Amsterdam recebe comunicação visual gigante

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/11/2012

Sinalização digital instalada numa das regiões mais movimentadas de Amsterdam

Sinalização digital instalada numa das regiões mais movimentadas de Amsterdam

Dando mais dinamismo e vida a uma das cidades mais cosmopolitas do mundo, a europeia blowUP media, especializada em comunicação visual e sinalização digital, instalou um painel de 108m2 na maior praça de Amsterdam (Holanda), a Rembrandtplein.

Nas adjacências da instalação ficam diversos estabelecimentos comerciais importantes, como os tradicionais cafés, clubes, bares, restaurantes e cinemas. A área é bem próxima dos distritos comerciais de Kalverstraat e Utrechtsestraat, locais de grande movimentação e popularidade.

Anunciantes aproveitam a mídia para falar com mais de 300 mil pessoas por semana. Além da Pepsi, Nike, Acer e Mercedes, uma das empresas que tem investido nessa comunicação visual é a Unilever de Benelux, cujo diretor de mídia, Harry Dekker, declara: "Com iniciativas como essa, podemos integrar a nossa marca à paisagem urbana".

Fonte: blowUP. Texto: InfoSign



Como resolver problemas na sublimação – Parte 1: Pré-impressão

Por João Leodonio em 08/11/2017
Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas na pré-impressão sublimática

Saiba o que fazer para evitar e corrigir falhas na pré-impressão sublimática

Às vezes, eles parecem insolúveis e onerosos. Porém, quando analisados friamente, podem ser solucionados com simples correções de processo. Estamos nos referindo aos problemas mais recorrentes na sublimação (sobretudo, na de pequenos formatos). Divido em três partes (pré-impressão, impressão e prensagem), este artigo lista as falhas mais recorrentes na produção de materiais estampados com a tecnologia sublimática. Mais importante: mostramos o que fazer para resolver e evitar tais problemas.Confira:

Problema: falhas encontradas na recepção de arquivos (baixa resolução, sem fonte, desenvolvido em Word ou craquelado)

Arquivos abertos ou em baixa resolução podem gerar problemas, como falta de definição, craquelado (ao ampliar) e perda de fontes ou imagens no fechamento.

Recomendação: recepcionar apenas arquivos em alta resolução. A sugestão é que as imagens estejam em arquivos fechados com, no mínimo, 300dpi. Assim, evita-se que, durante o fechamento no RIP, as imagens sejam alteradas ou perdidas.

Observe a diferença de qualidade entre os arquivos: na foto, um está com 70dpi (em baixa) e outro está com 300dpi (em alta)

xx

Problema: dificuldade em obter o resultado de cor esperado (perfil de cor)

É comum utilizar um único perfil para todos os serviços. Também é recorrente a falta de conhecimento na aplicação dos perfis. Ambos os casos geram inúmeros problemas na reprodução de cores, o que causa perda de tempo, materiais e dinheiro.

Recomendação: cada tipo de arquivo (reticulado, chapado) deve ter um perfil de cor, para garantir estabilidade, repetibilidade e economia no consumo de tinta, papel e tempo, sem comprometer a qualidade dos impressos.

É recorrente o problema de diferença entre as cores da prova e da impressão sublimática. Veja como evitar essa falha

xx

Problema: prova de cor (impressão digital) não bate com a reprodução final

Há provas feitas em dispositivos e tecidos diferentes da impressora e da mídia da produção. Também existem provas produzidas sem respeitar padrões de tempo e temperatura na prensagem.

Recomendação: a prova de cor deve ser impressa diretamente da máquina que imprimirá o serviço. Além disso, deve ser prensada no tecido e nas condições de tempo e temperatura que o cliente utilizará. Assim, evita-se a diferença de cor entre prova e produção. Recomenda-se não realizar alterações na arte depois dela ter sido aprovada. Se isso ocorrer, é necessário providenciar uma nova aprovação.

Use um perfil de cor para cada tipo de imagem, para evitar problemas na reprodução das imagens

xx

Problema: prova de cor (impressão offset) não bate com a reprodução final

A prova produzida na plotter da pré-impressão não bate com a cor impressa em offset. A empresa não faz calibração das impressoras (offset e digital). A falta de calibração gera atrasos e perdas de tinta e papel.

Recomendação: a prova de cor deve ser impressa em plotter com o perfil de cor equalizado com a impressora offset. Trata-se de um serviço feito por profissionais especializados, que utilizam um test form (ferramenta para verificação das condições da impressora) na impressora offset. Com o resultado obtido, é gerado um perfil de cores para a plotter. É possível, também, prensar no mesmo tecido da produção. Isso é chamado de “aprovação em máquina”, na qual o cliente aprova as folhas da impressão offset prensados no tecido usado na produção. Porém, esse processo é pouco empregado, devido ao alto custo de hora/máquina e chapas.

xx

Problema: arte aprovada por celular ou computador não calibrado (e ela não bate com a produção)

Fazer aprovação via fotos de celular ou imagem enviadas por qualquer meio eletrônico é um dos procedimentos que mais geram problemas de diferença de cores. As configurações das telas de celular e computador variam muito. Portanto, o que se vê na tela de quem envia é diferente do que se vê na tela de quem está recebendo. Pior: ao rodar o serviço, surge um terceiro resultado.

Recomendação: aprovação no tecido que será utilizado na produção. Também há a possibilidade de fazer a aprovação digital via imagem. Porém, os terminais da aprovação e de conferência na produção deverão estar devidamente calibrados.

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático

 



Alko promove curso de envelopamento de carro em paralelo à Signs Nordeste 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/10/2013

Alltak leva curso de envelopamento de carro para a região

Região terá curso de envelopamento de carro

Em paralelo à feira Signs Nordeste, a Alko, fabricante de vinis adesivos, realizará um curso sobre envelopamento de carro. O treinamento, intitulado "Técnicas e truques para você trabalhar de forma rápida, segura e com mais qualidade", será ministrado no dia 31 de outubro, das 8h30 às 17h00.  Ao término, o participante receberá um certificado com o selo da Alko, que o credencia a fazer envelopamento automotivo.

O curso é indicado a aplicadores de nível básico e aborda os seguintes temas:

  • limpeza, ambiente, preparação da superfície e remoção das interferências;
  • linha mestra, dobradiça, triangulação e cortes de alívio;
  • posicionamento de imagem e otimização do trabalho;
  • aplicação de vinis em para-choques;
  • quebra de memória e acabamentos.

O investimento por participante é de 399 reais (pagamento em até duas vezes). Para dois ou mais profissionais da mesma empresa, o valor fica 380 reais por aluno. O curso será realizado na Prime Car: Av. José Bastos, 5727, Demócrito Rocha – Fortaleza (CE). As inscrições podem ser feitas por e-mail (paulo.cecato@alko.com.br), por telefone (11 2436-3300) ou pelo site (www.alltak.com.br/treinamentos).

Cada participante terá direito a: material didático, ferramentas (porta-ferramentas, espátula, feltro, estilete profissional e luva), apostila, DVD (Programa de treinamento Alltak Tuning), almoço, certificado e cinco metros de adesivo fibra de carbono Premium Alltak Tuning.

Cambea Fast

Na Signs Nordeste, quem passar pelo estande da Alko poderá participar do Cambea Fast, competição na qual os envelopadores têm de adesivar capôs. A rapidez conta, mas não ganha necessariamente quem terminar primeiro o trabalho. O competidor deve atentar-se a critérios de qualidade, como refile e acabamento (bolha), os quais têm grande peso na avaliação.

O vencedor do campeonato estará automaticamente classificado para a quarta edição do Cambea, que será realizado em São Paulo, na feira Serigrafia Sign 2014.

Fonte: Alltak