Cobertura Serigrafia Sign 2013 – Parte 2: Corte, gravação e acabamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/07/2013

Além das impressoras digitais, vários outros equipamentos fizeram parte da feira Serigrafia Sign 2013. Entre eles, os dispositivos para corte, gravação e acabamento, como routers, máquinas a laser, mesas de corte e plotters de recorte. Veja a seguir um panorama do que os expositores dessas soluções apresentaram no evento.

Leia também as demais partes dessa cobertura:
1ª: Impressoras digitais
3ª: Mídias, tintas e softwares
4ª: Números, eventos e parcerias
5ª: Acessórios para comunicação visual
6ª: Sublimação, transfer e fotoproduto
.

Router

O visitante que procurava por uma nova router pôde conferir dezenas de ofertas dessa tecnologia. No estande da Vitor Ciola, por exemplo, os interessados puderam conferir as consagradas máquinas da linha Scriba. Entre as características desses equipamentos, estão a dupla motorização no eixo X, estrutura rígida em aço e alumínio extrudado e servo motores DC com encodres de 2.000ppr. A série de routers da Vitor Ciola possui desde modelos mais simples (como o Scriba Start) a equipamentos mais complexos (como o Scriba 2051, com área de 2.000 x 5.100mm).

Scriba, da Vitor Ciola

Scriba, da Vitor Ciola

A Aviso também é dona de um amplo catálogo de equipamentos para corte e gravação, que inclui máquinas a laser, fresadoras e dispositivos CNC de plasma. Na feira, a empresa destacou a linha de routers Nina, composta pela Nina Gold Plus, que — segundo a fabricante — é uma evolução de suas predecessoras em termos de robustez, além de possuir pórtico elevado em alumínio extrudado e travas para segurança.

Outra empresa que marcou presença foi a Engraver, que expôs diversas máquinas de corte e gravação. Entre elas, mesas de corte, fresadoras, modeladoras, além routers como a Engraver 2030, com área de trabalho de 2.000 x 3.000mm e motor passo. O dispositivo possui estrutura construída em tubos de aço e utiliza guias prismáticas de precisão. A fornecedora vende outras routers, com características variadas, como a Engraver 1325 e a Engraver 1212.

A 3D Transform também compareceu à 23ª edição da feira Serigrafia Sign. A fabricante apresentou mesas de corte (CNC com faca oscilante), máquinas a laser da marca Laser System (com fonte CO2 ou YAG) e equipamentos para corte de isopor (CNC EPS 3D). Também expôs as suas tradicionais routers, para usinagem em materiais como acrílico, latão, madeira, entre outros substratos.

Veja algumas routers expostas na Serigrafia Sign 2013:

A Brawel também compareceu ao evento, mostrando routers e equipamentos CNC fabricados no Brasil, para usinar, cortar e esculpir diversos materiais, como metais, polímeros, laminados, entre outros.

Fundada em 2010, a Lexno também esteve no evento, no qual exibiu suas routers, como a SPL-2015, com área útil de 2.000 x 1.500mm, motor passo, estrutura de aço tubular e faca tangencial de série. A empresa ainda tem, em seu portfólio, a linha de máquinas que usam tecnologia de plasma.

Engraver levou as suas routers para a feira

Engraver levou as suas routers para a feira

Já a Serilon, distribuidora de equipamentos para comunicação visual, possui amplo portfólio de dispositivos para corte e gravação, incluindo máquinas a laser da linha Creativa, mesas de corte DYSS e routers da família Rizon, como a Primalinea 2030, com 1.950 x 2.750mm de área de trabalho e motor de 3CV.

A Day Brasil, além de mesas de corte da Zund, comercializa routers da MultiCam, equipamentos que estiveram em exposição na Serigrafia Sign 2013. A máquina tem eixo de 3CV de alta frequência, interface EZ Control, calibração automática de ferramenta, entre outras qualidades.

Máquina a laser

Outra tecnologia em abundância na feira Serigrafia Sign 2013 foi a de gravação e corte a laser. A Automatisa, por exemplo, apresentou máquinas como a Dua 1209 com área útil de 1.200 x 900 mm (dois bicos) e potências (laser de vidro) de 80, 100 e 130W. Outro equipamento no estande da empresa foi a Acrila 1525 (área de 2.55 x 1.500mm), especialmente desenvolvida para corte de materiais não metálicos de grandes formatos, como acrílico, MDF, PETG e PS.

Acrila, da Automatisa

Acrila, da Automatisa

A DS4 também demonstrou os seus equipamentos. Além de comercializar routers da série I-servo, a fornecedora ofereceu as máquinas a laser da série DSL 130, cuja área de trabalho tem 1300 x 620mm, para corte de materiais com até 210mm de espessura e 20kg. A empresa também vende a DSL 1312, máquina a laser com área de corte de 1300 x 1250mm.

Outra presença na feira foi a Gravograph, dona de uma linha grande de equipamentos para gravação, que levou para o evento, entre outras opções, a LS900, máquina a laser voltada a empresas que têm volume médio a alto de produção. O dispositivo possui chassi de alta resistência e plataforma de gravação com área de 610 x 610 mm.

Já a Futurize apresentou a Laser Flat, máquina que possui área de corte de 1.500 x 2.500mm, que permite a colocação de chapas de acrílico, MDF, madeira, couro, tecidos, entre outros substratos. O equipamento emprega dois canhões de laser, que podem operar isolada ou simultaneamente. A empresa também comercializa outras máquinas, como a Futurize Plus Laser 6008D e a Laser 6004D.

Veja algumas máquinas a laser expostas na Serigrafia Sign 2013:

A Laser CNC, além de routers, comercializa máquinas a laser com a CMA1080, usada para corte de gravação de MDF, acrílico, EVA, tecidos e outros substratos não metálicos. O equipamento tem área de trabalho de 1.000 x 800mm e potência de laser de 80 a 130W.

A Mettalforma também esteve na Serigrafia Sign 2013. A empresa vende a CMA 1390, máquina a laser para corte e gravação de substratos como o acrílico. Tem potência de 80 a 130W e área de trabalho de 1.300 x 900mm. Atinge velocidade máxima de 6.400mm/min (gravação) e 3.600mm/min (corte) e resolução de 4.000dpi.

Marcou presença também a Glory Laser, com a GLC-6040, de 600 x 400mm de área de trabalho, tubo selado de laser e potências que vão de 70 a 200W. A máquina faz corte e gravação em plásticos, couro, tecidos, EVA, entre outros substratos.

A Fesmo levou o seu amplo portfólio de equipamento para corte e gravação. Além de routers, a fornecedora demonstrou máquinas a laser CO2 da linha FMA, que pode trabalhar materiais com até 25mm de espessura, além de gravar na velocidade de 64000mm/min e cortar na velocidade de 36000mm/min.

Veja algumas máquinas a laser expostas na Serigrafia Sign 2013:

Já a Sitari levou as máquinas da marca Laser Mark, como o modelo T40 (com área de trabalho de 44 x 254mm) e o modelo R60 (de 610 x 450mm). Ambos os dispositivos empregam laser CO2 de 40W.

Representante da Trotec no Brasil, a Solugrav demonstrou várias máquinas a laser em seu estande, como a Speedy300 Flexx, cuja área de trabalho é de 726 x 432mm e usa como fontes o CO2 e o Fiber Laser Pulsado. A empresa aproveitou a ocasião para mostrar a nova Speedy400 Flexx, com área de 1.000 x 610mm.

A Cutlite levou as suas máquinas de porte industrial como a Laser Plus 2015, cuja área de trabalho é de 2.000 x 1.500mm, com potências de 250, 500 e 1.000W, podendo trabalhar com aço, acrílico, MDF, entre outros materiais.

GCC, vendida pela Akad

GCC, vendida pela Akad

Já a Akad apresentou a linha de máquinas da GCC, como a LaserPro X500 (área de trabalho de 1290 x 916mm), LaserPro X380 (965 x 609mm) e a LaserPro X252 (635 x 458mm).

A Inova laser apresentou a ILF20Watts, equipamento portátil para aplicações nos mercados de brindes, instituições, indústrias e materiais esportivos. A empresa também destacou a ILD-01. Portátil, a solução oferece 20.000 horas de gravação em metais, couro, plásticos, entre outros materiais.

No estande da Welle, os visitantes da feira puderam ver em funcionamento máquinas a laser para diversas aplicações. Dependendo do modelo, o equipamento pode empregar laser fibra (para metais e polímeros), CO2 (couro, tecido, madeira e acrílico) ou UV (polímeros, vidros e cerâmicas). Desenvolvidas no Brasil, as máquinas da Welle podem ser financiadas por programas como Finame e Cartão BNDES.

Além disso, equipamentos da Potencial Laser, Top Máquinas, Sun Special, Mac-LenMáquinas Lampe também foram expostos durante a feira Serigrafia Sign 2013.

Mesa de corte

As tradicionais mesas de corte Zund estiveram presentes na Serigrafia Sign 2013. O estande que as apresentou foi o da BG Soluções, revendedora da marca no país, que destacou a linha Zund S3, composta por máquinas com sistemas de vácuo e motorização e estação de trabalho ergonômica. Essas mesas são multifuncionais por permitirem o uso de módulos e ferramentas diversas. Os equipamentos (de fabricação suíça) trabalham com vários substratos flexíveis e rígidos, como PS, PVC, PET, PP, policarbonato, acrílico, MDF, alumínio, entre outros.

A marca Zund esteve presente na Serigrafia Sign 2013

A marca Zund esteve presente na Serigrafia Sign 2013

O visitante da Serigrafia Sign 2013 também pôde conferir as mesas de corte da Esko Kongsberg. Dona de um portfólio extenso de modelos, a marca possui linhas de equipamentos como a XE, XL e XP — cada qual com características técnicas distintas. A série XL, por exemplo, tem máquinas com áreas que vão de 1680 x 1270mm até 2210 x 4800mm. Já a família XE possui dispositivos que trabalham na velocidade de 64m/mim, enquanto a linha XP pode chegar a 100m/min. Os equipamentos Esko são também distribuídos pela Alphaprint e Digigraf.

Mesa de corte da Esko

Mesa de corte da Esko

A Bannerjet levou a CB03, que tem uma série de opcionais, tais como a ferramenta de corte oscilante (para material composto de até 15mm de espessura), I-Cut (sistema integrado de câmera para leitura de registro) e a Foam Cutting (corta espuma de até 45mm), entre outras opções.

Já a Kehl expôs a 6240 TPT, para corte de tapetes personalizados. A máquina possui faca tangencial oscilante, ferramenta de marcação, laser (para posicionamento do material), além de ter área de trabalho de 1200 x 1200mm.

Plotter de recorte

Certamente, numa feira de sinalização, como a Serigrafia Sign 2013, não pode faltar as clássicas plotters de recorte. Para essa edição da feira, a Mimaki lançou a série CGSRIII, composta por modelos de 60, 100 e 130mm de largura de corte. Os novos equipamentos têm maior precisão e força no corte, quando comparados aos modelos anteriores.

Nova plotter Mimaki da série CGSRIII

Nova plotter Mimaki da série CGSRIII

A Roland também levou plotters para o seu portentoso estande. A fabricante japonesa oferece equipamentos como o CAMM-1 GX-24, que possui um motor servo de controle digital e pode trabalhar na velocidade de corte de até 500mm/s.

Outra distribuidora a exibir plotters no evento foi a Akad, que vende a Expert 24 (com corte de até 600mm, força de até 250g e velocidade de até 400mm/s) e a Expert 52LX (com largura útil de corte de até 1300 mm e sistema AASII).



MACtac apresenta nova película adesiva

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 12/12/2012

A MACtac, fabricante de substratos, acaba de lançar mais um material para aplicações em sinalização, comunicação visual e PDV (ponto de venda). Trata-se do Permacolor® Colorptint PP2018, mídia feita de poliéster revestido (em ambos os lados) por um adesivo acrílico sensível à pressão (protegido por papel liner).

De acordo com a fabricante, a mídia oferece bom desempenho em diversas aplicações realizadas sobre diversos tipos de superfícies.

Poliéster da MACtac

Poliéster da MACtac: aplicado em instalações indoor

O substrato pode ser usado em conjunto com outras mídias, como chapas, Fome-Cor®, Gatorfoam®, Cresent®, Masonite® e Sintra®. Também permite a laminação.

Segundo Mary Ann Kucera, gerente de marketing da MACtac, o filme é uma boa alternativa para aplicações mais rotineiras.

Fonte: MACtac. Texto: InfoSign



Tipos de adesivos usados em vinil – parte 2

Por Eduardo Yamashita em 06/07/2015

Saiba a diferença entre adesivo permanente e adesivo removível

Saiba a diferença entre adesivo permanente e adesivo removível

A maioria dos filmes adesivos é projetada para durar médios e longos prazos quando expostos ao ar livre. Por essa razão, os adesivos são geralmente permanentes. Porém, em alguns casos, o adesivo removível é empregado. Trata-se de um composto de aderência baixa, projetado para ser removido com relativa facilidade (a facilidade é determinada pela resistência à força de puxar, que é medida em libras por polegada).

Confira a primeira parte deste artigo

Vamos comparar dois filmes autoadesivos com adesivo acrílico: um é removível e o outro, permanente. O removível oferece força adesiva de apenas 1,6lbs/pol2, enquanto o permanente proporciona 3,7lbs/pol2. Isto é, o adesivo acrílico permanente tem 131% mais força de atrito do que o removível. Essas medições são realizadas 24 horas após a aplicação (tipicamente testados em alumínio ou aço inoxidável, que são substratos ideais).

Quanto mais tempo um vinil com adesivo removível fica preso à superfície, mais forte se torna o vínculo. Às vezes, sua remoção pode ser tão difícil quanto a de um adesivo permanente. Em outras palavras, todos os adesivos removíveis podem se transformar em permanentes. Geralmente, depois de, em média, três anos, a diferença é insignificante.

Resíduos

Qualquer um que já teve de substituir uma imagem antiga sabe que a remoção do adesivo é apenas metade do trabalho. Depois de o filme ser puxado e rompido, o resíduo adesivo permanece sobre a superfície. É por isso que uma boa “removibilidade” significa a inexistência de resíduos de adesivo.

Fabricantes de vinis adesivos removíveis oferecem produtos capazes de serem removidos até dois anos depois da instalação, com menos de, aproximadamente, 20% de resíduo.

Adesivos de maior qualidade deixam menos resíduos depois de removidos

Adesivos de maior qualidade deixam menos resíduos depois de removidos

Aplicações

Vinis para recorte ou impressão digital com adesivos removíveis são geralmente usados para aplicações indoor temporárias (feiras e exposições), decoração de interiores, imagens de trânsito exteriores (abrigos de ônibus, sinais de ônibus e táxi) e, claro, envelopamento de veículos.

De modo geral, qualquer imagem a ser substituída em dois anos pode ser criada em um filme com adesivo removível. Para projetos que devem durar mais de três anos, recomenda-se o uso de vinil com adesivo permanente.

Adesivo reposicionável

À medida que novos usos são encontrados para filmes de recorte e impressão, novos termos para defini-los são elaborados. Há cinco anos, o termo “reposicionável” se referia à alta qualidade de adesivos permanentes. Nesse contexto, “reposicionável” significava que o filme era fácil de manusear em uma aplicação a seco. Esse adesivo permite a colocação e a reposição da imagem sobre a superfície, desde que não seja pressionado. Quando espatulado, a pressão ativa o adesivo. Ele “molha a superfície” e começa funcionar. Uma vez que se adesiva, é considerado permanente.

Atualmente, “reposicionável” significa ser capaz de mover todo o vinil autoadesivo depois de ele ter sido aplicado - algo que ninguém no ramo de sinalização pensava alguns anos atrás. “Vinis de parede” têm um adesivo de aderência muito baixa, permitindo que sejam facilmente levantados e movidos para outra superfície sem deixar resíduos e sem destruir a capacidade de movê-los e reaplicá-los de novo… e de novo… e de novo. Ou seja, é um grande progresso.

Atualmente, os adesivos reposicionáveis permitem que o vinil seja colado e destacado inúmeras vezes

Atualmente, os adesivos reposicionáveis permitem que o vinil seja colado e destacado inúmeras vezes

Um adesivo removível não é necessariamente reposicionável. Há materiais para serem adesivados em paredes e cuidadosamente removidos. Mas alguns não foram concebidos para ser removidos e reposicionados. É certo que parte da diferença é causada por especificações do filme de PVC.

As informações acima são um bom guia para que você faça a escolha adequada entre adesivos acrílicos ou de solventes e entre permanentes, removíveis ou reposicionáveis.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual