Como escolher e armazenar papéis para sublimação

Por João Leodonio em 28/11/2017
Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

O mercado oferece muitos tipos de papéis para sublimação, vendidos em folhas ou rolos. Por isso, muitos compradores desses itens fundamentais acabam se confundindo diante de tantas opções e, consequentemente, adquirem materiais inadequados. A seguir, compilamos informações cruciais sobre tipos, gramaturas e armazenamento de papéis sublimáticos. Com o conhecimento delas, o usuário certamente poderá adquirir, utilizar e manipular de forma correta esses artigos básicos da sublimação.

Recomendação importante para todos os casos de papéis listados abaixo: após a impressão e até a prensagem, os materiais devem ser mantidos como antes da impressão, ou seja, sem contato com umidade, poeira e, principalmente, luz.

Papéis sublimáticos para impressão offset (folha a folha)

Para o processo de impressão offset, não há a necessidade de usar papel tratado, que pode ser offset ou jornal. No entanto, a carga de tinta (densidade) tem de ser controlada. Além disso, as pilhas de papel na saída da impressora têm de ser menores, para não ocorrer a transferência de imagem de uma folha para o verso da outra, o que compromete a qualidade da imagem, sobretudo no momento da prensagem.

Gramatura: varia de 54g/m² a 75g/m².

Armazenamento: recomendável manter em local sem umidade, pó e calor excessivo. Conservar os papéis empacotados até o momento da utilização, pois se a umidade relativa do ar estiver muito alta, eles podem ondular, o que dificulta a entrada em máquina. Já a umidade baixa pode provocar estática, que também dificulta a entrada da mídia na impressora. Recomenda-se o controle de temperatura (entre 20ºC e 25ºC) e umidade relativa (entre 45% e 60%).

Modo correto de armazenar papel offset em pacotes

Papéis sublimáticos para impressoras A3 e A4

Nas impressoras “caseiras” são utilizados, normalmente, os formatos A3 e A4. Nesses casos, os papéis sem tratamento não são recomendados, pois a tinta tende a ancorar na massa mecânica da mídia, o que dificulta a pssagem do insumo para o tecido. Para compensar esse problema, muitas empresas aumentam a carga de tinta impressa, o que, consequentemente, onera o processo. Além disso, é importante frisar que a maioria dos perfis de cor disponíveis no mercado não estão preparados para materiais não revestidos. Portanto, o recomendado é usar papéis tratados (resinados) e perfis adequados.

Gramatura: varia de 75g/m² a 125g/m², dependendo de tipo de serviço a ser executado. Muitas fornecedoras oferecem papéis com bom desempenho, e vale testar qual deles entrega a quantidade de tinta adequada para a prensagem correta.

Armazenamento: não expor a umidade, pó e calor excessivo. Manter em pacotes fechados até o momento da utilização. Recomenda-se usar estufas de armazenagem para manter a integridade física do substrato.

Estufa para papéis A3

Papéis sublimáticos para impressão de grande formato

Para impressões em grande formato, utiliza-se tanto papel tratado como papel offset sem tratamento. A largura e o comprimento das mídias variam de acordo com a capacidade de cada impressora digital.

Gramatura: varia entre 56g/m² e 90g/m², dependendo do tipo de serviço a ser executado (textos ou chapados).

Armazenamento: recomenda-se manter os rolos em ambiente controlado (temperatura e umidade relativa) e sem exposição a poeira e luz. Mantê-los empacotados até o momento da utilização.

Modo correto de armazenar papel em rolo

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático  

 



Pacote de softwares Roland PrintStudio é lançado

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/04/2017
Suite é indicada para rasterização e gerenciamento de cores em grandes formatos

Suite é indicada para rasterização e gerenciamento de cores em grandes formatos

A Roland DG, fabricante de impressoras digitais, anunciou o lançamento do Roland PrintStudio (RPS), pacote de softwares RIP e de gerenciamento de cores desenvolvido pela Caldera, para otimização de processos de impressão de grande formato.

Segundo a empresa, os aplicativos oferecem recursos avançados para a geração de cores especiais, com suporte a amostras RAL, HKS e Pantone e a bibliotecas de cores Roland Color & Metallic.

Os usuários também podem criar templates de saída personalizados que lhes permitam produzir materiais para atender às diversas necessidades de seus clientes.

Capaz de criar perfis ICC e dar suporte a espectrofotômetros, o RPS também oferece ferramentas de aproveitamento de mídia (para diminuir desperdícios) e de criação de sangrias, que elimina linhas brancas nas arestas de corte.

Para auxiliar no acabamento, o aplicativo disponibiliza ferramentas para adicionar marcas de ilhós e executar a panelização automaticamente.

O Roland PrintStudio pode ser encomendado através da rede de distribuidores autorizados da Roland DG.

Fonte: Roland



Aslan apresenta novo filme para laminação

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 24/04/2018
EcoSoftTouch SL 109 é filme de PP fosco

EcoSoftTouch SL 109 é filme de PP fosco

A Aslan, fabricante alemã de filmes autoadesivos para aplicações especiais, passou a oferecer a EcoSoftTouch SL 109, nova película de PP para laminação disponível nas larguras de 0,90m ou 1,02m.

Indicada para dar acabamento a impressões digitais e outras superfícies lisas, a mídia, que foi desenvolvida para sistemas roll-up e pop-up, confere alto brilho, toque aveludado e resistência a arranhões.

Com espessura de 50μm, adesivo acrílico permanente e liner de filme siliconizado, a película é recomendada para peças de aplicações internas.

Fonte: Aslan