Cobertura Fespa Brasil 2013 – Parte 2: routers, máquinas a laser e mesas de corte

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/03/2013

Além das impressoras digitais, outros equipamentos abrilhantaram a Fespa Brasil 2013. Entre eles, os dispositivos para corte, gravação e acabamento, como routers, máquinas a laser e mesas de corte. Veja a seguir um panorama do que os expositores dessas soluções apresentaram na feira.

Leia também as demais partes dessa cobertura:
1ª: impressoras (grande formato)
3ª: sublimação, tintas, substratos e softwares
4ª: visitação, congresso e campeonato de envelopamento
 
Máquinas a laser: presença em massa na Fespa Brasil 2013

Máquinas a laser: presença em massa na Fespa Brasil 2013

Máquinas a laser

As máquinas a laser compareceram em peso na Fespa Brasil 2013. Entre os expositores que lançaram equipamentos para corte e gravação, estava a Solugrav, distribuidora tanto da Rayjet quanto da Trotec. A novidade exibida pela empresa foi a Trotec Speedy 400, que emprega CO2 e garante potências de 40, 60, 80 e 100W. O aparelho tem área de 1000 x 610mm.

A Sitari também foi uma das expositoras do evento. Além das máquinas R60 e PL40K, a empresa vende a T40, equipamento CO2, com potência de 40W. A máquina tem área de trabalho de 400 x 240m e refrigeração do tubo feita com água.

Trotec Speedy 400: uma das novidades da feira

Trotec Speedy 400: uma das novidades da feira

Outro estande que exibiu máquinas a laser foi o da Potencial Laser, importadora de equipamentos Ruijie. A empresa, além de routers, comercializa uma série bem ampla de gravadoras a laser. Entre os modelos destacados, está o RJ1510, que possui área de corte de 59 x 39cm, e pode trabalhar em potências de 60, 80, 100 e 130W.

A Glory Laser foi outra empresa que não deixou de expor os seus trunfos na Fespa Brasil 2013. A fabricante possui um portfólio que abrange todos os tipos de equipamentos para corte e gravação, como routers e máquinas a laser galvanométricas e do tipo plotter.

Máquina Ruijie exposta na Potencial Laser

Máquina Ruijie exposta na Potencial Laser

Outra empresa que também vende uma ampla variedade de equipamentos é a Mettalforma. Presente na feira, a empresa trabalha com máquinas galvanométricas (como a YAG-50DP), gravadoras de porte industrial (como a Profile Plus) e máquinas do tipo plotter (como a Serie CMA, cuja potência vai de 30 a 150W).

Routers

A Engraver, além de expor máquinas a laser, levou uma série bem variada de routers. Um dos modelos destacados pela empresa foi o Engraver 1212, que possui motores de passo e fusos de esfera. Tem área de 1,2 x 1,2m e pode trabalhar na velocidade máxima de corte de 70mm/seg. Já a Engraver 1325, outro modelo destacado pela empresa, tem área de trabalho de 1,3 x 2,5m e possui guias prismáticas e rolamentos lineares para o deslocamento das fresas. A 1325 faz trabalhos a 200mm/seg.

Engraver 1212 pode trabalhar na velocidade de 70mm/seg

Engraver 1212 pode trabalhar na velocidade de 70mm/seg

Outra empresa tradicional no mercado de routers, a Vitor Ciola exibiu a sua consolidada série Scriba. Entre os modelos dessa linha, a fabricante brasileira apresentou a 2030, de área de trabalho de 2000 x 3000mm, passagem de eixo de 120mm e eletromandril ELTE de 1,0 kW a 3,3 kW. A máquina, além de possuir estrutura de aço e guias lineares prismáticas em aço temperado, vem com dupla motorização do eixo ‘x’ e controlador digital de movimentos.

Scriba 2030, de área de trabalho de 2000 x 3000mm

Scriba 2030, de área de trabalho de 2000 x 3000mm

Mesas de corte

As tradicionais mesas de corte Zund estiveram presentes na Fespa Brasil 2013. O estande que as apresentou foi o da BG Soluções, revendedora da marca no país. A empresa comercializa duas linhas voltadas para o mercado de sign e comunicação visual: a Zund G3 e a Zund PN. A diferença básica entre ambas é que a primeira é composta por máquinas de maior porte, ao passo que a segunda agrega modelos menores. No entanto, todas as mesas de corte da fabricante suíça trabalha com diversos substratos flexíveis e rígidos, como PS, PVC, PET, PP, policarbonato, acrílico, MDF, alumínio, entre outros.

Máquina Zund no estande da BG Soluções

Máquina Zund no estande da BG Soluções

O visitante da Fespa Brasil 2013 também pôde conferir as mesas de corte da Esko Kongsberg, expostas no estande da Alphaprint, representante brasileira da fabricante europeia. Dona de um portfólio extenso de modelos, a marca possui três linhas de equipamentos: XE, XL e XP — cada qual com características técnicas distintas. A série XL, por exemplo, tem máquinas com áreas que vão de 1680 x 1270mm até 2210 x 4800mm. Já a família XE possui dispositivos que trabalham na velocidade de 64 m/mim, enquanto a linha XP pode chegar a 100m/min.

Mesa de corte Esko, representada pela Alphaprint

Mesa de corte Esko, representada pela Alphaprint

Ainda na seara das mesas de corte, a Danfex levou uma novidade: a Samurai V-Cut. Com área de 1.6 x 2,5m, a máquina dispõe de sistema de corte oscilante, software dedicado (Kasemake Full) e painel de controle incorporado ao equipamento. Entre as ferramentas inclusas, a Samurai V-Cut tem faca fixa, faca oscilante, rodízio para vinco, caneta e ferramenta para corte em 45º.

Samurai V-Cut, vendida pela Danfex

Samurai V-Cut, vendida pela Danfex



Mimaki Brasil vende séries de impressoras em condições especiais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/03/2016
Linhas de impressoras estão em promoção

Linhas de impressoras estão em promoção

A Mimaki Brasil está comercializando impressoras das linhas CJV150 e JV150 em condições especiais. São quatro modelos vendidos com preço promocional até o dia 31/5/2016 ou até o fim dos estoques. Confira:

- CJV150-130: por R$59.999,00, a impressora tem 1,36m de largura e pode trabalhar na velocidade máxima de 48,9m2/h;

- CJV150-160: por R$69.999,00, a máquina tem largura de 1,6m e pode operar na velocidade máxima de 56,2m2/h (na resolução de 360 x 360dpi);

- JV150-160: por R$66.000,00, a impressora tem 1,6m de largura e pode trabalhar na velocidade de 58m2/h (na resolução de 360 x 360dpi). Pode utilizar tinta solvente ou sublimática;

- CJV150-107: por R$39.999,00, a máquina apresenta largura de 1,09m e sistema de abastecimento contínuo (bulk-ink), além de trabalhar na velocidade máxima de 45,2m2/h (com resolução de 360 x 360dpi). O proprietário da CJV150-107 pode optar por utilizar tinta solvente ou sublimática. Ao adquirir a versão sublimática, o equipamento vem com 100 metros de papel da Havir. O valor do equipamento é exclusivo para os seguintes estados: AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI, RN, SE, PA, GO, MT, MS, DF e RJ.

A Mimaki Brasil tem uma parceria com o Banco Daycoval, que viabiliza linhas de financiamento especiais.

Fonte: Mimaki



Como adesivar superfícies com rebites

Por Eduardo Yamashita em 03/11/2015
Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Além de fácil de aprender, a aplicação correta de imagens sobre rebites aumenta a velocidade da instalação e melhora a aparência do resultado.

Bastante recorrente no mercado, a adesivação de rebites normais em chapas lisas ou corrugadas será o foco deste artigo técnico. Com o método demonstrado, é possível obter resultados virtualmente perfeitos. Para tanto, o vinil deve ser aplicado de acordo com a forma de rebite e sem bolhas de ar e rugas. Todo adesivo deve ficar em contato com a superfície, e deve permanecer assim.

Observação: assim como o cast, o vinil calandrado pode ser capaz de se conformar a rebites, porém ele não ficará por muito tempo moldado nessas regiões.

Limpeza

A superfície deve ser devidamente limpa e completamente seca. Use as as seguintes soluções:

  • xilol ou similar: para contaminantes inorgânicos (gordura e graxa);
  • detergente neutro e água: para contaminantes orgânicos (terra, lama e partículas sólidas);
  • álcool isopropílico 70%: para limpeza final.

Com um pano (toalha), molhe e esfregue para remover a sujeira. Depois, antes da evaporação, seque com um segundo pano. É muito comum haver umidade por trás dos rebites. Isso acontece por causa da chuva ou da lavagem dos caminhões. Consequentemente, os fluidos remanescentes na traseira dos rebites devem ser removidos. Para tanto, aqueça as cabeças dos rebites e as áreas circundantes com um soprador térmico ou maçarico de propano até que todo líquido tenha evaporado. Em seguida, o vinil deve ser aplicado a seco e sem a utilização de fluidos de aplicação ou agentes umedecentes.

Método padrão de aplicação

Depois da limpeza dos rebites, realize a instalação seguindo os passos abaixo:

Espatule o vinil em paralelo à menor dimensão da imagem. Mantenha a imagem sempre esticada e pressione firmemente a espátula. Quando espatular sobre o rebite, alinhe o centro da espátula com o rebite, para que o vinil fique em contato com toda a superfície. Aplique e alise o vinil e empurre o ar para fora.
O resultado desejado é uma pequena bolsa de ar em torno de cada rebite. Depois de toda a imagem ter sido espatulada, se houver máscara de transferência, remova-a com cuidado em ângulo de 180 graus.
Corte o vinil sobre todas as emendas das chapas do caminhão. Use também um furador de bolhas, para permitir a saída do ar. Perfure vários pequenos buracos ao redor de cada rebite.
Use uma escova de rebite para pincelar em movimento circular, começando pelas bordas das bolhas de ar no vinil solto ao redor de cada rebite. Em espiral, siga em direção ao rebite. Leva apenas uma ou duas revoluções para empurrar para fora a maior parte do ar. Essa é “escovação” a frio, pois não há calor. Em seguida, use um soprador térmico (pistola de calor) ou maçarico de propano (não muito comum) e aqueça a região do rebite. Note que o vinil solta um pouco.
Escove novamente. Calor em excesso danifica o vinil. Se aquecê-lo demais, deixe-o esfriar antes de escovar. Repita o aquecimento e a escovação (geralmente três ou quatro vezes) até que todo o ar tenha saído. Em cada repetição, use mais calor e mais força na escovação.
Uma vez que todo o ar for retirado, use o calor novamente e centralize a escova na parte superior do rebite; esfregue-o com firmeza. A aparência final será similar a uma pintura.

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual