Como resolver problemas na sublimação – Parte 1: Pré-impressão

Por João Leodonio em 08/11/2017
Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas na pré-impressão sublimática

Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas na pré-impressão sublimática

Às vezes, eles parecem insolúveis e onerosos. Porém, quando analisados friamente, podem ser solucionados com simples correções de processo. Estamos nos referindo aos problemas mais recorrentes na sublimação (sobretudo, na de pequenos formatos). Divido em três partes (pré-impressão, impressão e prensagem), este artigo lista as falhas mais recorrentes na produção de materiais estampados com a tecnologia sublimática. Mais importante: mostramos o que fazer para resolver e evitar tais problemas.Confira:

Problema: falhas encontradas na recepção de arquivos (baixa resolução, sem fonte, desenvolvido em Word ou craquelado)

Arquivos abertos ou em baixa resolução podem gerar problemas, como falta de definição, craquelado (ao ampliar) e perda de fontes ou imagens no fechamento.

Recomendação: recepcionar apenas arquivos em alta resolução. A sugestão é que as imagens estejam em arquivos fechados com, no mínimo, 300dpi. Assim, evita-se que, durante o fechamento no RIP, as imagens sejam alteradas ou perdidas.

Observe a diferença de qualidade entre os arquivos: na foto, um está com 70dpi (em baixa) e outro está com 300dpi (em alta)

xx

Problema: dificuldade em obter o resultado de cor esperado (perfil de cor)

É comum utilizar um único perfil para todos os serviços. Também é recorrente a falta de conhecimento na aplicação dos perfis. Ambos os casos geram inúmeros problemas na reprodução de cores, o que causa perda de tempo, materiais e dinheiro.

Recomendação: cada tipo de arquivo (reticulado, chapado) deve ter um perfil de cor, para garantir estabilidade, repetibilidade e economia no consumo de tinta, papel e tempo, sem comprometer a qualidade dos impressos.

É recorrente o problema de diferença entre as cores da prova e da impressão sublimática. Veja como evitar essa falha

xx

Problema: prova de cor (impressão digital) não bate com a reprodução final

Há provas feitas em dispositivos e tecidos diferentes da impressora e da mídia da produção. Também existem provas produzidas sem respeitar padrões de tempo e temperatura na prensagem.

Recomendação: a prova de cor deve ser impressa diretamente da máquina que imprimirá o serviço. Além disso, deve ser prensada no tecido e nas condições de tempo e temperatura que o cliente utilizará. Assim, evita-se a diferença de cor entre prova e produção. Recomenda-se não realizar alterações na arte depois dela ter sido aprovada. Se isso ocorrer, é necessário providenciar uma nova aprovação.

Use um perfil de cor para cada tipo de imagem, para evitar problemas na reprodução das imagens

xx

Problema: prova de cor (impressão offset) não bate com a reprodução final

A prova produzida na plotter da pré-impressão não bate com a cor impressa em offset. A empresa não faz calibração das impressoras (offset e digital). A falta de calibração gera atrasos e perdas de tinta e papel.

Recomendação: a prova de cor deve ser impressa em plotter com o perfil de cor equalizado com a impressora offset. Trata-se de um serviço feito por profissionais especializados, que utilizam um test form (ferramenta para verificação das condições da impressora) na impressora offset. Com o resultado obtido, é gerado um perfil de cores para a plotter. É possível, também, prensar no mesmo tecido da produção. Isso é chamado de “aprovação em máquina”, na qual o cliente aprova as folhas da impressão offset prensados no tecido usado na produção. Porém, esse processo é pouco empregado, devido ao alto custo de hora/máquina e chapas.

xx

Problema: arte aprovada por celular ou computador não calibrado (e ela não bate com a produção)

Fazer aprovação via fotos de celular ou imagem enviadas por qualquer meio eletrônico é um dos procedimentos que mais geram problemas de diferença de cores. As configurações das telas de celular e computador variam muito. Portanto, o que se vê na tela de quem envia é diferente do que se vê na tela de quem está recebendo. Pior: ao rodar o serviço, surge um terceiro resultado.

Recomendação: aprovação no tecido que será utilizado na produção. Também há a possibilidade de fazer a aprovação digital via imagem. Porém, os terminais da aprovação e de conferência na produção deverão estar devidamente calibrados.

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático

 



Como resolver problemas na sublimação – Parte 3: Prensagem

Por João Leodonio em 17/11/2017
Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas encontradas na prensagem

Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas encontradas na prensagem

Além de conhecer e sanar eventuais problemas de impressão e de pré-impressão, saiba como evitar falhas na prensagem na produção de estampas sublimadas.

Problema: imagem lavada

Imagens lavadas são causadas por tecidos com algodão. Quanto mais algodão, maior o efeito de “lavado” (sem definição).

Recomendação: usar tecidos cuja composição seja totalmente de poliéster ou poliéster com pouco elastano. Apenas em último caso devem ser usados tecidos com algodão. Saiba que, quanto mais poliéster, melhor será definição da imagem. Realize sempre testes antes de comprar o tecido.

Realize teste e use o tecido correto para evitar problemas de definição de imagem

xx

Problema: sombra

As sombras são muito comuns em tecidos que encolhem. Esse problema acontece em todo o tipo de impressão, mas fica mais evidente em cores chapadas e áreas pequenas, como textos ou contornos, em que aparecem sombras provenientes do arrasto do encolhimento do tecido.

Recomendação: testar o tecido antes da compra. No momento da prensagem, fazer um pré-encolhimento com a mesma temperatura da prensagem por, no máximo, oito segundos e sem estampa - apenas para que o tecido encolha. Em seguida, prensar normalmente. Esse procedimento praticamente elimina as sombras ou dublagem por encolhimento.

Realize o pré-encolhimento do tecido para evitar as sombras na imagem

xx

Problemas de prensa: falta de imagem nos cantos e manchas brancas e de tintas

Um dos problemas mais graves na prensagem, o surgimento de manchas nos tecidos pode gerar grandes perdas financeiras. Em muitos casos, a empresa que prensa esconde as manchas, e o cliente só toma conhecimento delas quando volta da costura, o que aumenta mais ainda os prejuízos. São comuns manchas coloridas como se fossem tinta borrifada no tecido. Quando o papel é menor que a peça, pode surgir uma espécie de moldura colorida (efeito “moldura”) na área onde termina o papel.

Recomendação: limpar constante a prensa e trocar a proteção que fica abaixo do tecido (na hora da prensagem). A limpeza deverá ser feita com etanol (combustível) quando a prensa estiver fria ou com limpador doméstico com a prensa quente (limpeza pesada). Antes de ligar a prensa, realize a limpeza com etanol, sempre movimentado o pano de dentro para fora (nunca de forma circular), até que toda tinta seja eliminada. Também deve-se limpar todos os cantos da chapa onde encontra-se a resistência. O pano pode ser lavado e reutilizado durante a limpeza.

Já o efeito “moldura” pode ser um problema gerado pelo refile do papel (faca da guilhotina suja). Para evitá-lo, recomenda-se recortar toda a borda do papel. Avalie, também, se não há excesso de pressão. Nesse caso, recomenda-se diminuir a pressão, sem prejuízo para a qualidade do serviço.

O efeito “moldura” ocorre quando o papel é menor que a peça

xx

Problema: falha da imagem

É um problema quase sempre causado pela má preparação da prensa. Portanto, a prensa tem de estar corretamente preparada. Caso contrário, as manchas brancas serão recorrentes.

Recomendação: na base da prensa, utilizar borracha siliconada ou espuma preta com densidade 28. Acima, colocar uma malha branca e, sobre ela, um papel kraft de 300g/m2. Em cima de todos esses materiais, inserir o tecido que será sublimado. Além disso, deve-se verificar a pressão ideal, testando com tecido branco e papel com impressão chapada (de preferência, preto), pois assim regula-se a pressão em todas as áreas da prensa.

Mantenha a prensa em condições ideias para evitar manchas

xx

Problema: quebra de prensa

Muitas empresas adquirem uma prensa sem testar antes a qualidade e a capacidade operacional do equipamento. Cuidado com as marcas (nacionais ou importadas) que não estão preparadas para fornecer um bom serviço de pós-venda e assistência técnica. Há, ainda, casos em que leigos tentam montar as suas próprias prensas, na expectativa de gastar menos dinheiro. Os resultados dessa “economia porca” são previsíveis.

Recomendação: pesquisar e fazer a relação custo x benefício. Considerar que nem sempre o mais barato (ou o mais caro) é a melhor opção. Sobre prensas importadas, é preciso frisar: existem muitas revendas que prometem manutenção no pós-venda. Nesse caso, é preciso tomar muito cuidado, pois o problema se torna crítico quando o equipamento quebra, e o fornecedor não tem condições de ajudar na manutenção, por falta de peças de reposição, habilidade ou pessoal técnico.

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático

 



Nazdar anuncia tintas compatíveis da série Nazdar 705

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/04/2016
Insumos têm compatibilidade com impressoras HP FB500/700

Insumos têm compatibilidade com impressoras HP FB500/700

A Nazdar, fabricante de insumos para impressão, anunciou no mercado internacional a Nazdar 705, nova linha de tintas compatíveis para impressoras HP FB500/700.

UV, as tintas são vendidas em embalagens plug and play. Segundo a empresa, os insumos oferecem compatibilidade, qualidade e boa relação custo-benefício, além de poderem ser instalados por meio de processo de conversão contínua.

Para a instalação da série Nazdar 705 não são necessários procedimentos de limpeza, jateamento ou purga, pois os insumos têm as mesmas propriedades das tintas originais.

Rich Dunklee, gerente de marketing da Nazdar, declarou: “Os usuários de tintas UV da Nazdar continuam a se beneficiar da qualidade e da consistência de nossos materiais. A nova série 705 tem compatibilidade plug and play e traz vantagens competitivas ao mercado de impressão UV”.

Fonte: Nazdar