Austrália emprega papéis eletrônicos em sinalização de tráfego

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/08/2015
E-papers orientam e ajudam motoristas da cidade de Sydney

E-papers orientam e ajudam motoristas da cidade de Sydney

Os motoristas da cidade de Sydney, na Austrália, recentemente passaram a contar com uma nova forma de sinalização de tráfego. Trata-se de um tipo especial de papel eletrônico desenvolvido e instalado pelo Road and Maritime Services (RMS), órgão governamental australiano responsável pela gestão de rodovias e vias navegáveis, que trabalhou em parceria com a Visionect, empresa fornecedora de e-papers.

Segundo a Visionect, é a primeira vez no mundo que a tecnologia de “tinta digital”, também usada em e-books, foi empregada em sinalização de trânsito.

Além da instalação dos displays de e-papers pela cidade, a RMS desenvolveu outras tecnologias para tornar possível o uso inteligente das novas sinalizações digitais. É o caso de uma rede de comunicação sem fio por meio da qual é possível monitorar e detectar avarias nos displays de trânsito, o que possibilita consertos e reposições rápidas. A rede também ajuda a evitar problemas de funcionamento causados pelo calor do sol ou por paralisações durante quedas de energia.

Ainda de acordo com a Visionect, depois da instalação dos papéis eletrônicos, toda a sinalização de trânsito de Sydney passou a ser sustentável, pois os displays são alimentados por energia solar, recurso natural abundante na Austrália. Além disso, o material consome pouca energia e com eficiência.

Outra vantagem é a ótima visibilidade noturna oferecida pelos displays, que irradiam luz pela parte frontal do e-paper assim que começa a escurecer.

Fonte: Digital Signage Today



VP Máquinas lança dobradeira de acrílico adaptada a deficientes

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/05/2014

Dobradeira foi apresentada na feira Serigrafia Sign 2014

Dobradeira foi apresentada na feira Serigrafia Sign 2014

A VP Máquinas anunciou o lançamento da DVP 1000 Especial, dobradeira de acrílico adaptada para pessoas com deficiências ou que possuem impedimentos para ficar em pé. Cadeirantes, idosos e obesos podem se beneficiar da novidade.

Com 1m de comprimento, a máquina apresenta ajustes de altura, fio para efetuar dobras mais perto do operador e abertura central que permite ao operador trabalhar sentado.

Ana Paula Paschoalino, diretora comercial da VP Máquinas, comentou: "A dobradeira atende quem deseja começar seu próprio negócio e estimula o empresariado a contratar profissionais ávidos a produzir mas que, infelizmente, se mantêm à margem do mercado de trabalho".

A máquina dobra materiais termoplásticos como PSAI, poliestireno, acrílico, alveolar, PVC expandido, PETG e policarbonato, com espessuras de 0,5mm a 20mm. A partir da dobradeira podem ser criados produtos como displays, placas, porta-treco, luminárias, móveis, estantes, cadeiras, porta-guardanapo e brindes.

Segundo a empresa, a estrutura da máquina é de madeira cortada em serra eletrônica e não emprega cola. Os pedaços, 20 ao todo, são encaixados e parafusados. Depois é instalada a central de controle e o fio de metal.

Fonte: VP Máquinas



RIP da Wasatch chega à versão 7.6

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/07/2018
Confira as novidades da edição 7.6 do RIP da Wasatch

Confira as novidades da edição 7.6 do RIP da Wasatch

A desenvolvedora Wasatch anunciou a versão 7.6 do software RIP homônimo. Entre as novidades da edição, estão melhorias no Automation Option e no manuseio de cores especiais, além de uma ferramenta para criar catálogos de amostras por meio do banco de dados de cores do aplicativo.

Segundo a desenvolvedora, a versão 7.6 é cem vezes mais precisa na substituição de cores especiais. O rigor dessa ferramenta foi aumentado para em função da capacidade do engine da Wasatch.

Outra novidade é a melhoria no desempenho da opção de automação do aplicativo, que passou a incluir recursos de interface touchscreen, para melhorar o fluxo de trabalho de produção. Além disso, a versão 7.6 do aplicativo oferece uma ferramenta que permite que um catálogo de amostras seja gerado a partir de qualquer banco de dados de cores no SoftRIP.

O Wasatch SoftRIP é vendido em mais de 120 países, um dos aplicativos de impressão digital mais utilizados no mundo. Por isso, as atualizações da versão 7.6 foram traduzidas para mais de 35 idiomas.

Fonte: Wasatch