Como escolher e armazenar papéis para sublimação

Por João Leodonio em 28/11/2017
Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

O mercado oferece muitos tipos de papéis para sublimação, vendidos em folhas ou rolos. Por isso, muitos compradores desses itens fundamentais acabam se confundindo diante de tantas opções e, consequentemente, adquirem materiais inadequados. A seguir, compilamos informações cruciais sobre tipos, gramaturas e armazenamento de papéis sublimáticos. Com o conhecimento delas, o usuário certamente poderá adquirir, utilizar e manipular de forma correta esses artigos básicos da sublimação.

Recomendação importante para todos os casos de papéis listados abaixo: após a impressão e até a prensagem, os materiais devem ser mantidos como antes da impressão, ou seja, sem contato com umidade, poeira e, principalmente, luz.

Papéis sublimáticos para impressão offset (folha a folha)

Para o processo de impressão offset, não há a necessidade de usar papel tratado, que pode ser offset ou jornal. No entanto, a carga de tinta (densidade) tem de ser controlada. Além disso, as pilhas de papel na saída da impressora têm de ser menores, para não ocorrer a transferência de imagem de uma folha para o verso da outra, o que compromete a qualidade da imagem, sobretudo no momento da prensagem.

Gramatura: varia de 54g/m² a 75g/m².

Armazenamento: recomendável manter em local sem umidade, pó e calor excessivo. Conservar os papéis empacotados até o momento da utilização, pois se a umidade relativa do ar estiver muito alta, eles podem ondular, o que dificulta a entrada em máquina. Já a umidade baixa pode provocar estática, que também dificulta a entrada da mídia na impressora. Recomenda-se o controle de temperatura (entre 20ºC e 25ºC) e umidade relativa (entre 45% e 60%).

Modo correto de armazenar papel offset em pacotes

Papéis sublimáticos para impressoras A3 e A4

Nas impressoras “caseiras” são utilizados, normalmente, os formatos A3 e A4. Nesses casos, os papéis sem tratamento não são recomendados, pois a tinta tende a ancorar na massa mecânica da mídia, o que dificulta a pssagem do insumo para o tecido. Para compensar esse problema, muitas empresas aumentam a carga de tinta impressa, o que, consequentemente, onera o processo. Além disso, é importante frisar que a maioria dos perfis de cor disponíveis no mercado não estão preparados para materiais não revestidos. Portanto, o recomendado é usar papéis tratados (resinados) e perfis adequados.

Gramatura: varia de 75g/m² a 125g/m², dependendo de tipo de serviço a ser executado. Muitas fornecedoras oferecem papéis com bom desempenho, e vale testar qual deles entrega a quantidade de tinta adequada para a prensagem correta.

Armazenamento: não expor a umidade, pó e calor excessivo. Manter em pacotes fechados até o momento da utilização. Recomenda-se usar estufas de armazenagem para manter a integridade física do substrato.

Estufa para papéis A3

Papéis sublimáticos para impressão de grande formato

Para impressões em grande formato, utiliza-se tanto papel tratado como papel offset sem tratamento. A largura e o comprimento das mídias variam de acordo com a capacidade de cada impressora digital.

Gramatura: varia entre 56g/m² e 90g/m², dependendo do tipo de serviço a ser executado (textos ou chapados).

Armazenamento: recomenda-se manter os rolos em ambiente controlado (temperatura e umidade relativa) e sem exposição a poeira e luz. Mantê-los empacotados até o momento da utilização.

Modo correto de armazenar papel em rolo

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático  

 



Povareskim lança impressora solvente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/06/2013

Impressora solvente Chromedot Microjet Viper SP 3204

Impressora solvente Chromedot Microjet Viper SP 3204

A Povareskim, especializada em consultoria gráfica, promete apresentar a impressora Chromedot Microjet Viper SP 3204. A máquina de 3,2m possui 16 canais de tinta (quatro por cabeça Specta Polaris) e pode operar com quatro ou seis cores (CMYK+Lc+Lm). Pode trabalhar na resolução máxima de 1200dpi e velocidade máxima 120m2/h (duas passadas).

A empresa recomenda o uso de tintas solvente MicroInk SP6, que permitem a impressão em vinil, lona e papel. Outra indicação é o sistema de gerenciamento de cores Softwater Chromedot Sign Wide Gama.

"Estamos unindo nossa experiência em consultoria às novas tecnologias de sinalização, que auxiliarão nossos clientes a imprimir mais e melhor a um menor custo", destaca Oliver Povareskim, diretor da emrpesa.

Além do lançamento, a Povareskim anunciou a criação de um centro de treinamento e showroom de mais de 800m2.

Fonte: Povareskim



Em 2 anos, InfoSign conquista liderança do mercado

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/11/2014

No dia 26 de novembro de 2012, o mercado brasileiro de impressão digital e comunicação ganhou o InfoSign, primeiro portal técnico e especializado da área. Com a missão de informar e estimular as empresas e os profissionais do ramo, o site tem publicado notícias, vídeos, reportagens e artigos técnicos sobre impressoras, sinalização, gráfica digital, entre outros assuntos relacionados. Em seu segundo ano, o InfoSign atraiu mais de 173 mil leitores. Essa e outras informações sobre o site você confere no infográfico a seguir:

InfoSign faz 2 anos e assume posição de liderança no mercado

InfoSign faz 2 anos e assume posição de liderança no mercado