Cobertura Fespa Brasil 2017 – Parte 2: Visitação, congressos e Cambea

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/03/2017
Fespa Brasil 2017 recebeu a visita de 15.154 profissionais

Fespa Brasil 2017 recebeu a visita de 15.154 profissionais

Entre os dias 15 e 18 de março, o Expo Center Norte, em São Paulo, foi sede da quarta edição da Fespa Brasil. O evento recebeu a visita de 15.154 profissionais, número que supera a visitação das três edições anteriores da feira no país. Além da exposição de diversas marcas e tecnologias, a feira contou com eventos paralelos, como os congressos educacionais e a sétima edição do Cambea (Campeonato Brasileiro de Envelopamento Automotivo).

Alexandre Keese, diretor da Fespa Brasil, declarou: “A feira foi um tremendo sucesso. Foram quatro dias de corredores lotados, profissionais vindos de todos os estados brasileiros, visitantes internacionais – todos buscando por novas tecnologias em hardwares, softwares e substratos, inovações para realmente conquistar um lugar especial em seu negócio. O que há de mais moderno no mundo esteve aqui dentro. Estamos com a missão cumprida”

Neil Felton, CEO da Fespa, frisou: “A Fespa Brasil 2017 é de longe umas das melhores feiras que já vi no Brasil ou ao redor do mundo. Bastava olhar os corredores. A forma que medimos se uma feira é boa é pela resposta dos clientes. E eles disseram de forma unânime que a feira foi fantástica. Nós temos aqui a melhor taxa ao redor do mundo de visitante por metro quadrado em uma feira. Isto é fantástico e mostra que a energia do mercado está muito forte”.

Michael Ryan, gerente da Fespa Exhibition - Americas, concorda com essa posição: “Há muito sobre otimismo vindo ao evento. Vi compradores e as principais pessoas do setor no Brasil vendo o que há de novo na indústria. Os números são incríveis. Estamos realmente felizes”.

A próxima edição da Fespa Brasil está marcada para o mês de março de 2019, novamente na cidade de São Paulo.

Público buscou conhecer tecnologias e aplicações de impressão digital

Cambea 2017

“Quatro dias de uma disputa acirrada, alto nível técnico e emoção”, assim foi o Cambea 7, segundo seus organizadores. Realizada novamente dentro da Fespa, a competição de foi vencida pela dupla gaúcha da Ellite & Prime – Pablo de Castro e Beto Quadros. Em segundo lugar, ficaram os profissionais da Fosco e Cia. O terceiro posto foi ocupado pela Gênesis.

A dupla vencedora, de Santa Maria (RS), falou da emoção em levar o prêmio para casa: “A gente só veio para se divertir e conhecer pessoalmente os amigos do envelopamento. Como era nossa primeira vez, a única meta era ficar entre os cinco melhores. Ir à final já era ser campeão. E levar o título para a casa é incrível, inexplicável. Queremos agradecer o Cambea, todos os patrocinadores e o pessoal da torcida”.

Marcelo Souss, organizador do Cambea 7, declarou: “É o maior campeonato de envelopamento do mundo, com um toque brasileiro: Justin Pate no Cambea Lab, ensinando o pessoal a envelopar; um nível elevadíssimo no CAMBEA Pro; todo mundo batendo recorde no Cambea Fast, envelopando o capô. O principal é a festa dos aplicadores. Temos profissionais de todas as regiões do país”.

Pablo de Castro e Beto Quadros, da Ellite & Prime, foram os campeões do Cambea 7

Congressos Educacionais e Fespa Showroom

De acordo com sua proposta de investir e fomentar o mercado, a Fespa Brasil promoveu diversas sessões educacionais (Fespa Digital Textile Conference, Sublimation Day e Congresso Internacional de Comunicação Visual e Impressão Digital). As apresentações foram assistidas por centenas de profissionais em busca de aprimorar técnicas, conhecer novos mercados e tecnologias, tirar dúvidas e vislumbrar novos horizontes.

Os visitantes da feira Brasil também puderam visitar o Fespa Showroom, espaço produzido pela TopColors em parceria com os expositores do evento. O objetivo da proposta foi mostrar as mais variadas aplicações de impressão digital. Alexandre Keese declarou: “Tivemos a estreia com sucesso do Fespa Showroom, que inovou e mostrou ao profissional de comunicação visual novas aplicações, para inovar também dentro de seu negócio”.

A Fespa promove o "Profit for Purpose", programa de reinvestimento de lucros da própria federação no mercado, visando levar informações aos visitantes e buscar o crescimento constante e sustentável da indústria de impressão.

Sublimação e estamparia têxtil foram temas das sessões educacionais promovidas dentro da Fespa 2017

Fonte: Fespa Brasil



Aplicação de vinis em superfícies com rebites

Por Eduardo Yamashita em 10/11/2014

Veja dicas de como aplicar vinis adesivos em superfícies com rebites

Veja dicas de como aplicar vinis adesivos em superfícies com rebites

Você está pronto para começar a produzir projetos complexos envolvendo vinis adesivos em superfícies grandes? Em caso afirmativo, será necessário dominar a questão dos rebites.

Rebite de fixação mecânica permanente consiste em um eixo de metal liso com uma "cabeça". Ele é inserido em extremidades de placas e estruturas. Ninguém gosta, mas ele é inescapável em trabalhos com as frotas de caminhões, ônibus e veículos de grande porte.

De fato, é a pedra no sapato de quem realiza projetos maiores. Mas aplicar vinis sobre rebites não será um pesadelo se você tiver os conhecimentos e as habilidades certas. Saiba quais são a seguir.

De volta ao básico

O primeiro passo é ter certeza de que a superfície onde o vinil será aplicado está limpa e seca. A preparação inadequada pode gerar danos irreparáveis.

Embora óbvia, a limpeza da superfície é uma etapa importantíssima a ser levada a cabo, inclusive por instaladores apressados e aplicadores inexperientes. A contaminação dos vinis é uma das principais causas de insuficiência na aplicação.

Um dia antes da aplicação, limpe o veículo. Depois, use um pano úmido com água e álcool para remover a poeira da superfície. Em seguida, verifique todas as emendas, rebites e ondulações, a fim de retirar solvente e umidade remanescentes. Caso eles estejam presentes, é preciso usar um soprador térmico para secar completamente a superfície antes de iniciar o trabalho. Mas tome cuidado para não queimar a pintura ou a borracha.

Evite aplicação úmida

É melhor realizar a aplicação úmida ou seca? Quando se trata de rebite, o debate é longo. No entanto, você deve saber que não pode usar a aplicação úmida na instalação de vinis sobre rebites.

Essa regra também é válida para dias chuvosos. Por quê? Porque a condensação permanece mais tempo sob os rebites e as emendas do que sob superfícies planas. O vinil quando disposto sobre qualquer coisa molhada, prende a umidade sob as imagens, e bolhas surgirão se a água ficar presa embaixo dos rebites.

Para uma aplicação profissional, é preciso utilizar as ferramentas adequadas

Para uma aplicação profissional, é preciso utilizar as ferramentas adequadas

É possível ver caminhões na estrada com rebites levantados – identificados pelo vinil adesivo levantado ao redor do rebite. É muito provável que a imagem nessas regiões estava aprovada depois do instalador ter concluído o trabalho. Porém, muito provavelmente, ele não aplicou calor suficiente para que o material se moldasse às regiões do rebite. Pense em cera de vela. Até certo ponto você pode moldá-la quando ela está fria, mas quando está quente, ela pode tomar a forma do molde.

O que pode acontecer é as bolhas de água (que estavam na superfície molhada) se evaporarem com o calor, aumentarem de tamanho e formarem bolhas grandes.

Ferramentas adequadas

Há ferramentas que tornam mais fácil a instalação profissional. Especialistas recomendam um furador de bolhas para liberação de ar. É necessário um soprador térmico para ajudar a moldar o filme de PVC.

Espátula é uma necessidade absoluta. Alguns instaladores usam dois tipos: uma dura (para o trabalho em geral) e uma mais macia (para áreas detalhadas). Espátula de feltro ajuda a evitar riscos nas imagens impressas no vinil em áreas difíceis.

Instalação

Aplique o vinil sobre os rebites da mesma maneira que é feito em superfícies com curvas. Em seguida, volte e faça alguns furos ao redor do rebite, para que você tenha um lugar para que o ar escape. Em seguida, use calor e uma escova de rebite para aplicar o material em torno da cabeça do rebite.

Você pode até usar uma ferramenta de corte para aliviar o stress do filme. Fique atento: se o vinil não aplicado corretamente, ele levantará com o tempo.

Saber lidar com os rebites é fundamental para quem trabalha com envelopamento de grandes veículos

Saber lidar com os rebites é fundamental para quem trabalha com envelopamento de grandes veículos

Depois que o vinil levanta, o adesivo embaixo seca (cura) e não haverá mais adesão à superfície. O vinil ressecará e romperá nas lavagens de manutenção de limpeza.

Instaladores inexperientes costumam usar o estilete para furar a região dos rebites. Essa é uma prática não é recomendada, pois cria um corte no filme que leva a um ponto de tensão e faz com que o vinil, no seu encolhimento natural, abra muito nessas regiões.

A "picada de agulha" com o furador de bolhas faz um orifício circular, que é muito pequeno para que ele encolha futuramente.

Vinis adesivos adequados

Muitos instaladores não consideram se estão ou não usando ferramentas e vinil adequados. Por exemplo, para colocar um parafuso na parede, você pode escolher entre parafusos Philips e de cabeça em linha reta.

Se você aplicar o material errado e que não foi projetado para o trabalho, ele não produzirá o resultado desejado. Para os rebites, é a mesma coisa: use os vinis adesivos corretos e instale-os com as ferramentas adequadas.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



Akad lança máquina a laser Novacut Laser BCL1006MM

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/08/2016
BCL1006MM foi projetada e desenvolvida na Suíça

BCL1006MM foi projetada e desenvolvida na Suíça

A Akad, fornecedora de equipamentos para comunicação visual, anunciou o lançamento da BCL1006MM, máquina a laser com área útil de corte de 1000mm × 600mm.

Indicado para empresas de sinalização, comunicação visual, serigrafia, tecidos, vidros e brindes promocionais, o equipamento realiza trabalhos em materiais como MDF, acrílico, couro, tecido, entre outras mídias homologadas.

Segundo a fornecedora, a máquina possui comunicação WiFi, painel de LCD para pré-visualização e sistema de movimentação vertical da mesa, para acomodar peças de até 150mm de altura. Além disso, a máquina conta com sistema de exaustão, compressor de ar, refrigeração a água do tubo do laser e software para operação do equipamento.

Com 90W de potência, a máquina tem garantia de 16 meses, exceto consumíveis como espelhos, lente e tubo do laser.

Quanto a gravação a laser, a fornecedora ressalta que o tamanho mínimo dos textos a serem gravados varia conforme o material e o tipo da fonte. Portanto, antes de gravar ou cortar, é importante avaliar características da mídia, como espessura, densidade, flexibilidade, dureza, tratamento superficial, sensibilidade do material a exposição a altas temperaturas para certificar-se da viabilidade técnica.

Fonte: Akad