais, indicados para rótulos e etiquetas, foram desenvolvidos para ajudar marcas e convertedores a atingir objetivos de sustentabilidade. Os papéis são fabricados sem cloro e oferecem brancura e aparência brilhante. Segundo a empresa, os substratos possuem características que garantem boa qualidade e velocidade na impressão.

A Avery também comercializa os papéis da linha ClearIntent, que ajudam conversores que buscam trabalhar com rótulos e embalagens sustentáveis. Os materiais deste portfólio atendem ao menos um dos três padrões abaixo:

- Origem responsável: empresas terceirizadas certificam que uma quantidade significativa do conteúdo do produto vem de materiais de origem sustentável;

- Redução de material: o produto deve oferecer desempenho comparável ou superior a uma alternativa convencional, mas usando menos materiais na fabricação;

- Reciclagem: o material deve ser reciclável ou feito de conteúdo reciclado. Ou, ainda, ter componentes que ajudem no processo de reciclagem do recipiente ou da embalagem em que rótulo está ligado.

Fonte: Avery