Case: Sinais investe em impressora UV e expande negócios

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 12/11/2018
Ivan Larrubia, proprietário da Sinais Comunicação Visual, investiu em uma unidade da Durst Rho P10-160 para se diferenciar no mercado

Ivan Larrubia, proprietário da Sinais Comunicação Visual, investiu em uma unidade da Durst Rho P10-160 para se diferenciar no mercado

Sinal de bons auspícios é quando o empresário volta a investir e ter boas perspectivas sobre seus negócios. É o caso do proprietário da Sinais Comunicação Visual, Ivan Larrubia, que adquiriu recentemente uma impressora UV Durst Rho P10-160. Alguns meses atrás, o executivo plenajeva obter uma ferramenta que fosse um diferencial. No caso da Sinais, a diferenciação viria por meio de uma tecnologia que ainda não fazia parte do parque gráfico da empresa, a impressão UV industrial.

Foi nessa época que o gerente de máquinas industriais da VinilSul, Antonio Carlos Celete, entrou em contato com Larrubia: “Eu conhecia o Ivan há muito tempo, praticamente desde o começo das atividades da Sinais. Então, ofereci a Rho P10-160 sem nenhuma pretensão. Ele (Ivan) entendeu que o equipamento estava acima das possibilidades dele, não em termos de estrutura física e financeira, mas sim em função do momento. Mas a Sinais começou a receber pedidos de altos volumes, e isso abriu novas oportunidades”.

As pretensões por diferenciação e impressões múltiplas e o aumento das demandas por materiais rígidos precipitaram o investimento na Durst, que foi concluído na Serigrafia Sign 2018. “Pouco depois da visita da VinilSul, eu estive na feira, onde pude conhecer melhor a tecnologia, além de tirar dúvidas”, comenta o dono da Sinais. Como resultado, alguns meses depois, o birô estaria com uma unidade da Rho P10-160 rodando perfeitamente em suas instalações.

Impressão UV permitiu a impressão direta em diversos materiais rígidos

A tecnologia

A diferenciação e a nova demanda por produtividade – sobretudo em mídias rígidas – levou a Sinais a investir na impressora da Durst. A máquina cumpriu com as expectativas de Larrubia, não só em função da tecnologia UV, que possibilita a impressão direta em inúmeras mídias, mas também porque oferece a capacidade de estampar com a tinta branca.

A tinta branca é um dos diferenciais que o executivo procurava: “Oferecíamos placas de acrílico com impressão no verso. Mas como nossa impressora anterior não tinha tinta branca, precisávamos colar adesivo branco no verso dessas placas. Era necessária mão de obra manual para finalizar o serviço, o que aumentava muito o tempo de produção. Então, usamos a Durst para imprimir diretamente nas placas. Quando o cliente viu o resultado disso, ficou muito feliz com a qualidade".

Além do branco, a Durst Rho P10-160 emprega tintas CMYK, light cyan e light magenta da série Rho Premium WG, desenvolvida para aderir a materiais plásticos. Por esse motivo, os insumos estampam uma gama maior de mídias flexíveis e rígidas. Entre elas, o acrílico e o policarbonato (sem a necessidade de primers), além de chapas corrugadas. Há também as tintas laranja e verde, vendidas como opcionais. Outros opcionais são o kit para corrugados e o kit de impressão rolo a rolo (para a P10 200/250). Em função da capacidade de trabalhar com um maior número de substratos, a impressora é indicada a produção de artigos de sinalização comercial (displays e totens), decoração (cenografia e estandes) e aplicações especiais (teclados de membrana, por exemplo).

Com largura máxima de impressão de 1,6m, a Durst Rho P10-160 produz na velocidade de até 100m2/h (no modo produção) e roda com a resolução padrão de 1.000dpi, para produzir imagens com suavização e cores sólidas homogêneas e sem marcas de passadas em impressão biderecional. Isso porque a máquina emprega cabeças Quadro Array 10, com nozzles em silicone alinhados microscopicamente. Além disso, conta com sistema de motor magnético linear patenteado, para garantir a precisão no disparo das gotas.

Durst Rho P10-160 deu conta das novas demandas por alta produção de materiais rígidos na Sinais

Sinais de bons augúrios

Localizada em Campo Limpo Paulista, em SP, a Sinais é uma empresa de 22 anos. A despeito de atualmente despontar entre as grandes referências da região, ela começou bem pequena: “No início eram apenas alguns pincéis, uma escada e um faixeiro de madeira que ficava no fundo do quintal. Isso mesmo! Começamos com pintura de faixas de morim. Talvez os mais moderninhos não saibam o que é isso... Mas a Sinais tem tinta no sangue”, revela Larrubia.

O passo seguinte da Sinais foi adquirir uma plotter de recorte. Assim como muitos outros birôs nos anos 90, a tecnologia de recorte teve papel determinante ao abrir oportunidades e ampliar a oferta de serviços. Da pintura e do recorte, a empresa evoluiu para a impressão digital de grande formato: adquiriu um equipamento de tecnologia solvente. Dois anos depois, houve a ampliação do parque produtivo, com a aquisição de outra solvente: uma impressora com 3,2m.

Impressão de tinta branca e produtividade foram os diferenciais buscados pela Sinais 

Como empresa que evolui constantemente, seguindo as tendências do mercado, a Sinais fez a transição para as tecnologias látex e UV. A entrada da empresa no segmento UV indusrial se deu com a Durst Rho P10-160: “O objetivo (ao adquirir a impressora) era produzir com mais qualidade e velocidade, superando a tecnologia solvente”, explica Larrubia.

Instalada há poucas semanas no parque gráfico da Sinais, a Durst tem sido objeto de grande expectativa. Além de empregar tecnologia UV, o equipamento é de uma marca reconhecida por sua estabilidade e qualidade. “Com essa impressora, vamos poder atender um número maior de clientes. Assim, temos a expectativa de dobrar nosso faturamento em breve”, revela com exultação o proprietário do birô.

Este conteúdo teve a VinilSul como mecenas

 



Cobertura Fespa Brasil 2013 – Parte 2: routers, máquinas a laser e mesas de corte

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/03/2013

Além das impressoras digitais, outros equipamentos abrilhantaram a Fespa Brasil 2013. Entre eles, os dispositivos para corte, gravação e acabamento, como routers, máquinas a laser e mesas de corte. Veja a seguir um panorama do que os expositores dessas soluções apresentaram na feira.

Leia também as demais partes dessa cobertura:
1ª: impressoras (grande formato)
3ª: sublimação, tintas, substratos e softwares
4ª: visitação, congresso e campeonato de envelopamento
 
Máquinas a laser: presença em massa na Fespa Brasil 2013

Máquinas a laser: presença em massa na Fespa Brasil 2013

Máquinas a laser

As máquinas a laser compareceram em peso na Fespa Brasil 2013. Entre os expositores que lançaram equipamentos para corte e gravação, estava a Solugrav, distribuidora tanto da Rayjet quanto da Trotec. A novidade exibida pela empresa foi a Trotec Speedy 400, que emprega CO2 e garante potências de 40, 60, 80 e 100W. O aparelho tem área de 1000 x 610mm.

A Sitari também foi uma das expositoras do evento. Além das máquinas R60 e PL40K, a empresa vende a T40, equipamento CO2, com potência de 40W. A máquina tem área de trabalho de 400 x 240m e refrigeração do tubo feita com água.

Trotec Speedy 400: uma das novidades da feira

Trotec Speedy 400: uma das novidades da feira

Outro estande que exibiu máquinas a laser foi o da Potencial Laser, importadora de equipamentos Ruijie. A empresa, além de routers, comercializa uma série bem ampla de gravadoras a laser. Entre os modelos destacados, está o RJ1510, que possui área de corte de 59 x 39cm, e pode trabalhar em potências de 60, 80, 100 e 130W.

A Glory Laser foi outra empresa que não deixou de expor os seus trunfos na Fespa Brasil 2013. A fabricante possui um portfólio que abrange todos os tipos de equipamentos para corte e gravação, como routers e máquinas a laser galvanométricas e do tipo plotter.

Máquina Ruijie exposta na Potencial Laser

Máquina Ruijie exposta na Potencial Laser

Outra empresa que também vende uma ampla variedade de equipamentos é a Mettalforma. Presente na feira, a empresa trabalha com máquinas galvanométricas (como a YAG-50DP), gravadoras de porte industrial (como a Profile Plus) e máquinas do tipo plotter (como a Serie CMA, cuja potência vai de 30 a 150W).

Routers

A Engraver, além de expor máquinas a laser, levou uma série bem variada de routers. Um dos modelos destacados pela empresa foi o Engraver 1212, que possui motores de passo e fusos de esfera. Tem área de 1,2 x 1,2m e pode trabalhar na velocidade máxima de corte de 70mm/seg. Já a Engraver 1325, outro modelo destacado pela empresa, tem área de trabalho de 1,3 x 2,5m e possui guias prismáticas e rolamentos lineares para o deslocamento das fresas. A 1325 faz trabalhos a 200mm/seg.

Engraver 1212 pode trabalhar na velocidade de 70mm/seg

Engraver 1212 pode trabalhar na velocidade de 70mm/seg

Outra empresa tradicional no mercado de routers, a Vitor Ciola exibiu a sua consolidada série Scriba. Entre os modelos dessa linha, a fabricante brasileira apresentou a 2030, de área de trabalho de 2000 x 3000mm, passagem de eixo de 120mm e eletromandril ELTE de 1,0 kW a 3,3 kW. A máquina, além de possuir estrutura de aço e guias lineares prismáticas em aço temperado, vem com dupla motorização do eixo ‘x’ e controlador digital de movimentos.

Scriba 2030, de área de trabalho de 2000 x 3000mm

Scriba 2030, de área de trabalho de 2000 x 3000mm

Mesas de corte

As tradicionais mesas de corte Zund estiveram presentes na Fespa Brasil 2013. O estande que as apresentou foi o da BG Soluções, revendedora da marca no país. A empresa comercializa duas linhas voltadas para o mercado de sign e comunicação visual: a Zund G3 e a Zund PN. A diferença básica entre ambas é que a primeira é composta por máquinas de maior porte, ao passo que a segunda agrega modelos menores. No entanto, todas as mesas de corte da fabricante suíça trabalha com diversos substratos flexíveis e rígidos, como PS, PVC, PET, PP, policarbonato, acrílico, MDF, alumínio, entre outros.

Máquina Zund no estande da BG Soluções

Máquina Zund no estande da BG Soluções

O visitante da Fespa Brasil 2013 também pôde conferir as mesas de corte da Esko Kongsberg, expostas no estande da Alphaprint, representante brasileira da fabricante europeia. Dona de um portfólio extenso de modelos, a marca possui três linhas de equipamentos: XE, XL e XP — cada qual com características técnicas distintas. A série XL, por exemplo, tem máquinas com áreas que vão de 1680 x 1270mm até 2210 x 4800mm. Já a família XE possui dispositivos que trabalham na velocidade de 64 m/mim, enquanto a linha XP pode chegar a 100m/min.

Mesa de corte Esko, representada pela Alphaprint

Mesa de corte Esko, representada pela Alphaprint

Ainda na seara das mesas de corte, a Danfex levou uma novidade: a Samurai V-Cut. Com área de 1.6 x 2,5m, a máquina dispõe de sistema de corte oscilante, software dedicado (Kasemake Full) e painel de controle incorporado ao equipamento. Entre as ferramentas inclusas, a Samurai V-Cut tem faca fixa, faca oscilante, rodízio para vinco, caneta e ferramenta para corte em 45º.

Samurai V-Cut, vendida pela Danfex

Samurai V-Cut, vendida pela Danfex



MTL Print passa a vender impressora NURStar 305D

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/04/2013

Nur Star: impressora UV plana para produções industriais

Nur Star: impressora UV plana para produções industriais

A MTL Print, fabricante israelense de equipamentos para impressão digital, vai apresentar uma novidade durante a ISA Sign Expo 2013, realizada em Las Vegas, nos EUA. Trata-se da NURStar 305D, uma impressora UV industrial, voltada para a criação de displays, entre outras sinalizações. Plana, a máquina dá a opção de operar com tinta branca.

"Estamos muito entusiasmados para ver os clientes de todos os segmentos adotando nossa tecnologia", comemorou Ran Emanuel, CEO da MTL Print. "Esses pedidos, bem como uma nova máquina construída para atender demandas específicas, confirmam que estamos entregando o que prometemos: os melhores sistemas de desempenho com menor custo de tinta".

Fonte: What They Think