Cobertura Fespa Brasil 2013 – Parte 4: visitação, congresso e campeonato de envelopamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/03/2013

13.184 visitantes únicos estiveram na Fespa Brasil 2013

13.184 visitantes únicos estiveram na Fespa Brasil 2013

Entre os dias 13 e 16 de março, ocorreu em São Paulo a Fespa Brasil 2013. Durante este período, foram apresentados lançamentos e produtos de fabricantes e fornecedores especializados em comunicação visual e impressão digital.

Estreando no país, o evento obteve números surpreendentes. Ao todo, a feira contou com 13.184 visitantes únicos (pessoas diferentes) que puderam conferir 231 marcas em 112 estandes. Estima-se que nos quatro dias de evento, as marcas tenham fechado negócios que, somados, chegam aos 120 milhões de reais.

Leia também as demais partes dessa cobertura:
1ª: impressoras (grande formato)
2ª: routers, máquinas a laser e mesas de corte
3ª: sublimação, tintas, substratos e softwares
 

Sucesso no Brasil

Realizada pela primeira vez em solo brasileiro, a Fespa foi além das expectativas dos expositores, que se impressionaram com os resultados do evento. Com isso, muitos já aguardam ansiosos pela próxima feira, prevista para março de 2015.

"A edição brasileira foi um dos mais impressionantes lançamentos que a Fespa já realizou. Estou muito animado com o futuro do evento", declarou Neil Felton, diretor de feiras da Fespa internacional.

Corredores e estandes estiverem sempre cheios durante os quatro dias de evento

Corredores e estandes estiveram sempre cheios durante os quatro dias de evento

Wrap Cup: campeonato de envelopamento de carros

Durante a feira, também ocorreu o Wrap Cup, campeonato de envelopamento que teve como vencedor o aplicador Jefferson Pimenta. Com o feito, ele ganhou o direito de disputar a competição mundial, na Fespa de Londres, que será em junho. Da competição, participaram envelopadores de várias partes do país, além de um competidor da Suíça.

O Wrap Cup teve início na quarta-feira (13) e foi encerrado na sexta-feira (15), nomeando os três finalistas: Jefferson Pimenta, Eduardo Satbel e Wagner Saragoz, nesta ordem.

Disputa acirrada: envelopadores competiram por uma vaga em campeonato internacional

Disputa acirrada: envelopadores competiram por uma vaga na edição londrina do Wrap Cup

"Estava muito ansioso, pensando se fiz um bom trabalho", comentou Pimenta ao saber do resultado. Seu foco agora é a competição internacional. "Vou treinar, pesquisar como é a aplicação lá fora e os materiais utilizados. Vou mostrar meu trabalho para ter a honra e o prazer de trazer o título para o Brasil", comentou.

Adriano Medeiros, organizador e um dos juízes da competição, também comemorou o sucesso do evento: "Para mim, foi fundamental a internacionalização dos nossos profissionais. A Fespa contribui muito pra isso, marcando presença no Brasil. Destaco também as regras e juízes do evento, que fizeram com que tivéssemos um show seguro, introduzindo o uso de EPIs".

Tendo a 3M, a Fotolia, a Imidia e a PixelDots como patrocinadoras, foi a primeira edição realizada no Brasil.

Jefferson Pimenta (de camiseta vermelha) foi o primeiro vencedor do Wrap Cup no Brasil

Jefferson Pimenta (de camiseta vermelha) foi o primeiro vencedor do Wrap Cup no Brasil

Congresso Internacional

Outra grande atração da feira, o congresso, realizado durante os quatro dias do evento, reuniu profissionais renomados de diversas áreas do setor.

No auditório, os participantes puderam conferir uma série de dicas e ensinamentos sobre Photoshop, fotografia, manipulação de imagens, produtividade, lucratividade, empreendedorismo, qualidade de imagens, estamparia digital, economia de substratos, impressão UV, entre outros temas.

Congresso gratuito teve programação bem diversificada

Congresso gratuito teve programação bem diversificada

"Durante a palestra, foi possível perceber que a Fespa Brasil reuniu um público muito direcionado, tomador de decisão. Essa qualidade de público é fundamental", pontuou Ricardo Pi Martin Vieira, gerente comercial da Océ que ministrou a palestra "Desafios da Era UV".

Fonte: Fespa Brasil



Fujifilm e Heidelberg unem-se para desenvolver novo tipo de impressora inkjet

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 22/02/2016
Equipamento desenvolvido pela Fujifilm e pela Heidelberg imprime substrato no formato B1

Equipamento desenvolvido pela Fujifilm e pela Heidelberg imprime substrato no formato B1

A Fujifilm, fabricante de impressoras digitais, e a Heidelberg, fabricante de impressoras offset, apresentarão um novo tipo de equipamento inkjet industrial durante a Drupa 2016, feira internacional que ocorrerá entre os dias 31 de maio e 10 de junho, em Dusseldorf, Alemanha.

Desenvolvida para imprimir mídias no formato B1, a máquina emprega cabeças de impressão Samba (da Fujifilm Dimatix) e um conjunto de sete cores (CMYK, laranja, verde e azul violeta) de tintas pigmentadas à base d’água com a tecnologia Rapic, para reprodução de imagens de alta definição. Além disso, a impressora emprega sistema especial de vernizes e o Prinect Digital Frontend (DFE), ambos fabricados pela Heidelberg.

O sistema permitirá o desenvolvimento de novas aplicações e oferecerá ferramentas de personalização, dados variáveis e aplicações de marketing direcionado. A ideia é que a impressora produza materiais com qualidade comparável à da impressão offset, mas com consistência e confiabilidade superior.

Tanto a Fujifilm quanto a Heidelberg planejam iniciar a comercialização da máquina em 2017. A primeira instalação em campo pode ocorrer logo após a Drupa 2016. A iniciativa começou em 2013, quando as duas fabricantes firmaram uma parceria para desenvolver uma nova impressora inkjet industrial.

Shigetaka Komori, CEO da Fujifilm Corporation, declarou: “Graças à nossa parceria com a Heidelberg, um dos principais fornecedores na indústria de impressão global, agora estamos confiantes de que podemos atender às necessidades crescentes do mercado de impressão industrial. A nova máquina com formato B1 aumenta o alcance da tecnologia a jato de tinta da Fujifilm”.

Fonte: Heidelberg 



Top Value Fabrics apresenta tecidos para impressão digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/11/2014

Linha Dye Sub Performance Textile é indicada para empresas que trabalham com sublimação digital

Linha Dye Sub Performance Textile é indicada para empresas que trabalham com sublimação digital

A Top Value Fabrics, fornecedora de mídias, anunciou no mercado internacional a Dye Sub Performance Textiles, linha de tecidos para impressão digital sublimática. As mídias são indicadas para confecção de banners, displays, estandes, entre outras aplicações de sinalização e comunicação visual.

A série inclui substratos como Tri Poly, Triple White, Display Fabric, Heavy Knit e Ultra White Blockout, que estão disponíveis em larguras que vão de 60 a 120 polegadas.

Segundo a empresa, depois de impressos, os tecidos oferecem excelente consistência de cor, nitidez de imagem e ampla variedade de cores.

Jeff Nonte, gerente da Top Value Fabrics, declarou: "A Dye Sub Performance Textile estreou na feira SGIA 2014 e foi muito bem recebida. As mídias não possuem revestimento e foram desenvolvidas para impressoras sublimáticas. Esses tecidos são uma excelente opção para empresas que trabalham com aplicações de luxo".

Fonte: My Print Resource