Aplicação de vinil adesivo: a seco ou úmida

Por Eduardo Yamashita em 27/06/2015

Conheça prós e contras de cada um dos métodos de aplicação

Conheça prós e contras de cada método

Na hora de adesivar vinis, em uma parede ou ao fazer o envelopamento de carros, os profissionais de instalação e aplicação deparam-se com uma dúvida elementar: usar método úmido ou a seco?

A diferença entre eles é a presença (ou não) de água, elemento cujo objetivo é criar uma "película" entre o adesivo (cola) e a superfície. A água diminui a aderência (tack) inicial do adesivo. Isso facilita a aplicação, pois o adesivo fica com menos área de contato com a superfície.

Na aplicação úmida, é possível reposicionar o vinil até que o aplicador encontre a posição correta da película. No método a seco, como a aderência é total, não é possível fazer o reposicionamento do vinil.

Cada método tem prós e contras, resumidos a seguir:

  Vantagens    Desvantagens
Aplicação úmida
- Baixa adesão do adesivo (cola) à superfície;
- Reposicionamento total do vinil;
- Facilidade nos encaixes entre vinis.
- Adesão inicial mais demorada;
- Elevado tempo de instalação (em função da secagem da água);
- Necessário ambiente adequado para trabalhos com água;
- Limitado a superfícies planas ou curvas simples.
Aplicação a seco
- Não precisa de tempo adicional antes do acabamento;
- Poder ser usado em qualquer superfície.
- Necessário uso de fitas de posicionamento da imagem;
- Alta aderência do adesivo (cola) à superfície;
- Difícil reposionamento.

 

A seco ou úmida

Uma pergunta bastante frequente é: Qual método devo utilizar? Para obter a resposta, você vai precisar saber o tipo de superfície sobre a qual será aplicado o vinil adesivo.

O método a seco é indicado para qualquer tipo de superfície. Já o úmido é indicado apenas para superfícies planas ou com curvaturas simples.

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A pergunta seguinte é: Por quê? Porque, ao aplicar o método úmido em superfícies complexas (com curvaturas compostas e baixos relevos), não é possível remover toda a água utilizada no processo. Ou seja, o trabalho deixa resíduos entre o adesivo e a superfície, formando microbolhas de água — imperceptíveis após a aplicação.

Quando o vinil aplicado é submetido ao calor (do sol), as microbolhas levantam o vinil, que resseca com o tempo e acaba rompendo-se, causando estragos irrecuperáveis à imagem. Portanto, ao facilitar a aplicação, corre-se o risco de prejudicar todo o trabalho.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 27 de junho de 2013. Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.



Colorific lança solução de conversão de tinta solvente para UV

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/06/2013

Lightbar: solução de conversão

Lightbar: solução de conversão

A Colorific anunciou, para a Fespa Londres 2013, o lançamento da Colorific Lightbar UV, uma solução capaz de transformar uma impressora solvente em um equipamento UV.

Compatível com máquinas que usam cabeças Epson DX4 ou DX5, o sistema é composto por um kit de lâmpadas, que fica preso à parte frontal da impressora. No processo, o pigmento é fixado a uma camada especial na superfície da mídia e, em seguida, a tinta cura por meio do sistema da Colorific.

"Estamos muito animados com a Fespa 2013, pois o evento nos dá a oportunidade de lançar oficialmente a nossa solução para um público internacional", declarou Shaun Holdom, diretor da Colorific.

De acordo com a marca, o Colorific Lightbar UV reduz em até 30% o gasto com tintas.

Fonte: What They Think



Akad lança impressora Novajet 3308 série K512

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/02/2015

Novajet 3308 tem 3,2m de largura de impressão

Novajet 3308 tem 3,2m de largura de impressão

A Akad, distribuidora de equipamentos para comunicação visual, anunciou o lançamento nacional da Novajet 3308 série K512, impressora solvente com largura de 3,20m.

A máquina é indicada a agências de propaganda, montadores de estandes, estúdios fotográficos, fornecedores de publicidade em PDV, birôs digitais do mercado de sinalização, entre outras empresas que imprimem painéis, banners, faixas, peças para decoração de ambientes, displays, vinis para envelopamento de carros e mais aplicações.

A Novajet 3308 série K512 pode ser comprada com quatro ou oito cabeças de impressão e trabalhar na resolução de 720 x 1440dpi.

Em modo de alta produtividade, o equipamento imprime na velocidade máxima de 80m²/h (com 180 x 720dpi e duas passadas). Para tanto, o dispositivo deve empregar oito cabeças Konica Minolta KM512MN, de 14 picolitros.

Além disso, a impressora utiliza sistema de alimentação rolo a rolo e rebobinador de mídia (take-up).

Fonte: Akad