Aplike apresenta novo vinil texturizado

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/08/2014

Película apresenta acabamento que simula superfície de madeira

Película apresenta acabamento que simula superfície de madeira

A Aplike, fabricante nacional de mídias, lançou o Vinil Texturizado Madeira, indicado para a decoração e personalização de painéis de veículos. Parte da linha Aplikcar, a película é calandrada e possui 0,15mm de espessura, 1,22m de largura e 25m de comprimento.

Segundo a empresa, o material apresenta efeito madeira texturizado, poder de adesão, adesivo reposicionável e estabilidade dimensional.

A mídia pode ser recortada em plotter, tem poder de cobertura superficial (por ser blockout) e durabilidade de quatro anos.

Fonte: Fespa Brasil



Aplicação de vinil adesivo: quando usar primer ou vedador de bordas – Parte 2

Por Eduardo Yamashita em 21/11/2016
Artigo ensina como usar corretamente o vedador de bordas de vinis adesivos

Artigo ensina como usar corretamente o vedador de bordas de vinis adesivos

Na primeira parte deste artigo, que visa indicar o produto mais adequado para melhorar a adesão de vinis às superfícies, foram abordadas questões relacionadas às características e, sobretudo, ao uso do primer. Nesta segunda parte, serão apresentados tópicos sobre vedador de bordas. Confira.

Vedador de bordas

É um líquido inflamável, geralmente transparente, composto com resinas (acrílicas ou vinílicas) dissolvidas em solventes hidrocarbonetos aromáticos, como o xileno e o acetato de butila. Possui resistência química a alguns tipos de ácidos, bases e sais e excelente resistência à água.

A finalidade do vedador é selar as bordas expostas do vinil adesivo para evitar que ele se levante devido à limpeza ou exposição ambiental. A vedação de borda diminui os efeitos adversos do uso rigoroso, oferecendo resistência à água e ao contaminante entre o vinil adesivo e a superfície. A largura do vedador deve cobrir metade do vinil e metade do substrato.

Vendidos em latas ou em pincéis do tipo caneta, os vedadores podem ser removidos com água raz. Alguns deles são compostos por aditivos estabilizadores UV e térmicos. Isso os torna mais resistentes às exposições externas, como chuva, calor e sol.

Uso do vedador para selar as bordas das aplicações feitas com vinis adesivos

Qual utilizar?

Utilize o primer quando o vinil adesivo tiver baixa aderência à superfície. Já o vedador de bordas deve ser empregado quando as bordas do vinil forem expostas às situações agressivas. Lembre-se: nenhum deles renderá seu melhor desempenho se a superfície não estiver completamente limpa e seca. Finalmente, como são produtos químicos, atente-se a todos os cuidados de manuseio.

Cuidados

O primer e o vedador podem ser nocivos se ingeridos. Também provocam irritação na pele com vermelhidão, dor e ressecamento e irritação ocular grave com vermelhidão e dor. Além disso, podem provocar irritação das vias respiratórias com tosse, espirros e dores de garganta.

Os produtos podem ser fatais se ingeridos e penetrar nas vias respiratórias. Em elevadas concentrações, a exposição única pode causar depressão do sistema nervoso central (dor de cabeça, vertigem, náuseas, vômito e perda de consciência) e danos hepáticos e renais, com aumento dos níveis de ureia no sangue e congestão pulmonar. Em elevadas concentrações, a exposição repetida ou prolongada pode causar danos aos rins e fígado.

O vedador deve ser aplicado nas laterais do vinil já adesivado à superfície

Prevenção

Usar tanto primer como vedador de bordas requer cuidados, para que o produto seja aplicado corretamente e para evitar colocar em risco o ambiente e a saúde dos aplicadores. Para tanto, siga as recomendações:

  • evite a liberação do produto no meio ambiente;
  • evite inalar fumos, gases, névoas, vapores e aerossóis;
  • lave cuidadosamente após o manuseio;
  • mantenha o recipiente hermeticamente fechado;
  • mantenha-se afastado do calor, de faíscas, de chama aberta e de superfícies quentes;
  • não fume;
  • use luvas de proteção, roupa de proteção, proteção ocular e proteção facial;
  • utilize o produto apenas ao ar livre ou em locais bem ventilados;
  • utilize equipamento elétrico, de ventilação e de iluminação à prova de explosão.

Medidas de primeiros socorros e combate a incêndio

Em caso de acidentes que envolvam primer ou vedadores de bordas, tome as seguintes providências:

- Inalação: remova a vítima para local ventilado e a mantenha em repouso numa posição que não dificulte sua respiração. Caso sinta indisposição, contate um médico.

- Contato com a pele: lave a pele exposta com quantidade suficiente de água e sabão para remoção do material. Em caso de irritação cutânea, consulte um médico.

- Contato com os olhos: enxágue cuidadosamente com água durante vários minutos. No caso de uso de lentes de contato, remova-as. Continue enxaguando. Caso a irritação ocular persista, consulte um médico.

- Ingestão: não induza o vômito. Nunca forneça algo por via oral a uma pessoa inconsciente. Lave a boca da vítima com água em abundância. Caso sinta indisposição, contate um médico.

- Combate a incêndio: os meios de extinção devem ser compatíveis com espuma para hidrocarbonetos, neblina d’água, pó químico e dióxido de carbono (CO2). Não são recomendados jatos d’água nem água diretamente sobre o líquido em chamas.

O uso do vedador é um excelente procedimento para evitar que o vinil levante

Perigos específicos da substância

A combustão do produto químico ou de sua embalagem pode formar gases irritantes e tóxicos como monóxido e dióxido de carbono. Além disso, os materiais são muito perigosos quando expostos a calor excessivo ou outras fontes de ignição, como faíscas, chamas abertas, chamas de fósforos, cigarros, operações de solda e motores elétricos.

Manuseio seguro

Manuseie primers e vedadores de bordas em áreas ventiladas ou com sistema geral de ventilação e exaustão local. Evite formação de vapores e névoa e exposição ao produto.

Medidas de higiene

Lave as mãos e o rosto cuidadosamente após o manuseio e antes de comer, beber, fumar ou ir ao banheiro. Roupas contaminadas devem ser trocadas e lavadas antes de serem utilizadas. Remova a roupa e o equipamento de proteção contaminados antes de entrar nas áreas de alimentação.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Aplicação de vinil adesivo: a seco ou úmida

Por Eduardo Yamashita em 27/06/2015

Conheça prós e contras de cada um dos métodos de aplicação

Conheça prós e contras de cada método

Na hora de adesivar vinis, em uma parede ou ao fazer o envelopamento de carros, os profissionais de instalação e aplicação deparam-se com uma dúvida elementar: usar método úmido ou a seco?

A diferença entre eles é a presença (ou não) de água, elemento cujo objetivo é criar uma "película" entre o adesivo (cola) e a superfície. A água diminui a aderência (tack) inicial do adesivo. Isso facilita a aplicação, pois o adesivo fica com menos área de contato com a superfície.

Na aplicação úmida, é possível reposicionar o vinil até que o aplicador encontre a posição correta da película. No método a seco, como a aderência é total, não é possível fazer o reposicionamento do vinil.

Cada método tem prós e contras, resumidos a seguir:

  Vantagens    Desvantagens
Aplicação úmida
- Baixa adesão do adesivo (cola) à superfície;
- Reposicionamento total do vinil;
- Facilidade nos encaixes entre vinis.
- Adesão inicial mais demorada;
- Elevado tempo de instalação (em função da secagem da água);
- Necessário ambiente adequado para trabalhos com água;
- Limitado a superfícies planas ou curvas simples.
Aplicação a seco
- Não precisa de tempo adicional antes do acabamento;
- Poder ser usado em qualquer superfície.
- Necessário uso de fitas de posicionamento da imagem;
- Alta aderência do adesivo (cola) à superfície;
- Difícil reposionamento.

 

A seco ou úmida

Uma pergunta bastante frequente é: Qual método devo utilizar? Para obter a resposta, você vai precisar saber o tipo de superfície sobre a qual será aplicado o vinil adesivo.

O método a seco é indicado para qualquer tipo de superfície. Já o úmido é indicado apenas para superfícies planas ou com curvaturas simples.

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A pergunta seguinte é: Por quê? Porque, ao aplicar o método úmido em superfícies complexas (com curvaturas compostas e baixos relevos), não é possível remover toda a água utilizada no processo. Ou seja, o trabalho deixa resíduos entre o adesivo e a superfície, formando microbolhas de água — imperceptíveis após a aplicação.

Quando o vinil aplicado é submetido ao calor (do sol), as microbolhas levantam o vinil, que resseca com o tempo e acaba rompendo-se, causando estragos irrecuperáveis à imagem. Portanto, ao facilitar a aplicação, corre-se o risco de prejudicar todo o trabalho.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 27 de junho de 2013. Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.