A importância do envelopamento veicular

Por Eduardo Yamashita em 26/12/2016
Publicidade em frotas envelopadas atinge público de modo eficaz

Publicidade em frotas envelopadas atinge público de modo eficaz

Em momentos de desafios, torna-se necessário usar alternativas para obter resultados melhores. A saída é a busca por soluções mais econômicas e efetivas. Uma delas, no campo da propaganda, é o envelopamento de veículos. Um investimento de custo baixo, trata-se de uma solução de publicidade de alto impacto cujo componente principal é o vinil adesivo.

A publicidade de veículos atinge os consumidores de um modo que a publicidade de jornal e televisão não atinge. Por exemplo: as pessoas que estão em longos deslocamentos estão muito mais sujeitas à propaganda móvel do envelopamento, que transmite informações de forma única para esse público-alvo. Além disso, com preços mais atrativos, o envelopamento é mais rentável para o trabalho.

Propagandas estáticas e móveis

Pesquisas determinam a eficácia dos “outdoors móveis”, ou seja, a publicidade em frota envelopada. A Traffic Audit Bureau (TAB), organização independente sem fins lucrativos que autentica a circulação de publicidade, realizou um recente estudo que levou em conta um anúncio num caminhão envelopado, que atingiu aproximadamente 40 mil pessoas por dia em Chicago, nos EUA. Em comparação, um outdoor médio na mesma cidade alcançou 48 mil pessoas. Apesar de a exposição ser um pouco menor, o custo da publicidade em frota é muito menor que o da tradicional publicidade ao ar livre.

A propaganda de frota representa uma oportunidade de mídia. Com ela, é menos provável que a informação a ser transmitida se perca na confusão ou se misture com outras. Se usado estrategicamente, o envelopamento tem o potencial para ser mais dinâmico e cativante.

Impacto

Ao contrário das formas tradicionais de publicidade ao ar livre, a publicidade de veículos vai para onde as pessoas estão. Um envelopamento pode deixar impressões em estacionamentos, shoppings, ruas e estradas. É importante que as impressões sejam positivas, exigindo a atenção de seus espectadores. Uma pesquisa da Geopath, de 2016, mostra que:

- 90% das pessoas que viajam observam imagens em veículos envelopados;

- 75% dos consumidores formam impressões sobre uma empresa com base nas imagens da frota;

- 30% dos consumidores baseiam decisões de compra em impressões que recebem de veículos da empresa.

Os números acima mostram que estamos inseridos numa sociedade altamente visual, impulsionada por publicidades eficazes. Veículos com publicidade atendem a muitos níveis de negócios e projetos – um tipo de mensagem diferente de qualquer outra forma de publicidade.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Sawgrass, Kiian e J-Teck3 formam grupo de sublimação digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 30/07/2015
As três empresas criaram o JK Group, com potencial de atender clientes em mais de 100 países

As três empresas criaram o JK Group, com potencial de atender clientes em mais de 100 países

A Divisão Industrial da Sawgrass, fabricante de tintas sublimáticas, passou a fazer parte do JK Group, que também inclui a Kiian Digital e a J-Teck3, empresas especializadas em impressão digital por sublimação e que já haviam firmado uma parceria em 2014.

Com a entrada da Sawgrass, o JK Group torna-se o maior agregado industrial do mundo no setor em que atua, com capacidade de atender clientes em mais de 100 países.

Com marcas como Sublim e M Inks, o grupo tem potencial de fabricar e fornecer soluções de impressão sublimática para aplicações têxteis voltadas para os mercados de moda, decoração e comunicação visual.

Dennis Wilby, presidente da JK Group, declarou: “Além da combinação entre Kiian Digital e J-Teck3 no ano passado, a entrada da Sawgrass Industrial faz com que o JK Group posicione-se na liderança global do setor da sublimação digital e no desenvolvimento de tintas pigmentadas para impressão em tecidos”.

Nathan Hale, CEO da Sawgrass, complementou: “Massificamos a produção de produtos para impressão em tecidos. Portanto, esta é a hora perfeita para formar uma sólida aliança e concretizar o que era apenas um sonho”.

Fonte: Fespa Brasil



Envelopamento: como envelopar uma lateral de carro

Por Eduardo Yamashita em 07/02/2015

Saiba como envelopar uma lateral de carro

Saiba como envelopar uma lateral de carro

Para colocar em prática um serviço de envelopamento de carro, é preciso sanar antecipadamente todas as dúvidas sobre o trabalho em questão. Não pegue as espátulas sem antes ter respondido questões essenciais. Como vou fazer isso? Como lidarei com as curvas? Posso realizar a instalação corretamente? Posso ganhar dinheiro com esse projeto?

Para começar, é necessário analisar o projeto e obter todas as informações de tal forma que tudo fique claro.

Em carros, há apenas algumas áreas verdadeiramente planas. Mantenha essas áreas em mente, sobretudo se houver informações no vinil impresso que correspondam a elas. Nesse caso, as sobreposições são uma boa opção de trabalho.

Escolher o vinil adesivo correto é fundamental para que o projeto seja bem-sucedido. No exemplo a seguir, foi utilizado vinil cast, pois o projeto exigia longa duração e garantia.

Na aplicação de laterais, deve-se levar em conta a dimensão da área a ser envelopada. Um painel de 1,35m x 3,15m é suficiente para cobrir a região entre a cabina e a porta traseira. A altura precisa ser de 1,35m para garantir que material seja aplicado, com folga, em cima da área plana e logo abaixo da borda inferior. O excesso de vinil é necessário, para que ele aqueça e alongue durante a instalação, levando em conta o mínimo de estresse sobre a imagem. Confira o passo a passo de um envelopamento na lateral do veículo:

Prepare o veículo com uma limpeza normal. Ou seja, a lavagem básica

Prepare o veículo com uma limpeza normal. Ou seja, a lavagem básica

Em seguida, remova os acessórios como lanternas e peças diversas. Tome cuidado para não perdê-las. Depois, remova todas as impurezas sólidas (graxa, restos de asfalto etc.) com desengraxantes e faça a limpeza final com álcool isopropílico. O álcool comercial não é adequado para esse processo

Em seguida, remova os acessórios como lanternas e peças diversas. Tome cuidado para não perdê-las. Depois, remova todas as impurezas sólidas (graxa, restos de asfalto etc.) com desengraxantes e faça a limpeza final com álcool isopropílico. O álcool comercial não é adequado para esse processo

Depois da limpeza, posicione a imagem na superfície. Posiciona-se a imagem com uma fita crepe, fazendo uma dobradiça ou usando ímãs para segurar o vinil no lugar até que o liner seja retirado

Depois da limpeza, posicione a imagem na superfície. Posiciona-se a imagem com uma fita crepe, fazendo uma dobradiça ou usando ímãs para segurar o vinil no lugar até que o liner seja retirado

Retire o liner mantendo o vinil sem rugas, principalmente na parte mais plana do pára-choque

Retire o liner mantendo o vinil sem rugas, principalmente na parte mais plana do para-choque

Comece a instalar a grande área plana do para-choque. Mantenha um alinhamento na espatulação, mesmo que as curvas comecem a aparecer depois da parte superior do para-choque. Se o alinhamento não for mantido, o vinil pode enrugar

Comece a instalar a grande área plana do para-choque. Mantenha um alinhamento na espatulação, mesmo que as curvas comecem a aparecer depois da parte superior do para-choque. Se o alinhamento não for mantido, o vinil pode enrugar

Comece a aplicação de calor na parte superior do para-choque, para permitir que o material relaxe e se torne mais flexível. É preciso um pouco de calor para obter esse feito em uma área grande. Sempre use o soprador térmico para essa etapa da instalação

Comece a aplicação de calor na parte superior do para-choque, para permitir que o material relaxe e se torne mais flexível. É preciso um pouco de calor para obter esse feito em uma área grande. Sempre use o soprador térmico para essa etapa da instalação

Enquanto o material ainda está quente, trabalhe a partir da borda externa em direção ao topo da parte plana. Este processo deve ser lento e consistente, mantendo ainda uma linha na parte superior do leito. Quando chegar ao topo da parte plana, trabalhe ao longo da área

Enquanto o material ainda está quente, trabalhe a partir da borda externa em direção ao topo da parte plana. Este processo deve ser lento e consistente, mantendo ainda uma linha na parte superior do leito. Quando chegar ao topo da parte plana, trabalhe ao longo da área

Sobrará uma boa quantidade de material na frente e atrás do para-choque. Ela será necessária, a fim de aquecer e conformar o material com um montante mínimo de estresse sobre ele. Comece a trabalhar a partir da área plana em direção à cabeceira. Continue a usar, um pouco de cada vez, a espátula e o soprador térmico (aquecendo uma área maior do que o necessário)

Sobrará uma boa quantidade de material na frente e atrás do para-choque. Ela será necessária, a fim de aquecer e conformar o material com um montante mínimo de estresse sobre ele. Comece a trabalhar a partir da área plana em direção à cabeceira. Continue a usar, um pouco de cada vez, a espátula e o soprador térmico (aquecendo uma área maior do que o necessário)

O excesso de vinil na parte da frente e de trás da área plana será usado para puxar as rugas do material. Num dado momento, o vinil estará baixo o suficiente. Puxe o material para baixo em direção à parte inferior do para-choque. Isto deve ser realizado por meio de calor e tensão

O excesso de vinil na parte da frente e de trás da área plana será usado para puxar as rugas do material. Num dado momento, o vinil estará baixo o suficiente. Puxe o material para baixo em direção à parte inferior do para-choque. Isso deve ser realizado por meio de calor e tensão

Realize o mesmo processo na parte frontal do paralama, trabalhando a partir da área plana. A única diferença é que a imagem ao longo da borda frontal deve estar alinhada com a parte da imagem se encontra na cabina (se tiver)

Realize o mesmo processo na parte frontal do para-lama, trabalhando a partir da área plana. A única diferença é que a imagem ao longo da borda frontal deve estar alinhada com a parte da imagem que se encontra na cabina (se tiver)

Depois de terminar a instalação (antes de refilar qualquer parte do vinil), é necessário aquecer novamente toda a imagem. O processo de pós-aquecimento quebra a memória do vinil para mantê-lo sob a forma em que foi instalado. Para terminar, refile todas as bordas. Se necessário, use fita ao longo da borda inferior da imagem. Então, remova as bolhas remanescentes

Depois de terminar a instalação (antes de refilar qualquer parte do vinil), é necessário aquecer novamente toda a imagem. O processo de pós-aquecimento quebra a memória do vinil para mantê-lo na forma em que foi instalado. Para terminar, refile todas as bordas. Se necessário, use fita ao longo da borda inferior da imagem. Então, remova as bolhas remanescentes

Se o envelopador pensar à frente, fizer o que o vinil lhe oferece e não trabalhar em agitação, ele será capaz de envelopar a lateral de veículo por si só e com extrema facilidade, qualidade e profissionalismo.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual