Como escolher uma impressora para sublimação

Por João Leodonio em 22/12/2017
Saiba o que é melhor para o seu negócio: pequeno ou grande formato

Saiba o que é melhor para o seu negócio: pequeno ou grande formato

Qual é a melhor impressora sublimática para o meu negócio? Essa é uma das perguntas mais elementares para quem busca entrar no mercado de sublimação. No entanto, esse não deveria ser o primeiro questionamento. Antes, é fundamental conhecer a fundo o segmento (ver tópicos a seguir) no qual pretende-se atuar, além dos formatos que ele demanda.

Pequeno Formato

Atende principalmente os ramos de brindes e de pequenas tiragens, pois as impressoras são limitadas aos formatos A3 e A4, e a velocidade de impressão é baixa. É possível sublimar canecas, camisetas com estampas localizadas, chinelos, porta-copo, azulejos e vários tipos de brindes que utilizam impressão no formato máximo de 29,7cm x 42cm (A3).

Impressora para pequeno formato: recomenda-se um equipamento que atenda a demanda do seu público-alvo. Em relação à marca, o ideal é escolher uma que venda equipamentos que precisem de pouca manutenção. Escolha um pacote de perfil de cores e insumos que corresponda à qualidade esperada. Evite comprar pacotes que tenham impressora, prensas e outros equipamentos, pois pode haver um kit pronto com formatos e dispositivos que não atendam à demanda esperada.

Impressora de pequeno formato é indicada basicamente para brindes e produtos similares

Grande Formato

Atende um tipo de atividade mais voltada para a impressão total e tiragens maiores de peças com formatos menores. Equipamentos com larguras entre 1,10m e 1,80m atendem à sublimação total em camisetas e vestuário, além de painéis e banners de tecido.

Impressora de grande formato: depois de definir a largura e a velocidade, recomenda-se pesquisar e fazer muita conta, pois os valores de investimento são mais elevados. Opte pelo melhor pacote, que tenha boa relação entre preço, garantia, assistência técnica e insumos. Outra recomendação é fugir das marcas que não ofereçam reposição rápida de peças.

Impressora de grande formato atende ao segmento de vestuário e sinalização
Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático

 



HP ministra novo treinamento sobre tecnologia látex

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 05/09/2013

Em outubro, A HP vai ministrar treinamento sobre a impressão látex

Em outubro, A HP vai ministrar treinamento sobre a impressão látex

No dia 16 de outubro, das 08h30 às 18h00, a HP vai promover o "Treinamento de Aplicações em tecnologia látex", com o objetivo de apresentar equipamentos, aplicações e oportunidades de negócios da sua mais nova tecnologia de impressão.

O evento é gratuito e ocorre no Showroom HP de Grandes Formatos (na Av. Rebouças, 2455, São Paulo). Para participar, o interessado deve fazer a sua inscrição até 14 de outubro pelo e-mail: karinar@itmchannelmarketing.com. Na mensagem, envie os seguintes dados:

  • Nome do participante;
  • Empresa;
  • Telefone;
  • E-mail;
  • Máquina que comprou (L26/L28);
  • Data da aquisição;
  • Revenda onde comprou;
  • Software utilizado.

Agenda do treinamento

Manhã (Tendência/ Negócio):

  • Como aproveitar as oportunidades com aplicações HP Látex;
  • Aplicações e margens;
  • Benefícios ambientais: vantagens da impressão amigável ao meio ambiente;
  • Dicas de fornecedores em todas as etapas da cadeia de produção.

Tarde (Técnicos/ Operadores):

  • Dicas de operação da HP Designjet L26500 e L28500;
  • Impressão frente-verso;
  • Qual a melhor configuração para cada perfil de mídia;
  • Dicas e truques com Photoprint (com especialista SAi).

 



Envelopamento: como envelopar uma lateral de carro

Por Eduardo Yamashita em 07/02/2015

Saiba como envelopar uma lateral de carro

Saiba como envelopar uma lateral de carro

Para colocar em prática um serviço de envelopamento de carro, é preciso sanar antecipadamente todas as dúvidas sobre o trabalho em questão. Não pegue as espátulas sem antes ter respondido questões essenciais. Como vou fazer isso? Como lidarei com as curvas? Posso realizar a instalação corretamente? Posso ganhar dinheiro com esse projeto?

Para começar, é necessário analisar o projeto e obter todas as informações de tal forma que tudo fique claro.

Em carros, há apenas algumas áreas verdadeiramente planas. Mantenha essas áreas em mente, sobretudo se houver informações no vinil impresso que correspondam a elas. Nesse caso, as sobreposições são uma boa opção de trabalho.

Escolher o vinil adesivo correto é fundamental para que o projeto seja bem-sucedido. No exemplo a seguir, foi utilizado vinil cast, pois o projeto exigia longa duração e garantia.

Na aplicação de laterais, deve-se levar em conta a dimensão da área a ser envelopada. Um painel de 1,35m x 3,15m é suficiente para cobrir a região entre a cabina e a porta traseira. A altura precisa ser de 1,35m para garantir que material seja aplicado, com folga, em cima da área plana e logo abaixo da borda inferior. O excesso de vinil é necessário, para que ele aqueça e alongue durante a instalação, levando em conta o mínimo de estresse sobre a imagem. Confira o passo a passo de um envelopamento na lateral do veículo:

Prepare o veículo com uma limpeza normal. Ou seja, a lavagem básica

Prepare o veículo com uma limpeza normal. Ou seja, a lavagem básica

Em seguida, remova os acessórios como lanternas e peças diversas. Tome cuidado para não perdê-las. Depois, remova todas as impurezas sólidas (graxa, restos de asfalto etc.) com desengraxantes e faça a limpeza final com álcool isopropílico. O álcool comercial não é adequado para esse processo

Em seguida, remova os acessórios como lanternas e peças diversas. Tome cuidado para não perdê-las. Depois, remova todas as impurezas sólidas (graxa, restos de asfalto etc.) com desengraxantes e faça a limpeza final com álcool isopropílico. O álcool comercial não é adequado para esse processo

Depois da limpeza, posicione a imagem na superfície. Posiciona-se a imagem com uma fita crepe, fazendo uma dobradiça ou usando ímãs para segurar o vinil no lugar até que o liner seja retirado

Depois da limpeza, posicione a imagem na superfície. Posiciona-se a imagem com uma fita crepe, fazendo uma dobradiça ou usando ímãs para segurar o vinil no lugar até que o liner seja retirado

Retire o liner mantendo o vinil sem rugas, principalmente na parte mais plana do pára-choque

Retire o liner mantendo o vinil sem rugas, principalmente na parte mais plana do para-choque

Comece a instalar a grande área plana do para-choque. Mantenha um alinhamento na espatulação, mesmo que as curvas comecem a aparecer depois da parte superior do para-choque. Se o alinhamento não for mantido, o vinil pode enrugar

Comece a instalar a grande área plana do para-choque. Mantenha um alinhamento na espatulação, mesmo que as curvas comecem a aparecer depois da parte superior do para-choque. Se o alinhamento não for mantido, o vinil pode enrugar

Comece a aplicação de calor na parte superior do para-choque, para permitir que o material relaxe e se torne mais flexível. É preciso um pouco de calor para obter esse feito em uma área grande. Sempre use o soprador térmico para essa etapa da instalação

Comece a aplicação de calor na parte superior do para-choque, para permitir que o material relaxe e se torne mais flexível. É preciso um pouco de calor para obter esse feito em uma área grande. Sempre use o soprador térmico para essa etapa da instalação

Enquanto o material ainda está quente, trabalhe a partir da borda externa em direção ao topo da parte plana. Este processo deve ser lento e consistente, mantendo ainda uma linha na parte superior do leito. Quando chegar ao topo da parte plana, trabalhe ao longo da área

Enquanto o material ainda está quente, trabalhe a partir da borda externa em direção ao topo da parte plana. Este processo deve ser lento e consistente, mantendo ainda uma linha na parte superior do leito. Quando chegar ao topo da parte plana, trabalhe ao longo da área

Sobrará uma boa quantidade de material na frente e atrás do para-choque. Ela será necessária, a fim de aquecer e conformar o material com um montante mínimo de estresse sobre ele. Comece a trabalhar a partir da área plana em direção à cabeceira. Continue a usar, um pouco de cada vez, a espátula e o soprador térmico (aquecendo uma área maior do que o necessário)

Sobrará uma boa quantidade de material na frente e atrás do para-choque. Ela será necessária, a fim de aquecer e conformar o material com um montante mínimo de estresse sobre ele. Comece a trabalhar a partir da área plana em direção à cabeceira. Continue a usar, um pouco de cada vez, a espátula e o soprador térmico (aquecendo uma área maior do que o necessário)

O excesso de vinil na parte da frente e de trás da área plana será usado para puxar as rugas do material. Num dado momento, o vinil estará baixo o suficiente. Puxe o material para baixo em direção à parte inferior do para-choque. Isto deve ser realizado por meio de calor e tensão

O excesso de vinil na parte da frente e de trás da área plana será usado para puxar as rugas do material. Num dado momento, o vinil estará baixo o suficiente. Puxe o material para baixo em direção à parte inferior do para-choque. Isso deve ser realizado por meio de calor e tensão

Realize o mesmo processo na parte frontal do paralama, trabalhando a partir da área plana. A única diferença é que a imagem ao longo da borda frontal deve estar alinhada com a parte da imagem se encontra na cabina (se tiver)

Realize o mesmo processo na parte frontal do para-lama, trabalhando a partir da área plana. A única diferença é que a imagem ao longo da borda frontal deve estar alinhada com a parte da imagem que se encontra na cabina (se tiver)

Depois de terminar a instalação (antes de refilar qualquer parte do vinil), é necessário aquecer novamente toda a imagem. O processo de pós-aquecimento quebra a memória do vinil para mantê-lo sob a forma em que foi instalado. Para terminar, refile todas as bordas. Se necessário, use fita ao longo da borda inferior da imagem. Então, remova as bolhas remanescentes

Depois de terminar a instalação (antes de refilar qualquer parte do vinil), é necessário aquecer novamente toda a imagem. O processo de pós-aquecimento quebra a memória do vinil para mantê-lo na forma em que foi instalado. Para terminar, refile todas as bordas. Se necessário, use fita ao longo da borda inferior da imagem. Então, remova as bolhas remanescentes

Se o envelopador pensar à frente, fizer o que o vinil lhe oferece e não trabalhar em agitação, ele será capaz de envelopar a lateral de veículo por si só e com extrema facilidade, qualidade e profissionalismo.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual