Características e funções do liner (usado em vinil adesivo)

Por Eduardo Yamashita em 10/01/2013

O liner é parte essencial dos vinis adesivos usados em diversas atividades do mercado de sinalização e comunicação visual, entre elas, o envelopamento de carro e a adesivação de paredes e móveis. Ele é constituído por um material base, que pode ser revestido (para o controle da aderência do adesivo) em um ou ambos os lados.

A função do liner é controlar a estrutura superficial do adesivo, protegê-lo de sujeira e contaminação, além de influenciar no comportamento do filme durante a sua aplicação.

Tipos de liner

Sintéticos: podem ser feitos de poliéster ou poliolefinas (e em diferentes espessuras). Os liners sintéticos são mais “suaves”, fáceis de deslizar, impermeáveis ​​à umidade e têm melhor planicidade. Esta é uma das razões pelas quais eles funcionam melhor em plotters de recorte. Porém, deve-se tomar cuidado com o acúmulo de estática, que dificulta o manuseio do liner.

De papel: podem apresentar diferentes gramaturas e ter vários tipos de revestimentos. Os mais comuns são compostos de plásticos e/ou soluções químicas. Conheça alguns:

- Comum: relativamente pesado e sem revestimento, usado para etiquetas.

- Revestido: de baixo deslizamento, usado em películas autoadesivas para impressão a jato de tinta ou eletrostática. O revestimento impede que a umidade e o calor afetem o liner e ajuda a mídia a ser alimentada na impressora ou laminadora.

- Revestido de polietileno em ambos os lados: muito comum, tem superfície plana. Pode ter uma microestrutura que dá à superfície do adesivo um ou mais formatos microscópicos. As formas superficiais influenciam o desempenho do adesivo, independentemente da sua construção química.

- Revestido de polietileno com uma película de plástico na parte de trás: a película de plástico impede tintas e toners de atravessarem o liner. Este tipo de liner é encontrado em películas autoadesivas perfuradas.

liner vinil adesivo

O liner controla e protege o adesivo

Desempenho do liner

A tabela abaixo classifica os revestimentos em relação ao desempenho. Forros similares são agrupados dentro de um mesmo bloco:

Classificação Custo inicial Estabilidade dimensional Recorte eletrônico Impressão digital Transparência Resistência à água

Melhor

 

 

 

 

Pior

Papel comum Plástico Plástico espesso Papel comum Plástico Plástico
Papel com filme plástico  -  Papel revestido  -   -   - 
Papel revestido Papel revestido Papel comum  -   -  Papel revestido
Plástico Papel comum  -   -   -   
 -   -  Plástico fino Papel revestido; Plástico Papel revestido; Papel com filme plástico; Papel comum Papel comum

 

Custo versus valor

O custo de uma película com liner plástico pode ser maior. No entanto, é mais fácil de recortá-la e remover o excesso de filme após o corte, o que aumenta a produtividade e compensa a diferença de custo.

Estabilidade dimensional

A boa estabilidade dimensional mantém o tamanho e a forma tanto do liner quanto da película. Portanto, durante o processamento, eles ficam planos e em registro.

Quando o papel absorve a umidade, ele aumenta de tamanho. E quando perde, ele diminui. Esta mudança ocorre quando as condições ambientais oscilam. Então, recomenda-se mantê-las sempre controladas.

As mudanças ambientais também podem causar outros problemas no liner, como levantamento das pontas (bordas), ondulações, enrolamentos, defeitos de impressão e problemas de registro durante a impressão ou recorte.

Tenha em mente que o papel absorve ou emite umidade, que afeta as bordas e as camadas exteriores de rolos e as “primeiras” folhas empilhadas. O revestimento no papel retarda esse processo, mas as bordas ficam sempre vulneáveis.

O transporte e o armazenamento dos rolos e imagens embrulhados em plástico também retardam a taxa de variação da umidade.

Plotter de recorte

Siga algumas considerações na hora de escolher a película (e o liner) para o recorte:

  • O plástico não absorve umidade e permanece mais plano na área de corte do equipamento;
  • O papel revestido pode ser recortado desde que as condições ambientais estejam controladas;
  • A profundidade do corte deve ser controlada no liner de papel revestido. Se ela for grande, o liner pode se separar de modo indesejado.

Impressão do liner

O liner de papel pode ser impresso (com flexografia) na parte traseira. A maioria das tintas não adere tanto ao papel revestido como no plástico. A impressão do liner é feita para adicionar o número lote de produção ou para customizar o nome da empresa ou projeto.

Marcas superficiais

Quando a película de vinil “prensa” contra a parte de trás do liner, podem surgir marcas superficiais. A quantidade e a intensidade das marcas são provenientes de fontes diversas. Liners de papel causam a maior distorção por terem mais textura. Já os liners sintéticos são de textura suave, o que causa menos distorção. Um liner mal desenhado pode marcar toda textura na parte face do filme.

Quando o vinil esquenta, ele amolece, tornando-se mais suscetível a marcas superficiais.

Como o filme é enrolado sobre um suporte (tubete), às vezes, as camadas mais externas ficarão livres de marcas, que podem aparecer quando se chega mais perto do suporte. Isso porque a película autoadesiva é enrolada com mais força.

A “cura” das marcas superficiais ocorre quando se aquece o vinil de modo que ele amoleça e faça as marcas desaparecem.

***

Texto editado e publicado pelo InfoSign no dia 10 de janeiro de 2013.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.

 



Impressora Mimaki Tx300P-1800 receberá upgrade

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/04/2017
Tx300P-1800 poderá trabalhar com tintas pigmentadas e sublimáticas

Tx300P-1800 poderá trabalhar com tintas pigmentadas e sublimáticas

A Mimaki anunciou que o Tx300P-1800, equipamento de impressão direta em tecidos, terá a capacidade de trabalhar tanto com tinta sublimática (para tecidos com poliéster) quanto com pigmentada (para algodão). Isso significa que a mesma máquina poderá estampar maior número de tipos de tecidos sem precisar trocar os sistemas de alimentação dos insumos. Segundo a empresa, a nova tecnologia é um avanço que melhorará a produtividade e aumentará a flexibilidade de empresas que produzem materiais têxteis.

Os tipos de tintas não requerem pós-tratamentos (vaporização ou lavagem), o que facilita a adoção da tecnologia, pois ela não exige muito espaço para instalação, não emprega grande quantidade de água e não requer conhecimentos especiais para estampar os tecidos impressos. No entanto, além da própria impressora, é necessário o uso de equipamentos de fixação de cor.

Indicada para estampar tecidos para decoração, vestuário, moda e sinalização, a Tx300P-1800 é indicada para produções de curta tiragens ou de amostras e projetos personalizados.

Ronald van den Broek, gerente geral da Mimaki Europe, declarou: “É fácil e rápido trocar os tipos de tecido, basta selecionar o sistema de tinta apropriado para cada material. Além disso, estas tintas não exigem o uso de água ou vapor no processo de pós-tratamento, tornando-as ambientalmente sustentável”.

A novidade estará disponível a partir do segundo semestre de 2017.

Fonte: Mimaki



Sihl passa a vender películas de poliéster para instalações em janelas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/02/2013

Lançamento Sihl: película de poliéster transparente para aplicações em janela

Lançamento Sihl: película de poliéster transparente para aplicações em janela

A Sihl, fornecedora de substratos, lançou no Reino Unido o WetCling ClearSOL 125, filme de poliéster transparente para aplicações em janelas. O substrato possui um revestimento que, ao ser ativado com água e sabão, prende a película à superfície da janela, o que facilita a sua instalação e remoção.

Segundo a fornecedora, a película cola em muitas superfícies lisas (vidro, alumínio ou dibond), permitindo que o lado impresso fique exposto. O revestimento também protege o substrato, que pode ser removido sem deixar resíduos. Como a cola só é ativada pela mistura de água e sabão, não é necessário usar liner, o que reduz a quantidade de resíduos na aplicação.

O material pode ser impresso com equipamentos a jato de tinta solvente ou látex.

Ian Turnbull, diretor de operações da Sihl do Reino Unido, disse: "Este produto é simples e eficaz. Proporciona brilho e alta saturação de cor. É também adequado para utilização com as tintas látex".

Fontes: LFR e Sihl. Texto: InfoSign