Aplicação de vinil adesivo: como limpar superfícies contaminadas

Por Eduardo Yamashita em 04/05/2015

Óleo, gordura e graxa: contaminantes que devem ser eliminados da superfície que receberá o vinil adesivo

Óleo, gordura e graxa: contaminantes que devem ser eliminados da superfície que receberá o vinil adesivo

A limpeza da superfície é fundamental para garantir a qualidade de qualquer aplicação de vinil adesivo. Neste artigo, saiba reconhecer os contaminantes e como eliminá-los da maneira correta, para realizar uma aplicação profissional.

Os contaminantes são definidos como substâncias insolúveis (que não se misturam) em água, de origem vegetal ou animal e constituídas de triglicerídeos, que são formados da condensação entre glicerol e ácidos graxos. Os contaminantes mais comuns são o óleo e a gordura. A diferença entre eles é o estado físico (sólido ou líquido) em que se encontram quando submetidos a temperaturas abaixo de 20ºC. Nessa condição, quando o estado da substância é sólido, ela é então classificada como gordura.

Outro contaminante comum é a graxa, nome genérico e popular dado a lubrificantes pastosos compostos (semiplásticos ou de alta viscosidade) de misturas de óleos lubrificantes minerais (de diversas viscosidades) e aditivos.

Há ainda a contaminação por suor, o qual contém água, gorduras, ácidos e sais. O toque da mão na superfície a ser adesivada produz contaminações que causam baixa aderência da película autoadesiva. Por isso, o manuseio das superfícies deve ser feito com luvas.

Várias superfícies metálicas podem ficar cobertas por camadas de óleo, gordura ou graxa, o que dificulta a aderência do vinil autoadesivo nas superfícies. A maneira eficiente de removê-los é com o uso de solventes (desengraxantes).

Para uma aplicação profissional, limpe adequadamente a superfície que será adesivada

Para uma aplicação profissional, limpe adequadamente a superfície que será adesivada

Desengraxantes ou desengordurantes são substâncias usadas para a remoção de gorduras (óleos e ceras). Esses compostos químicos e formulações são essenciais para muitos processos industriais, como prelúdio ao acabamento de superfície ou a componentes de proteção e revestimento, nos processos genericamente chamados de desengraxe.

Existem vários desengraxantes comerciais para limpar superfícies contaminadas, mas eles contêm químicos (à base de nafta, xilol, toluol ou heptana) que podem ser perigosos se inalados, pois são hidrocarbonetos derivados de petróleo.

Desengraxantes são produtos usados para a limpeza de superfícies

Desengraxantes são produtos usados para a limpeza de superfícies

Recomendações de uso

Para tornar os serviços mais profissionais, é importante dar atenção às recomendações básicas de todos os produtos petroquímicos. Veja abaixo alguns itens:

- Prevenção: uso e/ou manuseio inadequado pode ser perigoso à saúde e provocar incêndio e explosão. Não utilize o produto antes de tomar as medidas necessárias para evitar danos e ferimentos.

- Armazenagem: acondicione o produto em ambientes abrigados, com boa ventilação e temperatura máxima de 40°C.

- Inflamabilidade: mantenha o produto inflamável longe de chamas e faíscas e evite fumar perto do local da utilização.

- Inalação: evite respirar os vapores, mantendo boa ventilação durante a aplicação e a secagem.

- Manuseio: evite contato do produto com pele e olhos, utilizando luvas, óculos, protetores, máscaras, cremes protetores etc. Não coma ou beba perto do local da aplicação. Mantenha o produto longe do contato de crianças e animais.

Siga as recomendações de uso descritas nos produtos de limpeza e não negligencie os equipamentos de proteção

Siga as recomendações de uso descritas nos produtos de limpeza e não negligencie os equipamentos de proteção

Acidentes

- Contato com a pele: lave com água abundante e promova a limpeza com sabão neutro.

- Contato com a roupa: retire as roupas atingidas e lave-as.

- Respingos nos olhos: lave-os imediatamente com água limpa corrente (por no mínimo 10 minutos) e procure atendimento médico imediato.

- Vazamentos: isole a área e não fume. No caso de o derramamento ser grande e em área confinada, utilize proteção respiratória. Evite inalar os vapores. Estanque e contenha o derramamento com areia, pó de serra ou terra. Em seguida, transfira o líquido e o sólido de contenção para embalagens separadas, a fim de proceder o descarte.

- Incêndio: proteja os recipientes não avariados com jato d’água sob forma de neblina. Apague o fogo com extintores de CO2, espuma ou pó químico.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



Nova placa para cabeças de impressão Ricoh Gen 4

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 22/02/2013

A Global Inkjet Systems (GIS), desenvolvedora britânica de drivers e eletrônica, anunciou uma nova placa (Head Interface Board, HIB) para a família de cabeças de impressão Ricoh Gen 4. Intitulado HIB-RH-384, o dispositivo pode suportar até quatro cabeças simultaneamente, o que diminui custos e complexidades técnicas. A placa dá acesso a todas as configurações do padrão Gen 4 e exige uma única fonte de alimentação de 24V.

As cabeças Ricoh são utilizadas em impressoras de grande formato, provas e até em equipamentos 3D. O modelo Gen 4, geralmente empregado em aplicações têxteis, atinge resolução de 300dpi e dispara gotas de 7, 14 e 21 picolitros.

Além da nova placa, a Global Inkjet Systems está desenvolvendo eletrônicos para os dispositivos Ricoh Gen 5. A empresa também trabalha com cabeças de impressão da Fujifilm Dimatix, Konica Minolta, Kyocera, Toshiba Tec e Xaar, marcas amplamente utilizadas por fabricantes de impressoras de grande formato.

HIB-RH-384: nova placa para as cabeças de impressão Ricoh Gen 4

HIB-RH-384: nova placa para as cabeças de impressão Ricoh Gen 4

Fonte: GDW. Texto: InfoSign



Agfa lança impressora industrial Jeti Tauro H3300 LED

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 15/05/2018
Equipamento roda na velocidade máxima de 453m²/h

Equipamento roda na velocidade máxima de 453m²/h

Durante a Fespa 2018, a fabricante Agfa anunciou a Jeti Tauro H3300 LED, impressora UV maior, mais resistente e mais rápida que a antecessora Jeti Tauro H2500 LED, lançada há um ano.

Com sistema híbrido, a impressora estampa mídias com até 3,3m de largura, na velocidade máxima de 453m²/h. Além disso, a máquina permite diferentes graus de automação e emprega tintas com alta carga de pigmentos, que resistem a condições climáticas externas e extremas.

Segundo a empresa, a impressora oferece automação no carregamento de múltiplas placas de substratos, o que reduz o tempo ocioso. Isso porque a máquina vem com uma nova mesa de vácuo patenteada que mantém as mídias perfeitamente planas sob o carro de impressão, além de garantir o transporte preciso dos substratos. Na versão rolo a rolo, o equipamento é capaz de lidar com uma ou duas bobinas pesadas ao mesmo tempo.

Ainda de acordo com a empresa, o LED empregado na Jeti Tauro H3300 dura mais e gera luz consistente ao longo de sua vida útil, de cerca de 10.000 horas. Além disso, as tintas UV desenvolvidas pela Agfa combinam perfeitamente com a emissão espectral das lâmpadas LED. Isso garante cura instantânea, excelente aderência em diversas mídias rígidas, boa resistência a riscos e estabilidade de cor.

A Jeti Tauro H3300 LED foi apresentada num estande imersivo, que ofereceu experiências sensoriais interativas, por meio de realidade virtual, para apresentar soluções inkjet de “extrema produtividade e extrema qualidade” (novo mote da empresa anunciado na feira).

Fonte: Agfa