Colourgen anuncia impressora digital de papel de parede

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/06/2018
Dimense estampa e cria efeitos 3D nas superficiais das mídias

Dimense estampa e cria efeitos 3D nas superficiais das mídias

A Colourgen, distribuidora britânica de equipamentos para comunicação visual, anunciou no mercado europeu a disponibilidade da Dimense, primeira impressora a estampar e criar, simultaneamente, estruturas 3D e efeitos nas superfícies de papéis de parede.

O equipamento, cuja tinta cria as estruturas sob medida, ganhou recentemente o prêmio de “Melhor Solução de Papel de Parede”, da European Union Press Association Award, na feira Fespa 2018, que ocorreu em maio, na Alemanha.

Além de resistentes a luz e abrasão, os impressos produzidos na Dimense apresentam propriedades antichamas. Portanto, podem ser aplicados em áreas de tráfego intenso, como hotéis, lojas e ambientes corporativos.

A máquina produz em velocidade de até 20m²/h e estampa mídias com largura de 1,6m. A tinta empregada pela Dimense é uma tecnologia ecologicamente correta baseada em látex. Já as mídias são da linha Ecodeco (sem PVC).

Mark Lambert, diretor da Colourgen, declarou: “A Dimense é uma impressora única e inovadora, que será uma divisora de águas no mercado de papéis de parede impressos digitalmente. Estamos ansiosos para promover este produto para um público maior. A Dimense é realmente uma revolução na criação de gráficos personalizados”.

Impressora Dimense é capaz de estampar e confeccionar efeitos superficiais 3D em papéis de parede personalizados

Fonte: Colourgen



Konica Minolta lança equipamento para impressão têxtil industrial

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/06/2014

Nassenger Pro 1000 pode imprimir a mil metros quadrados por hora

Nassenger PRO 1000 pode imprimir a mil metros quadrados por hora

A Konica Minolta, fabricante de impressoras digitais, anunciou o lançamento internacional do Nassenger PRO 1000, equipamento de alta produtividade indicado para indústrias de estamparia têxtil.

Segundo a empresa, a máquina emprega cabeças capazes de imprimir na velocidade máxima de 1.000m2/h (na resolução de 540 x 360dpi). As peças exclusivas e desenvolvidas pela própria Konica Minolta apresentam um total de 1.024 nozzles, cada um com densidade de 360npi.

Manutenção

Para a limpeza e manutenção das cabeças, o equipamento serve-se de dispositivo que verifica e limpa regularmente os nozzles, o que permite uma produção ininterrupta e automatizada. Além disso, o equipamento tem função que possibilita a realização remota de procedimentos de limpeza.

Sistema de alimentação de substratos

A impressora possui função que detecta  automaticamente amassos e vincos nos tecidos e apresenta cabeças com design de superfície côncava. Ambas as ferramentas foram desenvolvidas para prevenir a colisão entre o substrato e o sistema de impressão, evitando falhas e interrupções durante a produção.

Cores e tintas

A máquina emprega nove cores de tinta, paleta que serve para aumentar a capacidade de reprodução tonal do equipamento. Os insumos empregados são à base de corantes dispersos, reativos ou ácidos. Segundo a empresa, essas tintas passaram por testes e demonstraram ser seguras para o corpo humano, além de terem resistência a lavagem e abrasão. A fim de melhorar o desempenho produtivo, a máquina possui dois tanques de tinta de 20 litros para cada cor.

Fazem parte da linha de impressoras têxteis da Konica Minolta outros equipamentos como o Nassenger PRO 60 (para pequenas tiragens) e o Nassenger PRO 120 (de médio porte).

Fonte: Konica Minolta



Barbieri lança solução de gerenciamento de cores para estamparia têxtil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/05/2019
Spectro LFP qb Textile Edition é espectrofotômetro para medir cores em tecidos

Spectro LFP qb Textile Edition é espectrofotômetro para medir cores em tecidos

A Barbieri, fornecedora de soluções eletrônicas, apresentou no mercado internacional o Spectro LFP qb Textile Edition, espectrofotômetro para gerenciamento de cores em tecidos estampados digitalmente.

De acordo com a empresa, para medir as cores de um tecido estampado, ele deve ser fixado em uma superfície uniforme e com o apoio branco. Porém, há muita dificuldade nesse procedimento. Isso porque, durante as medições, o tecido acaba se distorcendo e fazendo com que a medição automatizada não seja possível. Para esse transtorno, a Barbieri desenvolveu o Spectro LFP qb Textile Edition. Ele garante uma fixação fácil e segura do tecido e mede de forma automática. Para tanto, novos suportes têxteis foram criados para a fixação. Além disso, o dispositivo vem com um sistema de sopro de ar que impede que fibras têxteis contaminem a óptica.

Ainda segundo a empresa, o novo recurso mais importante é o sistema de reconhecimento automático de patches, compostos por algoritmos especiais e unidade de detecção. Uma vez conhecidas as coordenadas de cada patch, o dispositivo inicia as medições e os gráficos, mesmo distorcidos, serão medidos de forma totalmente automática.

Com abertura de medição de até 8mm e geometria 45°/0°, o novo espectrofotômetro da Barbieri também é capaz de medir tintas fluorescentes na impressão têxtil.

Fonte: Barbieri