3M apresenta recomendações de preparação de superfícies pintadas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/04/2014

A 3M, fabricante de vinis, anunciou recentemente um novo procedimento de aplicação de películas adesivas, o Enhanced Adhesion Cleaning, que reúne informações sobre preparação de superfícies pintadas com materiais de baixo nível de componentes orgânicos voláteis (COVs).

Segundo a empresa, o material foi elaborado para ajudar instaladores que estão descobrindo que os vinis adesivos não aderem como antes. Alguns profissionais dizem que os filmes mudaram, mas na verdade são as novas formulações de pinturas de baixo COV que têm causado problema.

O novo método é simples: inicialmente, deve-se limpar determinada área usando uma mistura de 70% de álcool isopropílico e 30% de água. Após passar duas vezes a solução sobre a superfície, aplicam-se tiras de vinil nas áreas limpas onde a película será instalada. Depois de 15 minutos, é preciso observar a característica de release. Quando a adesão do filme estiver satisfatória, o mesmo método deve ser usado para preparar toda a área onde o vinil será instalado. Pesquisas na 3M mostram que esse procedimento pode aumentar a adesão de todos os filmes aplicados a uma superfície pintada.

Com as recomendações, o instalador pode melhorar seu desempanho na hora de aplicar vinis

Com as recomendações, o instalador pode melhorar seu desempenho na hora de aplicar vinis

O Enhanced Adhesion Cleaning da 3M é descrito em detalhes no site da 3M, no qual visitantes podem ler e baixar as instruções.

Fornecedores e instaladores também podem visitar o site para baixar o Bulletin 5.37 – A Guide to Understanding and Applying Graphics to Common Smooth and Textured Wall Surfaces (Um Guia para Entender e Aplicar Gráficos em Superfícies Suaves e Texturizadas). Em inglês, o documento fornece uma visão mais completa dos procedimentos de teste para instalação de filmes em paredes.

Joe Walton, engenheiro de serviço técnico da 3M, declarou: "A pinturas de baixo COV estão afetando o desempenho dos vinis adesivo. Para nós, da 3M, é importante agir rapidamente a fim de ajudar os instaladores. Essas novas e simples recomendações podem ajudar a prevenir falhas, problemas e prejuízos na instalação".

Fonte: 3M



Fespa 2018 dá ênfase à estamparia digital têxtil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/05/2018
Exposição ocorre na Alemanha, entre os dias 15 e 18 de maio

Exposição ocorre na Alemanha, entre os dias 15 e 18 de maio

A estamparia digital têxtil está em alta. Não apenas no Brasil, mas no mundo. Isso poderá ser constatado na Fespa 2018, feira internacional que ocorre entre os dias 15 e 18 de maio, em Berlim, Alemanha. A exposição contará com mais de 120 expositores de equipamentos, substratos e consumíveis para a impressão em tecidos. Além disso, a feira oferecerá muitos conteúdos educativos e interativos, como o Print Make Wear.

No Print Make Wear, o visitante poderá conhecer de perto uma linha de produção de vestuários, do design ao acabamento. Estarão rodando soluções têxteis de fornecedores como Brother, Dekken, Gerber, Juki, MagnaColours, MHM, Mimaki, entre outras empresas.

O designer Sanaa Annukka, da Marimekko, criou materiais para a produção de roupas no Print Make Wear. Para tanto, usou cores Pantone e efeitos especiais e metálicos, que serão estampados por uma impressora serigráfica automática da MHM.

Outro destaque da Fespa 2018 será a Dover Digital Printing, que demonstrará um workflow de produção de camisas de futebol customizadas. É uma espécie de simulação de uma fábrica de artigos esportivos, que contará com soluções das marcas Caldera, MS Printing Solutions, JK Group, Monti Antonio e Zünd.

A feira terá a participação da Epson, que levará a impressora têxtil industrial Monna Lisa e mostrará uma coleção feminina de alta costura criada pelo designer Richard Quinn.

A organização da Fespa 2018 também destaca a Aeoon, que mostrará sua série híbrida Kyo Hybrid, indicada para produção digital em uma escala industrial.

Fonte: Fespa Brasil



Como adesivar superfícies com rebites

Por Eduardo Yamashita em 03/11/2015
Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Além de fácil de aprender, a aplicação correta de imagens sobre rebites aumenta a velocidade da instalação e melhora a aparência do resultado.

Bastante recorrente no mercado, a adesivação de rebites normais em chapas lisas ou corrugadas será o foco deste artigo técnico. Com o método demonstrado, é possível obter resultados virtualmente perfeitos. Para tanto, o vinil deve ser aplicado de acordo com a forma de rebite e sem bolhas de ar e rugas. Todo adesivo deve ficar em contato com a superfície, e deve permanecer assim.

Observação: assim como o cast, o vinil calandrado pode ser capaz de se conformar a rebites, porém ele não ficará por muito tempo moldado nessas regiões.

Limpeza

A superfície deve ser devidamente limpa e completamente seca. Use as as seguintes soluções:

  • xilol ou similar: para contaminantes inorgânicos (gordura e graxa);
  • detergente neutro e água: para contaminantes orgânicos (terra, lama e partículas sólidas);
  • álcool isopropílico 70%: para limpeza final.

Com um pano (toalha), molhe e esfregue para remover a sujeira. Depois, antes da evaporação, seque com um segundo pano. É muito comum haver umidade por trás dos rebites. Isso acontece por causa da chuva ou da lavagem dos caminhões. Consequentemente, os fluidos remanescentes na traseira dos rebites devem ser removidos. Para tanto, aqueça as cabeças dos rebites e as áreas circundantes com um soprador térmico ou maçarico de propano até que todo líquido tenha evaporado. Em seguida, o vinil deve ser aplicado a seco e sem a utilização de fluidos de aplicação ou agentes umedecentes.

Método padrão de aplicação

Depois da limpeza dos rebites, realize a instalação seguindo os passos abaixo:

Espatule o vinil em paralelo à menor dimensão da imagem. Mantenha a imagem sempre esticada e pressione firmemente a espátula. Quando espatular sobre o rebite, alinhe o centro da espátula com o rebite, para que o vinil fique em contato com toda a superfície. Aplique e alise o vinil e empurre o ar para fora.
O resultado desejado é uma pequena bolsa de ar em torno de cada rebite. Depois de toda a imagem ter sido espatulada, se houver máscara de transferência, remova-a com cuidado em ângulo de 180 graus.
Corte o vinil sobre todas as emendas das chapas do caminhão. Use também um furador de bolhas, para permitir a saída do ar. Perfure vários pequenos buracos ao redor de cada rebite.
Use uma escova de rebite para pincelar em movimento circular, começando pelas bordas das bolhas de ar no vinil solto ao redor de cada rebite. Em espiral, siga em direção ao rebite. Leva apenas uma ou duas revoluções para empurrar para fora a maior parte do ar. Essa é “escovação” a frio, pois não há calor. Em seguida, use um soprador térmico (pistola de calor) ou maçarico de propano (não muito comum) e aqueça a região do rebite. Note que o vinil solta um pouco.
Escove novamente. Calor em excesso danifica o vinil. Se aquecê-lo demais, deixe-o esfriar antes de escovar. Repita o aquecimento e a escovação (geralmente três ou quatro vezes) até que todo o ar tenha saído. Em cada repetição, use mais calor e mais força na escovação.
Uma vez que todo o ar for retirado, use o calor novamente e centralize a escova na parte superior do rebite; esfregue-o com firmeza. A aparência final será similar a uma pintura.

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual