Cientista europeu cria processo para recuperar cabeças de impressão

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/01/2013

Um cientista europeu afirma ter descoberto um novo processo de recuperação para cabeças de impressão entupidas. Com a novidade, as peças que seriam descartadas, ganhariam uma nova chance.

"É certo que nós, na Europa, criamos o primeiro processo deste tipo. Desenvolvi um químico capaz de remover a tinta de forma a não causar degradações nas cabeças de impressão", revelou Phil Keenan, atual diretor da Camscience, e com passagens em empresas como a HP e a Xennia.

Com sua tecnologia atualmente utilizada por empresas como HP, Ricoh e outras que usam cabeças para disparo de tinta UV, Keenan pretende expandir os negócios, atingindo outras marcas como Mimaki e Roland. Segundo o cientista, a novidade é capaz de restaurar as peças a fim de fazê-las trabalharem como novas, evitando que sejam enviadas para aterros.

Keenan disse ao site britânico SignLink como funciona o químico: "Ele provoca uma separação entre a tinta UV curada e as superfícies da cabeça de impressão. Usando solventes leves e surfactantes, o químico quebra a tinta em partículas tão finas que são facilmente removidas", explicou.

É esperar para ver se o produto chega ao Brasil e, principalmente, se cumpre com o esperado.

reaproveitar cabeça de impressão

O cientista Phil Keenan afirma ter desenvolvido químico que reaproveita cabeças de impressão já gastas

Fonte: SignLink. Texto: InfoSign



SAi esclarece dúvidas sobre gerenciamento de cores para grandes formatos

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/02/2019
Executivo da desenvolvedora aborda pontos fundamentais sobre o processo

Executivo da desenvolvedora aborda pontos fundamentais sobre o processo

Gudrun Bonte, vice-presidente de gerenciamento de produtos da SAi, desenvolvedora de aplicativos dedicados a impressão de grande formato, responde a algumas das perguntas mais corriqueiras sobre gerenciamento de cores.

Quais ferramentas de gerenciamento de cores a SAi oferece para grande formato? Descreva os produtos e como usá-los.

O Flexi, software RIP da SAi, inclui um conjunto completo de ferramentas para criação de perfis, capazes de guiar os birôs por todo o processo. O SAi Flexi também tem ferramentas para automatizar o Pantone e para fazer correspondência manual de cores especiais.

Como o aplicativo se diferencia da concorrência?

A SAi se diferencia ao tornar mais fácil o gerenciamento de cores para as pessoas sem experiência. O Flexi também é o único RIP de perfis para grande formato disponível hoje por assinatura. Por apenas 50 dólares por mês, os bicôs podem ter um RIP completo.

Calibração de cores é passo fundamental no gerenciamento de cores

Com quais sistemas de cores o Flexi trabalha?

O Flexi funciona perfeitamente com perfis ICC compatíveis. Ele também se integra perfeitamente às bibliotecas online de perfis dos fabricantes de impressoras. Isso significa que os birôs só precisam colocar a mídia na impressora e o Flexi carregará automaticamente o perfil da biblioteca do fabricante do equipamento.

Além dos perfis de cores, quais opções estão disponíveis para os birôs que desejam aprimorar o gerenciamento de cores?

Qualquer birô que leve a sério a comunicação de cores precisa ter um dispositivo de medição de cores. Ferramentas como o Color Muse fazem medições precisas de cores especiais e também comparam cores impressas. Esses dispositivos portáteis custam menos de 100 dólares e suas medições podem ser usadas no software RIP para as correspondências. A maneira mais eficaz de os birôs poderem aprimorar suas habilidades de gerenciamento é por meio de treinamentos profissionais. O software pode facilitar o processo, mas o treinamento ajuda os profissionais envolvidos a entender como comunicar cores com os clientes e como implementar um fluxo de trabalho completo.

Quais são as atuais expectativas dos clientes dos birôs?

Os compradores de impressão estão mais cientes e exigentes. Querem que suas cores combinem nas mais diversas mídias. Os compradores de impressão querem cores mais consistentes e são mais propensos a trocar de birô para obter esse resultado. Muitos compradores de impressão sabem quais cores devem estar em seus produtos. Isso significa que a comunicação de cores e a antecipação clara das expectativas se tornaram mais importantes. Ou seja, os birôs precisam estampar corretamente e também se comunicar de forma inteligente com os seus clientes.

Amostras de cores reproduzidas pelo aplicativo

Quais são os maiores desafios que os birôs enfrentam para atender tais expectativas?

Sem treinamento ou processo formal de gerenciamento de cores, os birôs podem ter muita dificuldade para obter consistência de cores. Controles de processo, como a Calibração G7 e a simulação de perfis, tornamra-se importantes para os trabalhos mais complicados. É muito difícil obter cores precisas e consistentes sem o uso dos perfis ICC correspondentes às mídias usadas. Portanto, corrigir esse problema tornará o gerenciamento de cores mais fácil. É por isso que os birôs estão investindo na criação de seus próprios perfis.

A crescente variedade de mídias de grande formato aumenta a necessidade de ferramentas de gerenciamento de cores? Por quê?

Os princípios básicos do gerenciamento de cores são os mesmos, independentemente da mídia. No entanto, fazer a correspondência de cores em diferentes tipos de mídias e tintas é muito difícil sem o gerenciamento.

Como as ferramentas de gerenciamento de cores se adaptaram para oferecer suporte a uma variedade maior de mídias?

A nova geração de dispositivos de medição de cores tornou muito mais rápido e fácil perfilar mídias transparentes e têxteis. Esses dispositivos são investimentos caros, mas reduzem drasticamente o desperdício. Ferramentas de perfil de cores se tornaram muito mais fáceis de operar. Por exemplo, a versão mais recente do Flexi inclui um assistente que guia o usuário iniciante na confecção de perfis. Ele também inclui ferramentas de comparação e relatório, para ajudar os birôs a comunicar melhor sobre as cores com seus clientes.



Graphtec lança impressora digital de rótulos e etiquetas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 20/12/2018
Solução vem com sistema de acabamento em linha

Solução vem com sistema de acabamento em linha

A fabricante Graphtec anunciou a LCX1000, solução digital de impressão e acabamento de etiquetas.

A LCX1000 é composta por dois sistemas: o DLP1000, que é uma impressora digital, e o DLC1000, que é uma máquina de acabamento. Os sistemas permitem uma transição de trabalho rápida e suave entre os processos de impressão e acabamento.

O DLP1000 roda na velocidade máxima de 124mm/s, para imprimir mídias como filmes PET e papéis sintéticos com largura de até 152mm. Já o DLC1000 é uma solução de acabamento digital que permite a produção contínua de etiquetas e não exige moldes de corte caros, o que contribui para a economia de custos. Com a função de laminação, a DLC1000 confere um acabamento resistente à degradação química e ambiental.

A LCX1000 é compatível com o GHS (Global Harmonization System) e é fornecido com software dedicado.

Fonte: Graphtec GB