3M lança filmes adesivos para aplicações arquitetônicas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/02/2018
Mídias da linha DI-NOC Architectural são indicadas para acabamentos em arquitetura

Mídias da linha DI-NOC Architectural são indicadas para acabamentos em arquitetura

A desenvolvedora 3M anunciou o lançamento de novas opções da linha DI-NOC Architectural, composta por filmes adesivos para transformar a aparência de fachadas, paredes, pilares e placas que precisam de remodelação.

Segundo a fabricante, as mídias de PVC são duráveis e resistentes às intempéries e permitem aplicação sem bolhas. Indicados para uso em alumínio, aço galvanizado e aço pintado, os filmes podem ser uma alternativa mais em conta às soluções tradicionais de acabamento arquitetônico.

Atualmente, a linha conta com 24 opções de fabricação padrão e 79 acabamentos feitos sob medida para a renovação de marcas de bancos, hotéis e escritórios.

Tim Bayer, especialista técnico da 3M, declarou: “A substituição de painéis de aço galvanizado de alumínio, por exemplo, pode ser cara e demorada. Portanto, cobri-los é uma opção mais barata. E essa série de filmes para acabamento arquitetônico pode adicionar vida às fachadas. Estamos confiantes de que esses produtos oferecem um acabamento de qualidade e preço acessível”.

Fonte: 3M



Caldera lança Flow+ 2.0

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/09/2013

Nova versão de software vem com aprimoramentos, como inteface mais intuitiva

Nova versão de software vem com aprimoramentos, como inteface mais intuitiva

A Caldera, desenvolvedora de softwares gráficos, lançou a versão 2.0 do Flow+, aplicativo de fluxo de trabalho para impressão digital. Reformulado, o programa conta com interface e ferramentas aperfeiçoadas, como a Real Time Statistics, que apresenta informações sobre o status dos trabalhos produzidos.

Além disso, o software gera gráficos que auxiliam gerentes a monitorar e avaliar os trabalhos em produção. Outro componente é o módulo de planejamento, que ajuda a maximizar a eficiência dos equipamentos e recursos da sala de impressão.

Desenvolvido para que o usuário controle todos os processos (do orçamento à entrega do trabalho), o Flow+ 2.0 é compatível não só com soluções da Caldera, mas também com softwares RIP de outros fornecedores.

Serge Clauss, gerente de vendas da Caldera, declarou: "Atualmente, há uma nova geração de impressoras de grande formato muito rápidas, e o novo Flow+ busca interagir com elas".

Fonte: Caldera



Fujifilm inaugura fábrica de tintas digitais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 28/01/2013

A planta tem 1800 metros quadrados

A planta tem 1800 metros quadrados

Tradicional fabricante de insumos para impressão digital, a Fujifilm acaba de anunciar a inauguração de uma nova planta em Broadstairs, no Reino Unido. Segundo a empresa, foram gastos mais de quatro milhões de euros para o planejamento e desenvolvimento da construção, além de um adicional de dois milhões e meio de euros para a atualização do departamento de pesquisa e desenvolvimento da fábrica. Ao todo, foram dois anos para a implementação do projeto.

O novo edifício tem 1800m2 e foi construído para aumentar em 56% a produção anual de tintas da empresa, para atender às novas demandas do mercado, que está migrando cada vez mais dos sistemas analógicos (serigrafia, por exemplo) para os digitais.

A fábrica tem a capacidade de produzir seis mil toneladas anuais de tinta, que depois é embalada e vendida em frascos, bolsas ou cartuchos, dependendo do modelo de impressora no qual ela será utilizada.

Mais de 340 empregados trabalham na planta e 80% deles estão envolvidos com pesquisa e desenvolvimento de tintas digitais.

Mais de 340 empregados trabalham na nova fábrica da Fujifilm

Mais de 340 empregados trabalham na nova fábrica da Fujifilm

Colin Boughton, diretor de operações da Fujifilm, comentou: "Nós planejamos tudo meticulosamente, levando em conta a nossa liderança na tecnologia de tintas digitais. Precisávamos ter equipamentos de ponta para garantir uma produção de alto nível, além de ter de aumentar o nosso volume".

Segundo a empresa, todo o projeto faz uso de métodos e processos produtivos que reduzem impactos ambientais. A fábrica emprega, por exemplo, uma caldera que consome 40% a menos de combustíveis fósseis que os sistemas mais convencionais de aquecimento.

Além disso, apenas 7% dos refugos gerados pela fábrica vão para aterros; 23% do lixo retorna como combustível. O restante, 70%, é reciclado. Isso significa que 93% do lixo é reusado de alguma forma.

A fábrica é certificada nas normas ISO 14001 e ISO 9001. E no meio de 2013, a empresa promete a certificação OHSAS 18001, voltada para saúde e segurança no trabalho.

Fonte: Fujifilm. Texto: InfoSgin