Como resolver problemas na sublimação – Parte 1: Pré-impressão

Por João Leodonio em 08/11/2017
Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas na pré-impressão sublimática

Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas na pré-impressão sublimática

Às vezes, eles parecem insolúveis e onerosos. Porém, quando analisados friamente, podem ser solucionados com simples correções de processo. Estamos nos referindo aos problemas mais recorrentes na sublimação (sobretudo, na de pequenos formatos). Divido em três partes (pré-impressão, impressão e prensagem), este artigo lista as falhas mais recorrentes na produção de materiais estampados com a tecnologia sublimática. Mais importante: mostramos o que fazer para resolver e evitar tais problemas.Confira:

Problema: falhas encontradas na recepção de arquivos (baixa resolução, sem fonte, desenvolvido em Word ou craquelado)

Arquivos abertos ou em baixa resolução podem gerar problemas, como falta de definição, craquelado (ao ampliar) e perda de fontes ou imagens no fechamento.

Recomendação: recepcionar apenas arquivos em alta resolução. A sugestão é que as imagens estejam em arquivos fechados com, no mínimo, 300dpi. Assim, evita-se que, durante o fechamento no RIP, as imagens sejam alteradas ou perdidas.

Observe a diferença de qualidade entre os arquivos: na foto, um está com 70dpi (em baixa) e outro está com 300dpi (em alta)

xx

Problema: dificuldade em obter o resultado de cor esperado (perfil de cor)

É comum utilizar um único perfil para todos os serviços. Também é recorrente a falta de conhecimento na aplicação dos perfis. Ambos os casos geram inúmeros problemas na reprodução de cores, o que causa perda de tempo, materiais e dinheiro.

Recomendação: cada tipo de arquivo (reticulado, chapado) deve ter um perfil de cor, para garantir estabilidade, repetibilidade e economia no consumo de tinta, papel e tempo, sem comprometer a qualidade dos impressos.

É recorrente o problema de diferença entre as cores da prova e da impressão sublimática. Veja como evitar essa falha

xx

Problema: prova de cor (impressão digital) não bate com a reprodução final

Há provas feitas em dispositivos e tecidos diferentes da impressora e da mídia da produção. Também existem provas produzidas sem respeitar padrões de tempo e temperatura na prensagem.

Recomendação: a prova de cor deve ser impressa diretamente da máquina que imprimirá o serviço. Além disso, deve ser prensada no tecido e nas condições de tempo e temperatura que o cliente utilizará. Assim, evita-se a diferença de cor entre prova e produção. Recomenda-se não realizar alterações na arte depois dela ter sido aprovada. Se isso ocorrer, é necessário providenciar uma nova aprovação.

Use um perfil de cor para cada tipo de imagem, para evitar problemas na reprodução das imagens

xx

Problema: prova de cor (impressão offset) não bate com a reprodução final

A prova produzida na plotter da pré-impressão não bate com a cor impressa em offset. A empresa não faz calibração das impressoras (offset e digital). A falta de calibração gera atrasos e perdas de tinta e papel.

Recomendação: a prova de cor deve ser impressa em plotter com o perfil de cor equalizado com a impressora offset. Trata-se de um serviço feito por profissionais especializados, que utilizam um test form (ferramenta para verificação das condições da impressora) na impressora offset. Com o resultado obtido, é gerado um perfil de cores para a plotter. É possível, também, prensar no mesmo tecido da produção. Isso é chamado de “aprovação em máquina”, na qual o cliente aprova as folhas da impressão offset prensados no tecido usado na produção. Porém, esse processo é pouco empregado, devido ao alto custo de hora/máquina e chapas.

xx

Problema: arte aprovada por celular ou computador não calibrado (e ela não bate com a produção)

Fazer aprovação via fotos de celular ou imagem enviadas por qualquer meio eletrônico é um dos procedimentos que mais geram problemas de diferença de cores. As configurações das telas de celular e computador variam muito. Portanto, o que se vê na tela de quem envia é diferente do que se vê na tela de quem está recebendo. Pior: ao rodar o serviço, surge um terceiro resultado.

Recomendação: aprovação no tecido que será utilizado na produção. Também há a possibilidade de fazer a aprovação digital via imagem. Porém, os terminais da aprovação e de conferência na produção deverão estar devidamente calibrados.

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático

 



Samsung expande linha de soluções de sinalização digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/11/2014

Portfólio da empresa incorporou soluções touchscreen de pequeno formato

Portfólio da empresa incorporou soluções touchscreen de pequeno formato

A Samsung, fabricante de tecnologia, acrescentou novos itens à linha Samsung Smart Signage, composta por soluções de sinalização digital. Segundo a empresa, as novidades (telas de touchscreen de pequeno formato) são indicadas a lojas varejistas e pequenos negócios que procuram substituir cartazes impressos e aumentar a interatividade com os clientes.

Tod Pike, vice-presidente da divisão de negócios da filial norte-americana da Samsung, declarou: "Estamos sempre buscando inovar na sinalização digital. As novas telas de pequeno formato oferecem uma forma simples, inteligente e rentável de substituir cartazes estáticos por tecnologia digital interativa e dinâmica".

As novas soluções da Samsung são:

DB22D-P: tela Full HD de 25 polegadas. Possui tamanho de uma folha de papel tabloide, que pode substituir pequenos cartazes estáticos utilizados em espaços públicos de varejo ou ambientes corporativos.

DB22D-T: apresenta função de toque integrado às aplicações interativas. Com até 10 toques simultâneos, é ideal para aumentar o envolvimento do cliente.

DB10D: com 10,1 polegadas, é indicada para publicidade em prateleiras ou caixas em lojas de varejo ou salas de reunião.

Segundo a empresa, os monitores não precisam de player de mídia externo para rodar, o que simplifica a instalação. Além disso, incorporam Wi-Fi e software Samsung MagicInfo, para gerenciamento de conteúdo. Os produtos possuem HDMI, USB, conectividade D-Sub (analógica) e controle externo através de RS232C.

Fonte: Digital Signage Connection



Novas impressoras látex da HP para alta produtividade

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/06/2015

Na Fespa 2015, a HP apresentou as impressoras Latex 3500, que trabalham com rolos de mídia com até 300kg

Na Fespa 2015, a HP apresentou as impressoras Latex 3500, que trabalham com rolos de mídia com até 300kg

A Fespa 2015 foi oportunidade para a HP lançar no mercado internacional duas impressoras de grande formato para alta produtividade, a Latex 3500 e a Latex 3100, ambas com 3,2m de largura.

Segundo a empresa, a HP Latex 3500 trabalha com bobinas de mídia com até 300kg e possui tanques de 10 litros de tinta. Já a HP Latex 3100 pode imprimir em velocidade de 77m2/h e lida com altas tiragens e produção de prazos curtos.

As duas máquinas podem ser monitoradas pelo HP Latex Mobile, app que gera diversos relatórios de métricas, e pelo Printer Status Beacon, que faz atualizações sobre o status de trabalhos e tempos de inatividade.

A HP também mostrou a nova HP Scitex 17000, impressora digital para materiais corrugados. A máquina roda com as novas tecnologias HP Scitex Corrugated Grip e HP HDR230 Scitex Inks e imprime em velocidade de até 1.000m2/h.

Fonte: Graphic Display World